Prestes a estrear na Série A, Bahia mostra bons números em Pituaçu

e.c. bahia
28.05.2021, 05:05:00
Gilberto em lance do jogo Bahia 4x0 CRB, uma das goleadas do tricolor em Pituaçu na temporada (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Prestes a estrear na Série A, Bahia mostra bons números em Pituaçu

Time principal do tricolor tem 66,7% de aproveitamento no estádio na temporada 2021; Esquadrão jogará com o Santos neste sábado (29), às 20h

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O primeiro ciclo de jogos do Bahia na temporada garantiu o tetra da Copa do Nordeste, vaga na terceira fase da Copa do Brasil e eliminação da Copa Sul-Americana. Agora é hora de focar no Campeonato Brasileiro, que começa neste sábado (29), dia em que o Esquadrão estreia contra o Santos, às 20h, em Pituaçu.

Jogar no estádio, aliás, tem sido uma força do tricolor. Mesmo sem sua fiel torcida, por causa da pandemia da covid-19, o Bahia tem feito o dever de casa e se saído bem como mandante.

Até aqui, a equipe principal, treinada por Dado Cavalcanti, fez 10 partidas em Pituaçu pelos três torneios que disputou - no Baianão, foi usado o time de aspirantes - e somou seis triunfos, dois empates e duas derrotas, um aproveitamento de 66,7%.

O estádio foi palco de cinco goleadas: sobre Sport (4x0), Altos (5x0) e CRB (4x0) pelo Nordestão; Guabirá (5x0), pela Sul-Americana; e Manaus (4x1), pela Copa do Brasil.

Ao todo, foram 29 gols marcados, média de quase 3 por partida. A defesa, por sua vez, foi vazada 10 vezes, o que dá a média de um gol sofrido por duelo.

O pior resultado em casa aconteceu na última quarta-feira, quando perdeu do Montevideo City Torque por 4x2. Num jogo em que teve dois jogadores expulsos (Matheus Bahia, no primeiro tempo, e Conti, no segundo), o Esquadrão acabou eliminado da Sul-Americana.

A outra derrota foi para o Ceará, por 1x0, na final da Copa do Nordeste. Mas o Bahia deu o troco no Castelão, venceu por 2x1, se deu melhor nos pênaltis e conquistou o título.

Manter o aproveitamento bom em Pituaçu é importante para o Brasileirão. Na edição da Série A 2020, o Bahia teve rendimento de 50,9% como mandante, apenas o 13º entre os 20 times. O melhor no quesito foi o Atlético-MG, com 80,7%.

Sábado (29), contra o Santos, ao menos um desfalque é certo: o lateral direito Nino Paraíba, suspenso preventivamente pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por 30 dias, limitado ao máximo de quatro partidas. Ele, Daniel e Juninho, também do Bahia, Jael, Gabriel Dias e Mendoza, do Ceará, além dos dois clubes, serão julgados na quarta-feira por causa da briga generalizada na final da Copa do Nordeste.

Por outro lado, o atacante Gilberto, que não enfrentou o City Torque por desgaste muscular, e o volante Jonas, recuperado de uma lesão, participaram do treino no campo ontem. O zagueiro Juninho, que havia sido liberado para tratar de assuntos pessoais, também integrou as atividades. 

O desfalque é o goleiro Matheus Teixeira, ainda em tratamento de lesão - assim como o lateral direito João Pedro. 

Estreias em Série A
A edição de 2021 marca a 10ª estreia do Bahia na Série A desde a implementação dos pontos corridos, em 2003. E não é a primeira vez que o tricolor mede forças com o Santos em Pituaçu logo no primeiro jogo. Em 2012, houve empate de 0x0.

Nas nove estreias já feitas, o aproveitamento é de 40,7%. Foram três triunfos, dois empates e quatro derrotas.

Todas as vezes que o Bahia ganhou na rodada inaugural foram como mandante. Em 2017, teve até goleada na Arena Fonte Nova: 6x2 sobre o Athletico-PR. As outras duas vitórias foram nos últimos dois anos: em 2019, o time derrotou o Corinthians por 3x2 e, em 2020, bateu o Coritiba por 1x0 (a primeira rodada oficial, contra o Botafogo, havia sido adiada).

Além do Santos em 2012, o tricolor também estreou com empate sem gols em 2003, contra o Fortaleza, no Ceará. Naquele ano, o Esquadrão caiu para a Série B.

O time voltou à primeira divisão em 2011 e sofreu na primeira rodada: 2x1 para o América-MG, em Minas Gerais, de virada. Em 2013, mais uma derrota na partida inicial, para o Criciúma, por 3x1, fora de casa. No ano seguinte, perdeu para o Cruzeiro por 2x1, dessa vez na Fonte Nova. O revés em estreias mais recente aconteceu em 2018: 2x0 para o Internacional, no Beira-Rio.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048