Sem acordo, rodoviários mantêm greve para a próxima semana em Salvador

salvador
10.05.2019, 14:32:54
Atualizado: 10.05.2019, 17:10:55
(Amanda Palma/CORREIO)

Sem acordo, rodoviários mantêm greve para a próxima semana em Salvador

Categoria vai se reunir para marcar a data; população será avisada 72h antes

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Sem acordo salarial, os rodoviários decidiram manter uma greve geral para os próximos dias. A reunião entre o Sindicato dos Rodoviários e empresários aconteceu nesta sexta-feira (10), na Superintendência Regional do Trabalho, na Avenida Tancredo Neves. Agora, os trabalhadores se reunirão para definir a data da paralisação, que será informada com 72h de antecedência para a população.

A reunião começou por volta das 10h e durou pouco mais de uma hora. A categoria cobra um reajuste de 8% no salário e 15% no ticket refeição. Inicialmente, os patrões ofereceram 2,7% de aumento e, agora, 3,3%. A categoria também pede medidas consideradas por eles como "sociais", como um ônibus para atender aos trabalhadores nos terminais de linha, diminuir o "turnão" realizado durante o plantão do final de semana, além da prioridade para contratação de profissionais advindos da escolinha do sindicato.

“Os empresários querem dar 3,33%, é desrespeitoso. Isso não é um comportamento de quem tem responsabilidade social com os baianos. Daqui, vamos analisar o melhor dia para começar a greve geral com tempo indeterminado”, declarou o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Hélio Ferreira.

O representante do sindicato também tranquilizou a população e garantiu que ninguém será pego de surpresa. “Temos que informar a greve 72 horas antes. Temos que publicar um edital nos jornais de grande circulação e avisar aos órgãos públicos, para que estejam cientes. Vamos conversar para que os dirigentes não fiquem na porta das garagens. O ideal é que a gente discuta o dia da greve”, garantiu Ferreira. 

Os rodoviários e o sindicato já tinham se reunido nesta quinta (9) para anunciar a greve. O encontro aconteceu na quadra de esportes do Ginásio dos Bancários, na região dos Aflitos, em Salvador. A expectativa é que, com a nova reunião, patrões e trabalhadores chegassem a um acordo, o que não aconteceu.

O CORREIO também conversou com o assessor de relações de trabalho do Consórcio Integra, Jorge Castro. Ele disse que, desde 2013, os reajustes dos salários dos rodoviários foram superiores à inflação e à tarifa do transporte público – a situação foi agravada com a redução de passageiros.

“De lá para cá, a inflação chegou a 49%, a tarifa aumentou em 42% e os trabalhadores tiveram um ganho salarial de 60%. Sem falar na queda do número de passageiros em 19%. Diante disso, só podemos oferecer 3,33%. O sindicato é quem não quer conversar”, justificou. 

Em relação às outras alegações do sindicato, como os 15% de aumento no ticket refeição, Castro disse: “Precisamos terminar a negociação dos números para depois analisarmos os outros casos”. 

Castro também comentou sobre o anuncio da greve geral por parte do sindicato. “Eu nem sei se vai ter. Não fui comunicado, então, para mim não existe. Vamos aguardar e esperar”, finalizou.

Ao CORREIO, o secretário municipal de Mobilidade (Semob) Fábio Mota informou que segue mediando as negociações. Já a assessoria de comunicação do Ministério Público do Trabalho (MPT) informou que historicamente participa dessa mediação, mas está apenas monitorando o caso. 

Impasse
O estado de greve foi comunicado no dia 2 de maio, quando houve uma reunião sem acordo entre as partes. A medida significava que a categoria pode paralisar as atividades a partir de 48h da decisão. O anúncio foi feito após uma reunião na sede do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). À época, os empresários não apresentaram propostas, segundo a categoria.

Por conta da campanha salarial, os rodoviários chegaram a atrasar a saída de 600 ônibus das garagens no dia 25 de abril, em três garagens diferentes do consórcio Integra, sendo uma da bacia amarela (Plataforma), uma da verde (OT Trans) e outra da linha azul (Salvador Norte). As empresas foram multadas - o valor não foi informado pela Semob.

Segundo informações da Integra, a frota de Salvador atualmente conta com 2,4 mil ônibus e 1,3 milhão de usuários por dia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas