Rebaixamento fará receita do Vitória cair bruscamente em 2022

e.c. vitória
29.11.2021, 06:42:00
Eron cai no gramado do Barradão após a derrota para o Vila Nova na última rodada (Paula Fróes/CORREIO)

Rebaixamento fará receita do Vitória cair bruscamente em 2022

Saiba quanto o rubro-negro deixará de receber por ter sido rebaixado da Série B para a C do Brasileiro

O Vitória atravessa uma crise financeira já há alguns anos e os gestores do clube precisarão ter muita habilidade após o rebaixamento à Série C do Brasileiro. É que a queda à terceira divisão nacional não interfere apenas no status dentro e fora de campo, como tem forte impacto nas finanças rubro-negras.  

Os detalhes financeiros da Série C 2022 só serão definidos e oficializados durante o conselho técnico da competição, que ocorrerá no próximo ano, mas é possível entender o baque nas contas analisando os números da edição deste ano. 

Em 2021, o Vitória e todos os outros 19 clubes que disputaram a Série B receberam da CBF o valor de R$ 7.292.474,69 referente à cota de participação no torneio. Além disso, a entidade também pagou R$ 550.500 pela distribuição de placas de publicidade no estádio durante os 19 jogos como mandante. No total, o rubro-negro recebeu cerca de R$ 7,8 milhões. Só isso equivaleu a 22% da previsão de orçamento do clube na temporada, que foi de R$ 35 milhões.

Já as 20 agremiações que disputaram a Série C nesta temporada ganharam apenas R$ 50 mil da CBF como pagamento por distribuição de placas. Não houve montante por cota de participação. A confederação justifica que o valor pago pela emissora detentora dos direitos de transmissão dos jogos é todo utilizado para viabilizar o transporte, a hospedagem e a logística das delegações, já que a competição é toda custeada pela CBF.

Este ano, apesar do canal aberto Band ter exibido muitos jogos, os direitos de transmissões da Série C pertenciam ao DAZN Group, serviço de streaming de esportes. Porém, o contrato acabou junto com a edição 2021 e a empresa não irá atuar no Brasil no ano que vem. Ou seja, até o momento os direitos de transmissão da Série C não foram comprados por nenhuma emissora. 

Único representante da Bahia na terceira divisão nesta temporada, o Jacuipense enfrentou dificuldade para reforçar o elenco e acabou rebaixado à Série D. Na avaliação do presidente do Conselho Deliberativo do clube, Felipe Sales, a inexistência de uma cota dificulta a participação na competição. 

"Para os clubes que não têm grandes investidores por trás e não têm uma receita própria pujante, a cota é importantíssima. Para clubes menores, a exemplo do Jacuipense, a cota seria importantíssima para manter um nível de competitividade mais próxima dos grandes clubes", afirmou Felipe Sales.

"É algo que a gente tem lutado. Futebol está cada dia mais caro, complicado de fazer e seria também um reconhecimento da importância da série. A Série C tem muitos clubes grandes, de massa, que levam muito público ao estádio. A gente entende que já passou da hora de se destinar uma parte de cota aos clubes da Série C", completou o dirigente.  

A reportagem tentou contato com o presidente em exercício do Vitória, Fábio Mota, sem sucesso.

Ano encurtado
Este ano, a taça da Série C ficou com o Ituano, e o Tombense foi o vice-campeão. Equipes como Paysandu, Botafogo-PB, Criciúma e Figueirense ficaram no meio do caminho, inclusive Paraná e Santa Cruz, rebaixados à Série D. Quem não passou da primeira fase, como o Jacuipense, só entrou em campo até setembro. 

É que, ao contrário das séries A e B, a C não é disputada em fase única e apenas no sistema de pontos corridos. A primeira fase reúne 20 clubes que são divididos em dois grupos (A e B) com dez integrantes cada. Os times enfrentam somente adversários do mesmo grupo e, após 18 rodadas, os quatro melhores de cada chave avançam para a segunda fase do torneio. Os dois últimos colocados de cada grupo são rebaixados à Serie D.

Na segunda fase, os quatro integrantes de cada grupo se enfrentam entre si e os dois primeiros de cada chave garantem o acesso à Série B. O melhor colocado de cada grupos disputa a final, em dois jogos. O calendário detalhado da Série C 2022 será divulgado no ano que vem, após o conselho técnico, mas já é certo que a competição terá 26 datas e ocorrerá entre 10 de abril e 1º de outubro. Todas as divisões do Brasileirão terminarão mais cedo do que o habitual por causa da Copa do Mundo, que será disputada de 21 de novembro a 17 de dezembro, no Catar.  

Números da Série B 2021:

Cota de participação: R$ 7.292.474,69
Distribuição de placas: R$ 550.500

Números da Série C 2021:

Cota de participação: Não teve
Distribuição de placas: R$ 50.000

Calendário Série C 2022:

10/04 a 01/10 (26 datas)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas