Promessa de jogão! Inglaterra e Itália decidem a Eurocopa

esportes
11.07.2021, 10:00:00
Lendário estádio Wembley, em Londres, vai receber a decisão da Euro (Seleção da Inglaterra/ Divulgação)

Promessa de jogão! Inglaterra e Itália decidem a Eurocopa

Jogo será disputado no Estádio de Wembley, a partir das 16h

Itália e Inglaterra vão enfrentar missões diferentes, neste domingo (11), às 16h (Globo), no estádio de Wembley, em Londres, na decisão da Eurocopa. Campeões apenas em 1968, os italianos vão em busca de apagar a má impressão deixada em 2018, ao ficarem fora da Copa do Mundo da Rússia, enquanto os ingleses tentam em sua casa voltar a levantar uma taça, feito que não ocorre desde o Mundial de 1966.

Diante do que apresentaram nas seis partidas que disputaram até agora no torneio, a expectativa é das melhores para o 28º duelo da história. Vencedora em 11 oportunidades, a Azzurra mostrou um futebol rápido no ataque, com o talentoso trio formado por Chiesa, Insigne e Immobile. A armação fica por conta do versátil Verratti, enquanto a defesa, tradicionalmente muito forte, se garante com o jovem e competente Donnarumma na meta e os experientes Bonucci e Chiellini, companheiros de Juventus e únicos remanescentes do vice-campeonato de 2012 na derrota para a Espanha, em Kiev, na Ucrânia.

"Jogar e Wembley e enfrentar alguns dos maiores atacantes da atualidade não é novidade para a nossa equipe. Vamos tranquilos e preparados para fazer uma bela partida, diante de um adversário de muito peso", disse Bonucci, um dos líderes da seleção que não perde há 33 partidas.

Com a bela produção de Sterling e o oportunismo de Kane, além da força e disposição de Maguire, a Inglaterra alcança a sua primeira final de Eurocopa e vai tentar quebrar a escrita de jamais ter vencido a Itália em uma partida válida por Euro ou Copa do Mundo.

Ela também espera contar com a enorme maioria dos 60 mil espectadores previstos para estarem em Wembley, onde nos últimos 17 jogos marcou 46 gols e só sofreu cinco. A defesa inglesa é a menos vazada da Euro com apenas um gol sofrido, diante da Dinamarca, nas quartas de final.

"Aprendemos na Copa da Rússia que a defesa precisa ser protegida desde o ataque. Estamos nos aperfeiçoando a cada partida e acho que alcançamos um bom nível, que ficou evidente nesta Euro", afirmou John Stones, companheiro de Maguire na zaga inglesa.

O elenco inglês revelou que vai doar ao serviço de saúde britânico parte do prêmio de 10 milhões de libras (cerca de R$ 70 milhões) a ser recebido em caso de conquista do título.

A corrida por ingressos também chamou a atenção na final. As opções, no entanto, foram limitadas. As associações nacionais receberam 16% das entradas para distribuir entre torcedores registrados. Assim como foi feito com os dinamarqueses, apenas italianos residentes no Reino Unido tiveram direito de adquiri-las. 

Despedida
Pela primeira vez em 60 anos de história, a Eurocopa foi realizada em diversos locais ao redor do Velho Continente. Foram 11 ao todo. O plano inicial previa 12 cidades que receberiam os jogos, mas Dublin, na Irlanda, acabou por ser retirada do cronograma e algumas partidas tiveram de ser realocadas. O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, comemorou o sucesso do torneio. “Foi uma Euro especial, sem dúvida. Ainda vou lembrar desta Euro como uma das mais interessantes, no início da normalidade, eu espero, do mundo”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas