Quase 100 presos fogem de presídio de segurança máxima, na Paraíba

brasil
10.09.2018, 09:22:00
Atualizado: 10.09.2018, 17:51:40
(Foto: Reprodução / TV Globo)

Quase 100 presos fogem de presídio de segurança máxima, na Paraíba

Com capacidade máxima para 660 presos, atualmente a penitenciária comportava 680 detentos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Na madrugada desta segunda-feira (10), estima-se que pelo menos 92 presos fugiram da Penitenciária de Segurança Máxima Romeu Gonçalves Abrantes, também conhecida como PB1, em João Pessoa. A informação foi divulgada por meio de uma nota da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).Até 17h50 desta segunda, 50 detentos já haviam sido recapturados, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Com capacidade máxima para 660 presos, atualmente a penitenciária comportava 680 detentos.

Moradores de regiões próximas da cadeia relataram terem ouvido disparos e uma explosão pouco depois da meia-noite. A PM informou que cerca de 20 homens chegaram em quatro carros e dispararam várias vezes contra as guaritas, o alojamento e o portão principal, que foi derrubado após uma explosão. Houve troca de tiros entre os bandidos e policiais militares e agentes prisionais.

Um outro grupo fechou a rodovia estadual PB-008, no mesmo momento do ataque ao presídio. Um tenente da PM, de 36 anos, que tentou combater a ação na rodovia, acabou sendo baleado na cabeça e foi levado ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Segundo o boletim do hospital, o tenente Moneta segue internado em estado de saúde gravíssimo.

A principal linha de investigação da Polícia Civil indicam que o principal objetivo do ataque ao PB1 era resgatar quatro homens que foram presos no mês de agosto em Lucena, na região metropolitana de João Pessoa, após um ataque a um carro-forte.
Os quatro suspeitos são acusados de integrar uma quadrilha que atua em todo o país na explosão de caixas eletrônicos e carros-fortes.

Inicialmente a Seds trabalhava com a possibilidade de fuga de pelo menos 105 detentos, mas após uma recontagem, o órgão informou, às 15h40, que foram 92 fugitivos.

Aulas canceladas
Devido aos recentes acontecimentos, algumas unidades da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) decidiram suspender as aulas: o Centro de Informática (CI) e do Centro de Tecnologia e Desenvolvimento Regional (CTDR), Núcleo de Processamento de Alimentos (NUPPA) e do Laboratório Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão (LIEPE), localizados no campus do bairro de Mangabeira.

A informação foi confirmada pelo prefeito da UFPB que justificou a decisão da suspensão como medida para reforçar a segurança na universidade, já que o campus fica localizado em uma área de mata.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas