Saldanha vibra com primeiro título e lembra de atletas do sub-23

e.c. bahia
08.08.2020, 19:37:00
Atualizado: 08.08.2020, 20:44:35
Jogadores do Bahia comemoram título do Campeonato Baiano (Arisson Marinho/CORREIO)

Saldanha vibra com primeiro título e lembra de atletas do sub-23

Atacante converteu um dos pênaltis que deu ao Bahia o tricampeonato estadual

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O primeiro título conquistado como profissional é difícil de esquecer. E após a partida entre Bahia e Atlético de Alagoinhas, que deu ao tricolor o tricampeonato baiano, o atacante Saldanha era só sorrisos. O jogo terminou 1x1 no tempo normal e o Esquadrão venceu nos pênaltis por 7x6. 

Em seu primeiro ano de profissional, o atacante, que iniciou o Baianão como titular, entrou no segundo tempo da final e ajudou o Bahia a conquistar o título. "Comentei com o Toni (funcionário do Bahia) que queria sair com esse caneco, meu primeiro título como profissional. Espero ganhar outros títulos este ano, mas para mim é uma felicidade imensa”, disse Saldanha.

Além de ajudar no tempo normal, o atacante teve personalidade para converter a cobrança na decisão por pênaltis. Saldanha explicou que pediu ao técnico Roger para ser o primeiro ou o último batedor.

"Eu vim bem tranquilo, venho treinando pênalti e estava como primeiro batedor no jogo. Eu pedi ao professor para ser primeiro ou quinto, ele optou por ser o quinto e eu fui feliz em fazer o gol", explicou.

Na entrevista, Saldanha aproveitou ainda para homenagear o técnico Dado Cavalcanti e os jogadores da antiga equipe de aspirantes que deixaram o clube após o fim do time. Foi o sub-23 que disputou o Baianão até a pausa no calendário por conta da pandemia.

"Eu estava pensando, quando o Felipe (Santana, assessor de imprensa do Bahia) me chamou, em falar de todos os meninos que não puderam estar aqui hoje. Tenho muito que agradecer também ao professor Dado, ao Roger e ao Roberto, que me deram chances. Muita gente queria estar no meu lugar e eu estou aqui hoje", afirmou, citando o ex-treinador do elenco de aspirantes, Dado Cavalcante, o atual, Roger Machado, e o auxiliar Roberto Ribas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas