Quarto suspeito de assassinato de Dom e Bruno se entrega à polícia de São Paulo

em alta
23.06.2022, 14:17:00
(Reprodução)

Quarto suspeito de assassinato de Dom e Bruno se entrega à polícia de São Paulo

Gabriel Dantas, de 26 anos, confessou que estava no barco com Pelado quando as vítimas foram mortas

Um dos suspeitos de participar do assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips entregou-se à Polícia de São Paulo nesta quinta-feira (23). Gabriel Pereira Dantas, se 26 anos, compareceu ao 77º Distrito Policial da capital afirmando ter participado do crime. Este é o quarto suspeito de participação do assassinato que é identificado.

Segundo informações do O Globo, o suspeito afirmou que, no dia do assassinato, estava bebendo com Amarildo Oliveira, conhecido como Pelado, um dos acusados do duplo homicídio, quando o homem o convidou para pilotar sua canoa. Segundo Gabriel, ele não sabia o que Pelado iria fazer.

Em depoimento, ele declarou que usaram barco do tipo “rabeta", com motor de menor potência, quando avistaram a “voadeira” das vítimas, embarcação mais rápida. Ao se aproximarem das vítimas, Pelado tirou a espingarda 16 e apontou para os dois. Pelado teria atirado primeiro no jornalista e depois em bruno.

Conforme relatou o suspeito, o crime ocorreu no rio Madeira, próximo à comunidade de Santa Isabel. Depois dos disparos, Gabriel conta que eles rebocaram o barco das vítimas e Pelado cobriu os dois corpos para não chamar atenção. Pelado ainda chamou outros dois ribeirinhos par ajudá-los. Segundo Gabriel, ele não conhece esses homens, mas um seria parente de Pelado.

(Foto: Divulgação)

Gabriel disse que “foram entrando nos caminhos de água com o barco rebocado, até pararem num lugar mais escondido”. Ele teria ajudado a retirar os corpos do barco e a esconder os pertences das vítimas, enquanto os outros ocultaram os cadáveres e o barco.

O suspeito ainda afirmou ter se entregado à polícia porque “não aguentava mais a situação, o sentimento de culpa e o peso nas costas”. De acordo com investigadores, os fatos foram informados à Polícia Federal (PF), que está a caminho do Distrito Policial.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas