Resgate de celular que caiu em lixo mobiliza Porto da Barra: 'Me dê R$ 100 que entro'

em alta
27.08.2021, 16:39:00
Atualizado: 27.08.2021, 16:57:42
(Reprodução)

Resgate de celular que caiu em lixo mobiliza Porto da Barra: 'Me dê R$ 100 que entro'

Jovem acabou jogando aparelho junto com garrafinha; escada foi usada no 'resgate'

Quando saiu para passear na orla do Porto da Barra na manhã desta quinta-feira (26), Rapha Dutra, de 27 anos, não esperava que acabaria protagonizando a ‘tour’ do celular no lixo. A jovem, pleníssima, se hidratava com uma garrafinha de água e ao terminar, como uma boa cidadã que é, foi descartar o plástico na lata de lixo - só não esperava que seu celular fosse junto.

O grande problema é que as latas de lixo instaladas no Porto não são comuns, elas estão conectadas a um alçapão que contém uma caçamba no fundo - que retém todos os resíduos - e só são abertas por um caminhão da equipe de limpeza. A questão levantada pela jovem e pelos curiosos que acompanhavam a cena foi: como recuperar o bendito celular?

Em conversa com a reportagem, Rapha contou como foi a experiência tragicômica. Ela tinha ido à praia naquela manhã para encontrar uma amiga e botar o papo em dia. Com o passar do tempo, o local começou a ficar cheio e elas decidiram ir embora para evitar riscos. Na saída, Rapha, que tinha comprado uma garrafinha de água, decidiu jogar ela fora após beber todo o conteúdo, e foi aí que tudo começou.

A tampa daquele lixo é muito pesada, e eu fiz muita força pra empurrar. Nisso, meu celular, que estava na mesma mão que a garrafa, foi junto. Aí eu olhei para minha amiga e falei ‘amiga, o meu celular caiu’”, contou, entre os risos que só vieram depois que o susto passou.

Ela e a amiga se olharam em pânico e começaram a discutir sobre como aquilo tinha acontecido. Um vendedor de coco que estava ao lado, ouviu a conversa e decidiu ajudar. Segundo Rapha, ele ficou com as duas tentando pensar em alguma forma de recuperar o aparelho. 

A movimentação ao redor da lixeira chamou a atenção de quem passava e o jovem Ronaldy Inacio, de 21 anos, que esperava por alguns colegas no local, na hora do ocorrido, foi o responsável por registrar as imagens que bombaram nas redes sociais.

O teor inusitado da cena foi alimentado pela sequência de vídeos, com belos cortes e comentários profissionais, feita nos stories do Instagram e compartilhada no Twitter.

 

Rapha diz que cada vez mais pessoas se aproximavam da lata de lixo, cada uma com uma sugestão diferente. “Minha mãe que tava perto, ligou para minha amiga pra saber porque que eu tava demorando, aí eu falei o que tinha acontecido e ela deu ré [com o carro] para me encontrar e tentar entender. Nisso que viram o carro parado e aquele povo conversando, já começou a juntar gente.”

Ela disse ainda que ligaram para a Sotero Ambiental, empresa responsável pelos serviços de limpeza da capital, mas não conseguiram nenhuma resposta. “Os garis que passavam lá, diziam que eu poderia esperar até 22h30 quando o caminhão iria passar”, conta. A jovem ainda diz que um representante da Sotero esteve no local para acompanhar o ato, mas não forneceu nenhuma orientação.

O "resgate"
A situação cresceu e, de repente, começaram a surgir pessoas cobrando uma recompensa pelo resgate do celular. “‘Me dê 100 reais que eu entro, me dê não sei o que que eu entro’, e eu falei ‘gente, não entra, porque é perigoso. Vocês podem se cortar e a gente não sabe se aí dentro o lixo é fofo. Vocês podem ficar soterrados'", recriou o diálogo.

No entanto, em determinado momento a situação saiu do controle, com todo mundo se prontificando a retirar o aparelho do lixo. O desespero de quase 3 horas sem o celular tomou conta de Rapha, que decidiu concordar em dar tudo o que tinha naquele momento: 50 reais para quem fosse o herói do resgate. 

O salvador da pátria foi um jovem identificado como Daniel, que estava com uns amigos na praia. Ele pediu apenas uma escada para poder acessar o fundo da lixeira e sair. A escada, de alguma forma, apareceu. “Eu só ia levantando a cabeça e do nada aparecia um pedaço de pau, um pedaço de tubo e daqui a pouco tinha uma escada, que eles iam buscar não sei aonde. Começou a surgir coisa de tudo que era buraco”, comenta a jovem.

Daniel conseguiu passar a escada pela abertura da lixeira, desceu e recuperou o celular. Mesmo com os riscos, o rapaz saiu sem ferimentos. O curioso foi que, na hora da recompensa, ele recusou o dinheiro.

“Ele pegou o celular, deu na minha mão e foi embora. Eu chamei ele de volta e ele disse que não queria nada não, que tinha descido ‘pela adrenalina’”, relata. No final, após insistências de Rapha e do amigo de Daniel que arranjou a escada, o prêmio foi distribuído para os dois responsáveis pela recuperação do celular.

Com o celular em mãos, e contente pelo fim de todo aquele drama, Rapha voltou para casa e se divertiu com a repercussão nas redes sociais.

A Sotero Ambiental foi procurada pelo CORREIO, mas não respondeu ao contato até o momento da publicação desta reportagem.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas