Sem Manoel, Wagner diz que achou 'solução interessante' para ataque

e.c. vitória
22.10.2021, 15:24:00
Atualizado: 22.10.2021, 15:52:09
Wagner Lopes não terá Manoel à disposição (Pietro Carpi/EC Vitória)

Sem Manoel, Wagner diz que achou 'solução interessante' para ataque

Centroavante será desfalque do Vitória contra o Brasil de Pelotas

O Vitória vive uma sequência de bons resultados. Ganhou do Sampaio Corrêa fora de casa, pela Série B, e em seguida bateu o Itabaiana no Barradão, pela pré-Copa do Nordeste. Agora, o rubro-negro volta suas atenções para a Segundona, em que enfrentará o lanterna Brasil de Pelotas.

Para o jogo, porém, o técnico Wagner Lopes tem um problema no ataque. Centroavante titular, Manoel está machucado e foi vetado pelo departamento médico. Já Samuel está fora de forma e foi descartado pelo comandante. Uma das opções seria colocar Fabinho na vaga, mas o treinador não se mostrou muito favorável à ideia.

"Nós tivemos pouco tempo. Temos, para se ter uma ideia, as 48 horas foram ontem. Ontem era o dia mais cansativo, o pico do cansaço das 48 horas. A gente tem uma situação com o Fabinho e com o Marcinho bem encaixado na beirada. A partir do momento que você vai improvisar, você precisa pensar bem, disse Wagner Lopes.

"Então a gente está pensando bem. O Fabinho já tinha treinado isso nas semanas anteriores, eu sei que posso contar com ele. Mas aí você mexe em duas posições ao invés de mexer em uma só. Como as beiradas com o Marcinho e com o Fabinho estão encaixadas, a gente está buscando outras soluções também".


O técnico não revelou qual escalação levará a campo, mas garantiu ter achado uma opção 'interessante'. A partida contra o Brasil de Pelotas será neste sábado (23), às 16h30, no Barradão, pela 31ª rodada da Série B.

"O Manoel estava cumprindo, apesar de não ter conseguido fazer gols ainda, estava ajudando bastante. É um cara trabalhador, é um cara que vinha ajudando bastante a equipe sem a bola, tentando sustentar a bola no ataque, a bola parada estava ajudando também. Agora a gente está buscando soluções. Acho que encontramos uma solução interessante para esse jogo", afirmou.

O duelo será fundamental para o Vitória seguir brigando contra o rebaixamento. Caso ganhe esse confronto e o seguinte, contra a Ponte Preta, o Leão pode voltar a respirar fora do Z4. Por isso, Wagner quer a equipe atenta.

"Nós tivemos uma dura lição contra o Confiança, que a gente quis fazer o gol de qualquer jeito e tomamos o gol logo no comecinho. Antes disso, contra o Remo também, empatando até os 44 do segundo tempo, fomos para o ataque de qualquer forma e tomamos acabando o segundo gol e perdendo o jogo. O jogo amanhã é um jogo de paciência, um jogo que você tem que jogar os 100 minutos, 90, quantos o árbitro der, concentrado, disputar todos os lances como se fossem lances decisivos, porque só isso vai realmente nos dar o resultado que a gente precisa", comentou. 

"É contar com o apoio do nosso torcedor, com a concentração de todos os atletas que entrarem em campo. Os que estiverem como opção também têm que ajudar, incentivando, cobrando. Só a união vai nos tirar dessa situação", completou o técnico.

Veja outros trechos da entrevista de Wagner Lopes:

Torcida será motivadora?
Claro que a torcida é preponderante, a torcida do Vitória é um fator motivacional muito grande. A gente espera contar com nosso torcedor no maior número possível para nos ajudar nesse jogo contra o Brasil.

Samuel volta?
Quando ele tiver em forma, com percentual de gordura, com o peso no que a gente quer, e estiver bem fisicamente, treinando melhor que os outros, aí ele vai jogar.

Mensagem para o torcedor
A mensagem que a gente deixa é que o nosso torcedor é muito importante para nós nesse momento. Tenho certeza que com a ajuda do torcedor vamos conseguir nosso objetivo.

Chuvas atrapalharam preparação?
Atrapalharam sim, porque choveu muito e o campo ficou totalmente impraticável, a bola não rolava. Nós tivemos que recuperar os jogadores e, com o pé d’água que caiu ontem [quinta-feira, 21] ficaria inviável para treinar porque ia ficar na lama, ia ficar muito pesado. Então atrapalhou um pouco, sim, mas a gente buscou soluções. O que a gente não conseguiu treinar ontem, hoje a gente buscou fazer simulações, mais curtas, mas conseguimos fazer.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas