Recuperado da covid-19, paciente comemora com refrigerante e cerveja

em alta
10.09.2021, 23:46:00
(Divulgação/HNSG)

Recuperado da covid-19, paciente comemora com refrigerante e cerveja

Reni Padilha, de 51 anos, teve pedido atendido pela equipe do hospital

A equipe médica do Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba (PR), teve que lidar com um pedido inusitado de um paciente recuperado da covid-19, nesta sexta-feira (10): uma lata de refrigerante e uma garrafa de cerveja.
 
De acordo com o G1, Reni Antônio Padilha de Abreu, de 51 anos, internado há 18 dias - sendo 10 intubado - foi liberado pelas equipes de nutrição e de fonoaudiologia para tomar o refrigerante e a cerveja, sem álcool.
 
"Essa foi a melhor forma de resumir que eu estou vivo. Tem tantas coisas tão simples para a gente fazer e que a gente deixa para amanhã. Não deixe para amanhã, faça hoje mesmo o que você tem que fazer, principalmente com a sua família porque a vida é um piscar de olhos", disse Reni.
 
Segundo Maria Inez Fuentes, nutricionista da unidade, depois que o paciente sai da intubação, ele passa por uma avaliação e tem a dieta via oral liberada. Foi nesse momento que fez o pedido pessoal para a equipe do hospital.
 
"Muitas vezes nós não damos valor quando temos isso todos os dias, mas quando passamos por um momento em que não podemos nos alimentar, valorizamos as pequenas coisas e isso é muito gratificante no nosso trabalho todo dia", comentou a nutricionista.
 
Fuentes ainda contou que outros pacientes já chegaram a fazer pedidos diversos, como chocolate e frango com polenta. "Cada um tem o seu desejo, e nós buscamos respeitar e atender com todo amor e carinho", disse.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas