Saque de auxílio emergencial em Salvador gera filas, confusões e muita aglomeração

coronavírus
29.04.2020, 06:00:00
Atualizado: 29.04.2020, 06:23:54
(Arisson Marinho/CORREIO)

Saque de auxílio emergencial em Salvador gera filas, confusões e muita aglomeração

Confira o calendário de saques desta primeira parcela do pagamento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com o início dos saques do auxílio emergencial em Salvador, diversas agências da Caixa Econômica Federal se tornaram pontos de aglomerações durante esta terça-feira (28). Era a data marcada para o saque dos aniversariantes do mês de março e abril, como estava previsto no calendário divulgado pela Caixa. E as filas começaram a ser formadas durante a madrugada, como aconteceu na agência do bairro da Calçada, na região do Comércio.

Por lá, a diarista Araci Santana contou que pegou seu buzu antes do sol raiar e, quando chegou no local, pouco antes das seis da manhã, já tinha fila na porta do banco. O relógio girava e nada acontecia. Aliás, acontecia sim: a fila aumentava. Araci relata que as pessoas não respeitavam a distância mínima de um metro e meio orientada pelos órgãos de saúde. Araci decidiu mandar mensagens para amigos e veículos de imprensa relatando a situação.

Durante a edição desta terça do Bahia Meio Dia, foi possível acompanhar, ao vivo, a situação dramática de quem necessita retirar os R$600. Quando a principal orientação para passar longe de uma infecção pelo coronavírus é se isolar, centenas de pessoas estavam aglomeradas, quase como um bloco de Carnaval, e longe de respeitarem a distância mínima.

Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Largo do Tanque
Caixa Econômica do Largo do Tanque (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Liberdade
Caixa Econômica do Liberdade (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Liberdade
Caixa Econômica do Liberdade (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Liberdade
Caixa Econômica do Liberdade (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Liberdade
Caixa Econômica do Liberdade (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Liberdade
Caixa Econômica do Liberdade (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Liberdade
Caixa Econômica do Liberdade (Arisson Marinho/CORREIO)
Caixa Econômica do Liberdade
Caixa Econômica do Liberdade (Arisson Marinho/CORREIO)

A explicação foi uma queda no sistema da agência, que resultou no atraso da entrega das senhas para fazer o saque. Foram quase cinco horas e meia até que Araci conseguisse atendimento, por volta das 13h30. "Uma verdadeira humilhação", relatou. Por sorte, deu tudo certo no final das contas.

A Caixa alegou que as aglomerações registradas em Salvador e diversas outras cidades do país se deve a presença de clientes em busca de serviços essenciais, como saque do seguro desemprego e Bolsa Família sem cartão. O banco ainda afirmou que, em um levantamento feito por eles, aponta que apenas uma pessoa a cada cinco que buscaram presencialmente o banco nesta segunda-feira (27) tinha direito ao saque na referida data. Ou seja, eram aniversariantes dos meses de janeiro e fevereiro. 
 
Quem também se sentiu aliviada depois de uma longa espera foi a vendedora ambulante Jéssica Cardoso, de 28 anos, que chegou às 7h na agência do Rio Vermelho e só saiu de lá às 15h30: “Teve muita confusão por aqui. Muita gente desistiu de ficar na fila, outros tentaram furar e começou mais uma confusão, tanto que a polícia teve que vim aqui”, contou Jéssica, afirmando a viatura da Polícia Militar chegou no banco por volta das dez horas. 
 
Na Calçada e no Largo do Tanque também foi preciso chamar a polícia para conter os ânimos de quem estava na fila após confusões durante a aglomeração e a exaltação de alguns por não terem senha para fazer o saque do dinheiro. 
 
Aliás, a presença da grande maioria dos beneficiários nas agências físicas da Caixa é explicada porque muitos não conseguem executar a transação pelo aplicativo. Em nota a Caixa Econômica Federal afirmou que vem “implementando continuamente melhorias nas soluções de tecnologia, mas, considerando o grande volume de acessos, podem ocorrer intermitências no serviço nos momentos de maior concentração”, explicou.
 
No caso de Jéssica Ferreira, 24, ela argumentou que o aplicativo do banco não carregava,e por isso não concluiu a ação de resgatar o seu auxílio emergencial. Decidiu então ir na agência presencial, na Manoel Dias e, assim como sua xará, esperar mais de cinco horas na fila. Junto com ela, outras dezenas de pessoas esperavam a entrada na agência que era controlada por funcionários do banco. 
 
Apesar do uso quase que unânime das máscaras, a distância mínima também não estava sendo respeitada, por mais que a Caixa tivesse feito uma pintura na calçada, determinando um quadrado onde cada uma das pessoas deveriam esperar. Outro grupo de pessoas que estava na fila, que não quiseram se identificar, alegaram que a fila começou a se formar antes das cinco da manhã, e uma delas exclamou “hoje estou só no ódio, esse é meu sentimento”. 

Confira o calendário de saques do benefício emergencial

  • 29 de abril – nascidos em maio e junho, com poupança digital gratuita da Caixa
  • 30 de abril – nascidos julho e agosto, com poupança digital gratuita da Caixa
  • 04 de maio – nascidos em setembro e outubro, com poupança digital gratuita da Caixa
  • 05 de maio – nascidos em novembro e dezembro, com poupança digital gratuita da Caixa
     

* Com a orientação da subeditora Clarissa Pacheco

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas