Secretário de Turismo de Maceió deixa cargo após post sobre suástica

em alta
18.06.2021, 13:31:59
Atualizado: 18.06.2021, 13:36:45
(Reprodução)

Secretário de Turismo de Maceió deixa cargo após post sobre suástica

"Pensava que a liberdade de expressão permitisse”, escreveu ele ontem

O secretário de Turismo, Esporte e Lazer de Maceió, Ricardo Santa Ritta, deixou o cargo nesta sexta-feira (18), um dia depois de fazer um post em que fala que não sabia que o uso de elementos com a suástica é crime no país, fazendo ligação com a liberdade de expressão. O símbolo foi usado pelo movimento nazista na Alemanha, responsável por milhões de mortes antes e durante da Segunda Guerra Mundial. 

A saída foi confirmada nesta man hã, mas a prefeitura não infomrou se foi a pedido dele ou se Ricardo foi demitido.

“Hoje descobri que usar qualquer elemento com a ‘suástica’ é crime federal no Brasil. Pensava que a liberdade de expressão permitisse”, escreveu o então secretário no Twitter. O comentário foi feito após um homem ser expulso de um shopping em Caruaru (PE), ontem, por usar uma braçadeira com a suástica.

(Foto: Reprodução)

O artigo 1º da Lei 7.716/89 define que é crime fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo. 

Após o comentário, o secretário, que é formado em Direito, foi bastante criticado. “Com todo respeito que te tenho não poderia deixar de dizer o quão assustadora é sua fala, secretário. Defendo a liberdade como bandeira de vida e essa mesma liberdade é atingida diretamente pelo nazismo. Dessa vez você errou feio!”, respondeu a deputada estadual de Alagoas, Cibele Moura (PSDB).

Ricardo tentou minimizar a situação, afirmando que não conhecia essa legislação. “O Brasil tem mais artigo de lei que habitante. Hoje tomei conhecimento que usar símbolo de suástica é crime federal. Sinceramente, não sabia. O post anterior foi uma opinião pessoal minha. Achei interessante a discussão sobre liberdade de expressão por consequência disso”, acrescentou. Depois, como continuou a receber muitas críticas, pediu desculpas por entender que algumas pessoas se incomodaram com sua opinião. "Perdão! Desculpa. Apesar de não ter citado ninguém, nem me dirigido a quem quer que seja. Continuem vivos. Sejam felizes!". 

Ele acabou desativando a conta no Twitter ainda ontem.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas