Serraglio nega convite de Temer e volta para a Câmara

brasil
30.05.2017, 11:40:00
Atualizado: 30.05.2017, 12:14:39

Serraglio nega convite de Temer e volta para a Câmara

Recusa em assumir o Ministério da Transparência aumenta instabilidade política, já que Rodrigo Rocha Loures perde foro privilegiado

Osmar Serraglio não aceitou o convite feito pelo presidente Michel Temer para assumir o Ministério da Transparência e sua assessoria deve confirmar a decisão em um comunicado oficial na tarde desta terça-feira (30). A informação é da Agência Estado. Serraglio foi o segundo ministro da Justiça de Temer e deixou o cargo no último domingo. Em seu lugar assume o advogado Torquato Jardim, que estava na pasta da Transparência, oferecida a Serraglio.

Ao deixar o governo, Serraglio reassume mandato na Câmara dos Deputados - ele foi eleito pelo PMDB do Paraná - e Rodrigo Rocha Loures volta à suplência, perdendo direito a foro privilegiado. Loures, apontado como homem de confiança de Temer, foi flagrado recebendo uma mala com R$ 500 mil em propina pagas pela JBS. Executivos da empresa afirmam em acordos de delação premiada, que Loures foi indicado por Temer para resolver um litigio que a JBS tinha com a Petrobras no Conselho Administrativo de Direito Econômico (Cade). E que o valor da propina correspondia a 5%  da economia feita pela JBS caso derrotasse a Petrobras no órgão ligado ao Ministério da Fazenda.

Ontem (29/5), novos advogados de Loures procuraram informações com procuradores do Ministério Público Federal (MPF) sobre os compromissos necessários para que ele feche um acordo de delação premiada com as investigações. Uma possível delação de Loures preocupa o governo pelo potencial que teria de implicar o presidente em um caso de corrupção.

Serraglio foi tirado da Justiça no domingo,  em meio à divulgação de grampos telefônicos em que o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) criticava sua atuação por não controlar a Polícia Federal e impedir avanços da Lava Jato na investigação contra políticos.   Desde então, se mantinha em silêncio. Uma reunião com Temer, hoje, ele informaria se iria aceitar ou não o convite para assumir a pasta da Transparência. Uma resposta positiva era dada como certa. Até pelo fato de o ex-ministro da Justiça também ser alvo de investigação da Polícia Federal, no âmbito da Operação Carne Fraca.

Leia a nota divulgada por Osmar Serraglio:

Excelentíssimo Senhor Presidente da República

Agradeço o privilégio de ter sido Ministro da Justiça e Segurança Público do nosso País.

Procurei dignificar a confiança que em mim depositou.

Volto para a Câmara dos Deputados, onde prosseguirei meu trabalho em prol do Brasil que queremos.

Osmar Serraglio

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas