Rui se reúne com fabricantes de vacinas: 'Demora prejudicou muito o Brasil'

coronavírus
25.02.2021, 15:32:00
Atualizado: 25.02.2021, 15:41:27
(Arisson Marinho/Arquivo CORREIO)

Rui se reúne com fabricantes de vacinas: 'Demora prejudicou muito o Brasil'

Governo e prefeitura tentam acordo para comprar mais doses de vacina

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Tanto prefeitura quanto governo do estado estão negociando e analisando possibilidade de comprar vacinas para Salvador e a Bahia. Na coletiva sobre a ampliação das medidas de restrição no estado, nesta quinta-feira (25), Bruno Reis e Rui Costa falaram do assunto.

Rui disse que a Pfizer ainda tenta fechar um acordo com o governo federal. "A situação é muito grave pelo ritmo de crescimento da doença. Não há horizonte de curto prazo por crescimento por parte do governo federal de envio (de vacinas). Há critério de distribuir proporcionalmente aos estados e município. Hoje tive reunião com a Pfizer e a Procuradoria do Estado. Eles sinalizaram que definiram com o governo federal um prazo pro início de março. Até lá vão tentar fechar a negociação se vende ou não pra eles. Só após dessa data, não fechando venda pro governo federal, abririam venda pros estados. Evidentemente, colocaram a Bahia como prioridade, porque fizeram testes da fase 3, com todo apoio", garantiu.

Amanhã ele se reúne com o Fundo Soberano Russo para falar da Sputnik V.  "Uma vez que foram disponibilizadas no início de janeiro e nem o governo federal fechou e nem nós podíamos fechar naquela época, porque não tinha decisão do STF e Anvisa não tinha regulamentado, como até agora não regulamentou. Mas agora temos a decisão do STF, que nos permite fazer essa compra", disse Rui. A Bahia fez um acordo que dava direito a comprar 50 milhões de doses da vacina, mas cedeu o direito ao governo federal.

Outro ponto de negociação é a com a China. "Hoje falei também com a embaixada da China. Além da Coronavac tem outra vacina aprovada para uso definitivo, da Sinopharm. Eles ainda não têm volume de produção", disse. "A demora prejudicou muito o Brasil. Agora nós vamos tentar entrar na fila, infelizmente essa postura do governo federal atrapalhou muito aquisiçao de vacinas pelo brasil. E hoje eles aprovaram a terceira vacina chinesa. Já pedimos o contato desse outro laboratório pra já tentar contato tambem. Esse atraso do Brasil e essa demora da Anvisa em aprovar prejudicou muito a aquisição das vacinas. Não podíamos adquirir, nem aplicar", destacou. 

Para o governador, a vacinação rápida de idosos é o melhor caminho para garantir que os leitos de UTI não ficarão lotados. "Isso pode conter o esgotamento dos leitos, que se acelera rapidamente. Hoje a situação é muito próxima do colapso de leitos de UTI na Bahia, inclusive leitos privados", destacou. 

Salvador
Bruno Reis contou que a prefeitura conversa com pelo menos três fabricantes. "Estamos na expectativa da chegada de mais doses. A prefeitura vem fazendo esforço. Temos protocolo com a Pfizer, oxford e Sinovac. Não tivemos autorização para concluir as negociações. Mas com a decisão do STF e a lei de autoria de Rodrigo Pacheco, que eu tive a oportunidade de conversar, vai permitir a gente comprar", afirmou.  

"Nós estivemos em Brasilia para tentar chegar mais respirador, temos limitação de recursos humanos, pessoas para trabalhar, então a população tem que entender as medidas e respeitar", diz.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas