Quatro crianças da mesma família estão desaparecidas após barco virar na Bahia

bahia
02.07.2020, 10:05:55
Atualizado: 02.07.2020, 20:42:35
Duas meninas têm 11 e 5 anos, enquanto meninos têm 3 e 7 (Foto: Reprodução / Correio da Cidade)

Quatro crianças da mesma família estão desaparecidas após barco virar na Bahia

Familiares têm pouca esperança de encontrá-los vivos; pai foi resgatado com vida

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quatro crianças e um adulto estão desaparecidos após a embarcação onde estavam virar no Rio Paraguaçu, na altura do município de Cabaceiras do Paraguaçu. Ao todo, seis pessoas estavam no barco na hora do acidente e apenas uma foi regatada até agora, o pescador Paulo Roberto, que é avô de três crianças e pai de outra vítima. Ele foi achado vivo.

As crianças desaparecidas têm idade de 3 a 11 anos. O adulto é um amigo da família de cerca de 50 anos, segundo relatos de familiares.

Uma equipe de mergulhadores do Corpo de Bombeiros saiu de Salvador já chegou ao local onde ocorreu o acidente para realizar as buscas. Segundo a instituição, os primeiros chamados ocorreram por volta das 21h desta quarta-feira (1), mas o resgate só pôde ser iniciado nas primeiras horas desta quinta-feira (2) porque os mergulhadores não conseguem trabalhar de noite devido à baixa visibilidade. 

Uma familiar identificada como Priscila disse, por volta das 12h, que os bombeiros não haviam chegado no local para realizar o resgate. Por outro lado, a instituição garante que mergulhadores do 13° Grupamento de Bombeiros Militar (13°GBM/Gmar) estão realizando as buscas desde a manhã de hoje.

Testemunhas no local dizem que o que pode estar causando a confusão é o fato de os bombeiros estarem seguindo a correnteza do rio buscando o local onde os corpos poderiam ser achados. Enquanto isso, familiares e populares estão reunidos no local onde o barco virou.Um morador local contou à reportagem do CORREIO que os populares tentaram ajudar os bombeiros e alguns chegaram a mergulhar no rio para fazer a busca em sentido oposto à correnteza.

"Os bombeiros demoraram de chegar e aí o pessoal decidiu agir por conta própria. Nós sabemos que é difícil encontrar, mas cada minuto que se perde só faz diminuir as chances de pelo menos saber o que aconteceu com todo mundo", diz o morador.

De acordo com os Bombeiros, uma equipe de 6 mergulhadores foi enviada para fazer as buscas, que acontecem tanto por baixo da água quanto na superfície, com a ajuda de Jet Skis. Ainda de acordo com a corporação, também há suporte do 2º Grupamento de Bombeiros Militares, de Feira de Santana, responsável pela região.

Segundo Ivani dos Santos Silva, tia das vítimas, os três netos de Paulo - uma menina de 8 anos e dois meninos de 3 e 6 - estavam na casa da avó em Santo Estevão quando este chegou ao lado da filha Anathália, de 14 anos, e de um amigo. O grupo seguiu para uma pescaria no Rio Paraguaçu. Todos são moradores de Tapiaçu, distrito de Cabaceiras do Paraguaçu.

A pequena embarcação teria virado ainda na tarde de ontem e, devido ao tempo passado desde o acidente, os familiares têm poucas esperanças de encontrá-los vivos. "O menino de três anos mesmo não sabe nadar, enquanto as outras devido às circunstâncias dificilmente conseguiriam também", contou um primo das vítimas.

"Está sendo muito duro para nós, é difícil perder tanta gente da família de uma vez só. O pai que sobreviveu mesmo está a base de remédios", disse Ivani ao CORREIO.

O pai das crianças, identificado como Anderson, afirmou que mora em Paulo Afonso e ainda não tem notícias mais precisas do que aconteceu. A informação que teve foi de que seu ex-sogro, Paulo, foi até o local onde estavam as crianças para buscar um documento e elas pediram para acompanhar o avô no retorno que, segundo Anderson, estava programado para acontecer no dia seguinte, de carro.

"Eu estou desesperado, perdi meus filhos. Estou tentando ir pra lá pra poder acompanhar as coisas melhores porque ainda estou longe", disse Anderson, por telefone, à reportagem.

Em nota, a Marinha informa que tomou conhecimento da situação por volta das 7h40 desta quinta-feira (02) e que "uma equipe de busca e resgate (SAR), da Capitania dos Portos da Bahia(CPBA) se deslocou até o local a fim de iniciar as buscas pelos desaparecidos".

Além da equipe SAR da CPBA, que coordena as ações, equipes do 13º Grupamento Marítimo de Bombeiros Militar (GMAR) contribuem ativamente nas buscas. A comunidade aquaviária, também foi orientada a ficar alerta, prestar socorro e informar caso localizem os desaparecidos.

Ainda de acordo com o comunicado da Marinha, as causas, circunstâncias e responsabilidades pelo ocorrido serão determinadas por meio de um inquérito a ser instaurado pela MB.

O primeiro dia de busca das cinco vítimas de um acidente de embarcação em trecho do Rio Paraguaçu, no município de Cabaceiras do Paraguaçu, acabou sem êxito. Quatro crianças e um adulto seguem desaparecidos.

Segundo a Capitania dos Portos, as buscas foram encerradas no final da tarde desta quinta-feira (2) e serão retomadas nas primeiras horas da próxima sexta (3).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas