Professores do Instituto de Biologia da Ufba decidem sair da greve

bahia
21.08.2012, 17:35:00
Atualizado: 21.08.2012, 18:55:48

Professores do Instituto de Biologia da Ufba decidem sair da greve

A decisão foi tomada em reunião, por 30 votos a favor e um contra

Da Redação

Nesta terça-feira (21), os professores do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba) decidiram retirar-se da greve dos docentes iniciada em 29 de maio e oficializada pelo sindicato da categoria no final de junho. A decisão foi tomada em reunião realizada às 10h, por 30 votos a favor e um contra.

Os professores deste instituto pedem ao Conselho Universitário (Consuni) e ao Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFBA (Consepe) que seja aprovado um calendário de reposição das aulas, se possível, até 31 de agosto, para que as atividades sejam retomadas.

Apesar de isolada, a decisão dos docentes pode estimular outros cursos a aderirem ao fim da greve. No início deste mês, a Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), uma das entidades que representam os docentes das universidades federais, aceitou o acordo com o governo. Os professores do Comando da Greve da Ufba são representados pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), que não aceitou a proposta.

Assembleia decidiu manutenção da greve
Nesta segunda-feira (20), os professores da UFBA decidiram, em assembleia, manter a greve da categoria. Os docentes analisaram a última proposta de reajuste apresentada pelo Governo Federal e elaboraram uma contraproposta.

“A proposta vinda do comando nacional está muito próxima de algumas simulações que fizemos. Falta que o governo aceite a contraproposta, volte a dialogar e atenda às nossas outras reivindicações, como melhoria nas condições de trabalho. A bola agora está com governo”, diz o professor Jair Batista, do Comando da Greve.

A contraproposta sistematizada pelo Comando Nacional de Greve (CNG) foi aprovada para ser protocolada no Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão, alterando-se o valor do piso para R$ 2.018,77 e do índice dos degraus para 4%, reestruturando a carreira.

A próxima assembleia da categoria está marcada para sexta-feira (24), para avaliar os avanços das negociações em Brasília, nos Ministérios do Planejamento e da Educação, e pela Reitoria da Ufba.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas