Salvador é capital das startups no Nordeste; veja como impulsionar sua ideia

empregos
24.08.2020, 06:00:00
Salvador é a capital nordestina com mais startups, mas ainda tem muito o que crescer (Shutterstock/reprodução)

Salvador é capital das startups no Nordeste; veja como impulsionar sua ideia

Ecossistema de inovação da cidade deve crescer ainda mais nos próximos anos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Elas são pequenas, estão começando o negócio, inovadoras por excelência, com custos de manutenção baixos e com grande capacidade de crescimento. Assim são as startups. Nos últimos quatro anos, Salvador se tornou a primeira cidade do Nordeste e a oitava no Brasil em número de startups e tem espaço para mais crescimento. No entanto, garantir o aporte financeiro que possibilite o desenvolvimento continua sendo o grande desafio dessas empresas que estão começando. 

 Para o vice-presidente da Associação de Jovens Empreendedores da Bahia (AJE Bahia), Marcus Casaes, Salvador ainda tem bastante a evoluir. “Temos um movimento inicial interessante, mas que tem espaço para evolução, o que abre a possibilidade de mais pessoas se qualificarem para se tornarem investidores anjo, ainda mais por conta das constantes reduções da taxa de juros. É um investimento de risco maior, mas com excelente retorno”, defende. 

Casaes destaca os investimentos que estão tornando os ecossistemas locais mais interessantes para o investimento em stratups (Foto: Divulgação)

O representante da AJE Bahia ressalta que o ecossistema local tem casos de sucesso muito importantes, inclusive com startups recebendo investimentos milionários, mesmo durante a pandemia. “Recentes incentivos foram anunciados pela prefeitura da cidade para as startups, como redução de ISS e IPTU, o que além de criar mais possibilidades de nascimentos de startups, traz condições para startups de fora se instalarem em Salvador, tornando o ambiente para esse tipo de negócio ainda mais atrativo e maduro”, diz.

Modelos de negócios

Para desenvolver o negócio e garantir capital, a sugestão de Casaes é definir a melhor estratégia para dar os primeiros passos. “Uma metodologia muito usual é aplicar o Canvas de Modelo de Negócio, com o objetivo de colocar em uma folha, as informações mais importantes para então, dar os primeiros passos. Sem essa clareza, será mais difícil conseguir iniciar a proposta e até mesmo apresentar a ideia para um possível aporte de capital inicial”, defende.

Para ele, participar de desafios de Inovação é um ótimo caminho e estar atento aos que acontecem é uma excelente estratégia. “Até mesmo neste momento de pandemia, esses eventos continuam acontecendo no formato online. Nesses desafios, o empreendedor já poderá testar se a sua ideia é viável e entender como são as metodologias para a validação tanto do problema como da solução”, afirma. 

Nesses desafios, os times de mentores voluntários especialistas em diversas áreas técnicas e de negócios ajudam ao processo de validação. É um local onde o empreendedor pode encontrar outras pessoas que estão interessadas em desenvolver uma ideia e até mesmo encontrar programadores e designers que estão procurando oportunidade para fazer parte de um time para desenvolver um negócio. “Em Salvador, é bom ficar atento ao site da All Saints Bay, que é o nome da comunidade de Inovação e Startups da cidade. Eles possuem uma agenda desses eventos e muitos deles são gratuitos ou com um custo bem acessível”, completa. 

Iago Silva dos Santos, do serviço de entrega TrazFavela sabe a importância dessas inciativas para fortalecer os negócios. Ele ressalta que foi, justamente por meio de programas de incubação como o Afrofuturismo e aqueles realizados pelo Vale do Dendê que o sonho de fazer entregas de qualquer ponto da cidade para as zonas periféricas e manter o fluxo dessas áreas para toda a capital ganhou força e visibilidade. “Hoje, trabalhamos coma perspectiva de implantação de um aplicativo e queremos expandir para outras cidades brasileiras”, pontua. 

Anjos financeiros

Além dos programas de incubação, outra boa possibilidade são os chamados investidores Anjo, que são aquelas pessoas ou conjunto de pessoas que acreditam na ideia e investem nela em troca de percentuais. “Os empreendedores também precisam buscar Investidores Anjo que têm o Smart Money. Ou seja, além do dinheiro, ele traz uma experiência de empreendedorismo com domínio técnico na área do negócio e uma ampla rede de contatos para novos parceiros, fornecedores e clientes, dando impulsionamento e crescimento ao negócio”, pontua. 

