Preso veterinário que assaltou clínica usando ratazana suja de ketchup

brasil
05.02.2019, 09:54:05
Atualizado: 05.02.2019, 10:24:03

Preso veterinário que assaltou clínica usando ratazana suja de ketchup

Ex-dono de clínica no Rio, ele teve a voz reconhecida por antigos funcionários

Foto: Reprodução

O veterinário Leandro Valverde da Silva, 43 anos, que já foi preso por maus-tratos a animais, voltou a entrar em cana desta vez acusado de assaltar a clínica veterinária Saúde Animal, no Rio de Janeiro, da qual já foi dono. No ataque, ocorrido no ano passado, ele usou uma ratazana morta suja de ketchup como pretexto para entrar no estabelecimento. 

Segundo o jornal Extra, o ataque aconteceu em agosto, pouco depois de o próprio Leandro vender a clínica. A nova prisão só ocorreu na última semana, meses após ser denunciado por ex-funcionários.

Segundo a Polícia Civil, o motivo do roubo teria sido a insatisfação do veterinário com o valor acordado pela venda do estabelecimento. Após Leandro ser identificado, a Justiça decretou sua prisão temporária.

Em 15 de agosto de 2018, segundo a investigação da 35ª DP (Campo Grande), o veterinário entrou no local vestindo uma touca ninja e levou equipamentos e aparelhos eletrônicos como computadores, câmeras de segurança, celulares e HDs externos.

De acordo com depoimentos de funcionários ao jornal Extra, Leandro e um comparsa fingiram que a ratazana morta suja com ketchup era um cachorro ferido para entrar na clínica, que fica com a porta fechada no período noturno. 
O plano ‘infalível’ consistiu em tocar no interfone da clínica, com o animal no colo, envolto num pano ensanguentado, dizendo precisar de ajuda. 

Quando a porta foi aberta, o comparsa de Leandro, que usava o disfarce, colocou uma touca ninja e sacou uma arma. Em seguida, Leandro teria entrado na clínica para ajudar a recolher os aparelhos.

Foto: Divulgação/Polícia Civil do Rio

Voz reconhecida e celular esquecido
Tudo teria saído como o planejado, não fossem dois ‘pequenos’ detalhes: 1. a voz do veterinário foi reconhecida por alguns dos antigos funcionários que ainda trabalhavam na clínica; 2. na fuga, Leandro levou alguns celulares, mas deixou o seu cair no chão. 

No aparelho, a polícia encontrou dados de procedimentos que o veterinário faria nos dias seguintes ao assalto.

Preso por maus-tratos
Leandro já havia sido preso em flagrante por maus-tratos a animais, durante uma operação da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente. 

Ainda de acordo com o Extra, na ação, agentes da especializada encontraram 43 animais com doenças de pele e com fome em ONGs de proteção a animais do veterinário. Segundo os agentes, os bichos mal recebiam água. Ele ainda responde na Justiça pelos crimes.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas