Programa abre 300 vagas para jovem aprendiz empreendedor

salvador
03.09.2018, 04:00:00
Atualizado: 03.09.2018, 14:40:12

Programa abre 300 vagas para jovem aprendiz empreendedor

Inscrições começam nesta quarta-feira; capacitação tem duração de 17 meses

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Programa Jovem Aprendiz Empreendedor abre mais uma oportunidade para 300 jovens residentes da capital baiana. Começa nesta quarta-feira (5) as inscrições para que jovens entre 14 e 22 anos e seis meses sejam capacitados e encaminhados para desempenhar funções junto aos órgãos da administração pública municipal. O programa dura 17 meses e todos os participantes recebem bolsa mensal de R$ 477, o equivalente a metade de um salário mínimo.

O programa tem carga horária de 1.280 horas, distribuídas em 17 meses de atividades. No entanto, os dois primeiros meses se restringem a aulas dentro do próprio Parque Social e só depois os jovens vão ser encaminhados às funções junto aos órgãos da administração pública municipal.

Desde 2013, quando foi implantado pelo Parque Social, a ação já beneficiou e levou à inserção no mercado de trabalho cerca de 900 pessoas. A novidade deste ano é que a Prefeitura de Salvador, parceira da iniciativa, enquadrou o programa no rol de políticas públicas, a partir da criação da Lei 9.376/2018, que instituiu o Programa Municipal de Aprendizagem.

De acordo com a presidente de honra do Parque Social, Rosário Magalhães, “o jovem é o futuro e é necessário investir e dar a eles a primeira oportunidade de ingresso no mercado de trabalho”. Ela destaca ainda que a partir do programa, esse jovem recebe uma formação completa, que conta não só com a prática profissional, como, também, com a participação em aulas teóricas, convivências e acompanhamento individual psicossocial. "Tudo isso com uma supervisão sistemática. Este é o diferencial do programa”, acrescenta Rosário.

A coordenadora do programa, Paula Alves, explica que o programa tem como público alvo jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica, sendo essa a parcela da população que mais precisa de incentivo e apoio na busca pela oportunidade no mercado de trabalho formal. “o Parque Social busca desenvolver competências e atitudes profissionais, mas auxilia também na prática comportamental dos jovens, a partir das aulas teóricas de ética, informática, português”, informa.

Ainda segundo Paula Alves, o desempenho dos jovens é acompanhado ao longo de todo o programa. Além disso, os que estão matriculados em escolas, devem comprovar a frequência para permanecer no trabalho.

Para Rosário Magalhães, “os jovens terão a oportunidade de construir um projeto de vida, que vai muito além dos 17 meses de atividade nos órgãos municipais. Eles vão ser orientados a programar o futuro, a saber o que querem lá na frente”. 

A presidente de honra  do Parque Social ainda destacou, em razão da atual crise econômica e social, a oportunidade do primeiro trabalho é fundamental. “Saber que a gente [Parque Social] pode contribuir para uma formação diferenciada de inclusão social e empoderamento das pessoas é muito gratificante”, ressaltou.

Critérios
As inscrições para o Programa Jovem Aprendiz Empreendedor começam às 8h desta quarta-feira (5) e podem ser feitas no site do Parque Social. No entanto, alguns critérios devem ser observados no momento da disputa de vagas. O primeiro deles é a idade dos concorrentes, que devem ter entre 14 e 22 anos e 6 meses. 

Outro aspecto relevante é a condição econômica do participante, já que só podem se inscrever quem tem renda familiar mensal de até dois salários mínimos. 

O jovem que deseja participar do programa deve ser estudante, a partir do 9º ano, ou ter concluído o ensino em escola da rede pública, além de não apresentar nenhum registro na carteira de trabalho e ser residente do município de Salvador. 

Mas, todo o processo de seleção conta com etapas que vão além da análise documental dos inscritos. Todos os jovens que atenderem aos pré-requisitos vão ser submetidos a entrevistas e dinâmicas em grupo realizadas por psicólogos. 

Depois de escolhidos, os jovens vão ser contratados como aprendizes, seguindo a determinação da Lei do Menor Aprendiz (nº 10.097/2000). 

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048