A outra possibilidade é o bootstrap, que consiste em se sustentar ou caminhar com as próprias pernas. “Não são muitas as startups que conseguem nascer e crescer sem um aporte inicial de um Investidor Anjo, mas a vantagem é que os empreendedores não diluem as cotas do negócio logo no início e têm melhores possibilidades para investimentos futuros”, diz Casaes. 

O advogado especializado em política internacional e renogociação de contratos Emanuel Pessoa diz que o ideal seria que os empreendedores conseguissem se bancar até o negócio ser lucrativo. “Nesse caso, o ideal é desenvolver uma apresentação clara e concisa (o pitch) que deve vir acompanhado de um plano de negócios. Embora haja cada vez mais recursos disponíveis, o número de ideias e empreendedores é maior que o de recursos”, ensina.

Para ele, toda startup bem sucedida conseguiu resolver uma "dor" dos consumidores de forma escalável. “Assim, o primeiro passo é identificar uma dor para se encontrar uma solução que possa ser replicada de forma simples e eficiente”, explica Pessoa.

Emanuel salienta que o excesso de custos iniciais, particularmente quando atuam com uma estrutura inchada que as torna ineficientes e caras, é um desafio para startups. “Adicionalmente, as brigas de sócios e a dificuldade de financiamento são fatais para os empreendedores de inovação”, finaliza.


Retomada em Salvador

O  Coordenador da Incubadora de Negócios Sociais (IN PACTO -  Parque Social/Prefeitura Municipal do Salvador), Randerson Almeida diz que dentro em breve será lançado o novo Edital de Seleção para ingresso na Incubadora, com o objetivo de apoiar mais 10 (dez) negócios. 
Também serão realizadas palestras e oficinas relacionadas a empreendedorismo, inovação e impacto social positivo abertas ao público que tenha interesse em desenvolver estas habilidades. “Além disso, será lançado o Programa de Voluntariado da IN PACTO, com o propósito de envolver a sociedade no ecossistema de empreendedorismo e inovação, contribuindo com o desenvolvimento técnico dos negócios apoiados e com a Incubadora, criando uma rede de colaboração e promovendo intercâmbio de conhecimentos e experiências”, anuncia.

Confira a programação: 


1- SOE - Serviço de Orientação Empreendedora (AGO.2020): serviço prestado na última sexta-feira de cada mês com o objetivo de sanar dúvidas de empreendedores em áreas como modelo de negócio, contabilidade, comunicação, jurídico e acesso ao crédito. A ideia é contemplar outros segmentos econômicos que ainda não foram atendidos pela IN PACTO, como turismo, eventos e gastronomia - áreas prioritárias da Prefeitura.

2- Floresça de Casa - Impactos Transformadores (SET/OUT.2020): Conferências virtuais com temas relevantes para a retomada econômica. Exs.:  Instituições de fomento ao empreendedorismo como vetor de apoio na retomada econômica; A importância de entidades de classe e associações empresariais no fortalecimento da economia; A responsabilidade social como peça-chave no pós-pandemia; Inovação e entretenimento: como empresas do setor tem driblado os efeitos da crise.

3- Programa de Voluntariado da IN PACTO (OUT.2020): parceria com universidades de Salvador com o propósito de envolver a comunidade acadêmica no ecossistema de empreendedorismo e inovação, contribuindo com o desenvolvimento técnico da incubadora, dos negócios apoiados e para a retomada econômica de grupos menos favorecidos, criando uma rede de colaboração e promovendo intercâmbio de conhecimentos e experiências. 

4- Hackathon IN PACTO (DEZ.2020): 48 horas de atividade para criação de negócios que contribuam no combate ao COVID-19 e retomada econômica em grupos menos favorecidos, com a participação de gestores da PMS.

5- Novo Edital IN PACTO (NOV.2020): Selecionar 10 empreendedores que tenham ideias e/ou negócios de impacto social positivo e que colaborem com o desenvolvimento socioeconômico local, por meio de iniciativas sustentáveis inovadoras e resilientes.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas