Saiba quem foi Adolf Eichmann, citado por Alessandro Vieira na CPI

em alta
20.05.2021, 13:38:43
Atualizado: 20.05.2021, 13:40:52
(Foto: Wikimedia Commons)

Saiba quem foi Adolf Eichmann, citado por Alessandro Vieira na CPI

Senador comparou nazista ao general Pazuello

Durante a sessão da CPI da Covid nesta quinta-feira (20), o senador Alessandro Vieira comparou o ex-ministro da Saúde, o general Pazuello, ao nazista Adolf Eichmann.

A comparação foi feita por conta da postura dos dois durante seus depoimentos. Na visão de Alessandro, ambos não se diziam culpados pois estavam apenas "seguindo ordens".

Quem é Adolf Eichmann
Adolf Eichmann foi um tenente-coronel do exército nazista e um dos principais organizadores do Holocausto. Ele era responsável por gerir a deportação em massa de judeus para os campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial.

Ele se juntou ao partido Nazista ainda cedo, em 1933, quando começou a chefiar o departamento responsável pelas "questões judaícas".

Em 1939, ele começou a invadir guetos em busca de judeus para enviá-los a campos de concentração. Muitas das vítimas pararam em Auschwitz, na Polônia.

Fuga e julgamento
Após o fim da guerra, em 1945, Eichmann fugiu para a Áustria. Em 1950, após conseguir documentos falsos, ele seguiu para a Argentina onde ficou até 1960.

Em 1960 ele foi encontrado e capturado pela Mossad, serviço secreto do estado de Israel.

Ele foi levado até Israel onde foi preso, respondendo por diversos crimes de guerra e crimes contra a humanidade. 

Eichmann foi considerado culpado de muitas das acusações e foi condenado à morte, sendo executado no dia 1 de junho de 1962.

A condenação de Eichmann foi baseada no depoimento de mais de 100 testemunhas, em duas mil provas e 3.500 páginas do protocolo da polícia israelense.

No julgamento ele tentou passar a imagem de um "burocrata", que apenas cumpria ordens e organizava papeladas. No entanto, foi provado que o nazista sabia exatamente o destino dos judeus capturados pela equipe que liderava.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas