Salvador mais verde: Dique do Cabrito ganha 500 árvores em ação da prefeitura

salvador
24.03.2021, 15:10:00
Atualizado: 24.03.2021, 15:10:22
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Salvador mais verde: Dique do Cabrito ganha 500 árvores em ação da prefeitura

Plantio dá início a ação que vai levar três mil árvores à 40 localidades de Salvador em 2021

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Pode até não parecer possível, mas o Dique do Cabrito, localizado no subúrbio, ficou ainda mais verde nesta quarta-feira (24). Isso porque o local, que é caracterizado pela predominância do tom esverdeado, recebeu 500 novas árvores que foram plantadas nas margens de suas águas. Além da quantidade considerável de espécies, o Dique ganhou também em diversidade. Ao invés de um tipo só de mudas, o gramado passa a ter ipês rosa e amarelo, algodoeiros, paus-brasil, sibipirunas e oitis.

A entrega das árvores dá início a Operação Plantio Chuva, uma ação da Secretaria de Sustentabilidade e Resiliência (Secis), que vai plantar três mil mudas em 40 localidades de Salvador como Ribeira, Av. Barros Reis, Itapuã e Baixinha do Santo Antônio.

Moradora de São João do Cabrito, Fabiana, 47 anos, estava fazendo exercício enquanto as árvores eram plantadas e já comemorava a novidade. Para ela, que não quis revelar o sobrenome, o Dique precisava mesmo era de sombra. "É uma área muito aberta e tem pouca árvore. O sol pega quente aqui. Então, é bom ter árvores para melhorar o clima, diminuir a agonia. Até pra gente descansar um pouco é legal. Podemos chegar aqui depois que elas crescerem, sentar e aproveitar a paisagem sem torrar por conta do calor", afirmou ela.

Moradores aprovaram plantio de árvores para melhorar clima na região (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Espalhando o verde
Mais mudas das espécies plantadas no Dique serão distribuídas por 40 localidades de Salvador em que foi verificado a possibilidade de plantio. É que, antes de definir onde e quando as mudas podem ser colocadas em uma área, a Secis realiza vistorias em toda cidade para garantir que ambientes que tenham espaço sobrando e estejam aptos para serem contemplados na operação. De acordo com o pintor Elias dos Santos, 46, no Dique, a operação acertou em cheio ao verificar a demanda. "Se precisava? Com certeza. É sempre bom, não só pelo verde, como pelo clima do local. O povo aqui faz atividade esportiva, passeia por aqui. Então, o plantio de árvores só melhora a situação, deixa mais bonito, menos quente. Tudo favorece o nosso bem-estar", contou Elias.

Quem acompanha o pensamento de Elias é o pedreiro Catarino de Jesus, 64, que elogiou a chegada das árvores, disse que o plantio melhora a aparência e o clima do lugar, mas questionou porque as árvores plantadas não são frutíferas. "Traz um verde bacana para o local, mostra que eles querem cuidar mais daqui. Espero que continue porque esse tipo de ação melhor, deixa o ambiente mais bonito, mais fresco. Só fico na dúvida sobre o porquê de não plantar árvores com frutos pra gente colher", pontuou.

Catarino aprovou plantio no Dique (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

A opção de não plantar árvores frutíferas é explicada por Edna França, titular da Secis. A secretária afirmou que as árvores são, predominantemente, da Mata Atlântica, por conta do plano de recuperação das espécies que são características de Salvador. "Plantamos mudas de especies nativas da Mata Atlântica porque a Operação Plantio Chuva faz parte do projeto 'Salvador, capital da Mata Atlântica', que traz a recuperação de espécies que sofreram com desmatamento e proporciona para a comunidade ambientes para falar sobre educação ambiental", salientou.

Plantio em época de chuva

A secretária também fez questão de justificar o motivo dos plantios da operação, que já plantou cerca de 18,3 mil árvores desde seu início, em 2017, começarem sempre nesta época do ano. “Esse é o período, entre abril e agosto, ideal para se plantar em Salvador. As chuvas constantes favorecem naturalmente a irrigação do solo e a adaptação das novas mudas no local plantado. Além do momento oportuno para plantio, é a época que temos mais condições de realizar ações integrativas com os cidadãos para promover a consciência ambiental, coisa que não pudemos realizar em 2020 e não poderemos em 2021 por conta da pandemia e a necessidade de evitar aglomerações", reforçou.

Plantios acontecem sem a presença da comunidade desde 2020 por conta da pandemia (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

As ações deste ano aconteceram semanalmente. Até o fim de agosto, locais como Ribeira, Av. Barros Reis, Itapuã, Baixinha do Santo Antônio, Pituba, Av. Centenário, Ponta de Humaitá, Stella Maris, irão receber mudas das mesmas espécies de árvores que o Dique recebeu. Só neste mês, a previsão é que 680 árvores sejam plantadas até primeiro de abril. Desde 2017, mais de 100 localidades foram contempladas nesse período, como foi o caso do Vale do Canela, que recebeu 150 mudas de pau-ferro há 4 anos, formando um verdadeiro corredor verde no local, com árvores que chegam a medir 6 metros altura.  
 
Confira a programação da operação até  o dia 1° de abril:
 
24/03 – 8h. 500 árvores     Dique do Cabrito, Subúrbio.                 
30/03 – 9h. 10 árvores     Itapuã. Ladeira do  Mirante, S/N.             
31/03 – 9h. 20 árvores     Pituba. Rua Amazonas e Rua Ceará.         
01/04 – 9h. 147 árvores     Cabula. Av. Edgar Santos e Av. Luiz Eduardo.

*Sob supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas