Roger lamenta derrota e acredita em melhora do Bahia após treinos

e.c. bahia
10.11.2019, 21:18:00
Atualizado: 11.11.2019, 10:26:41
Roger Machado, técnico do Bahia (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Roger lamenta derrota e acredita em melhora do Bahia após treinos

Tricolor só volta a campo domingo (17) e terá semana livre para treinar

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O mês de outubro e começo de novembro foram crueis para o Bahia. Tanto pela série ruim que o time acumula, de seis jogos sem vencer, quanto pelo desgaste físico. Quem afirmou isso foi o técnico Roger Machado, na entrevista que concedeu neste domingo (10) após a derrota por 3x1 contra o Flamengo, no Maracanã.

Desde o duelo contra o Athletico-PR o tricolor enfrenta duas partidas por semana, no esquema quarta-domingo, dias mais tradicionais na Série A do Brasileirão. Nesse período, apenas entre os jogos contra Grêmio e Santos o tricolor teve mais de três dias para descanso e treinamentos, fatores que, na avaliação do treinador, pesaram no desempenho do time.

O tricolor só retorna aos treinamentos na terça-feira (12). Após o desembarque em Salvador, os jogadores serão liberados para um dia de folga. Roger aponta que pretende aproveitar bastante o intervalo de uma semana até o jogo contra o Palmeiras, no próximo domingo (17), para treinar e colocar em prática as correções que ele, no momento, afirma só estar conseguindo passar por conversa ou vídeos, devido ao calendário apertado.

"A gente volta a treinar na terça para tentar repassar todos os princípios de compatação, contra-ataque, preenchimento de área, dobras de marcação e cobertura para que a gente volte a ter a solidez [de antes]. Nosso modelo foi muito bem implementado quando tivemos tempo para treinar", disse o treinador.

Contra o Flamengo, Roger avalia que o tricolor foi bem durante 70% do jogo, mas pecou na hora de definir os contra-ataques e deu vacilos contra um Flamengo que não costuma perdoar.

"Futebol é um jogo de erros. Quando se erra menos é maior a chance de manter o zero no placar. Os pequenos erros podem ser corrigidos pela estrutura de cobertura, mas erro grande contra time grande geralmente não tem perdão", comentou.

Roger entende que o Bahia foi muito pecador na hora de decidir as jogadas e citou o exemplo de Arthur Caíke, que recebeu passe em profundidade e preferiu o corte antes do chute, mas acabou desarmado.

"É difícil conseguir criar oportunidades contra o Flamengo e a gente não deve abrir mão de finalizar para, pelo menos, que o goleiro efetue a defesa. Arthur (Caíke) optou pelo corte e, no lance seguinte, o Flamengo virou o jogo", afirmou o técnico.

Com 43 pontos, o Bahia é o 9º colocado do Campeonato Brasileiro. O Flamengo lidera com 77, dez a mais que o vice-líder Palmeiras. Faltam seis rodadas para o fim da competição.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas