Sete anos depois, Wallace volta à Toca e promete ajudar Leão a sair de 'situação constrangedora'

e.c. vitória
13.07.2017, 16:31:00
Atualizado: 26.07.2017, 09:11:08

Sete anos depois, Wallace volta à Toca e promete ajudar Leão a sair de 'situação constrangedora'

Zagueiro promete se doar, mas avisa que precisa do empenho de todos: ‘Minha experiência não vai ajudar em nada se o time não quiser vencer’

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foram sete anos longe da Toca do Leão. A última passagem, em 2010, terminou melancólica e marcada por um rebaixamento. O cenário atual segue nos mesmos trilhos do passado, já que o Vitória faz má campanha e marcou apenas 12 pontos nos 13 primeiros jogos do Brasileirão, mas Wallace aposta na sua maturidade para mudar os rumos dessa história e escrever um final mais feliz.

Hoje com 29 anos, o barbudo nem lembra o garoto franzino que chegou aos lados de Canabrava com 10 anos de idade. A carreira consolidada, com passagens por Corinthians, Flamengo, Grêmio e Gaziantepspor, da Turquia, fez com que Wallace retornasse à sua casa experiente, encorpado e frio. Não que o atleta não tenha carinho pelo rubro-negro, longe disso. Mas carrega uma frieza necessária para encarar a situação “constrangedora” na qual se encontra o clube, como ele mesmo denominou.

Wallace é apresentado e recebe a camisa 3 de Petkovic (Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória)

“Antes de mais nada, estou feliz de voltar à minha casa. Foram 12 anos aqui dentro e vou fazer o possível para ajudar. A situação é delicada, principalmente porque isso não é rotineiro no Vitória. O time não costuma brigar para não cair. Infelizmente, este ano, logo no começo do campeonato, a gente está passando por esse momento constrangedor”, disse o zagueiro, que promete se doar, mas já avisa que, sozinho, não vai levar o time nas costas.

“Minha experiência não vai ajudar em nada se o time não quiser vencer. No momento que todos começarem a pensar de forma uniforme, as coisas vão voltar ao natural. O Vitória vai voltar a ser forte como antes e vai voltar a vencer. Ninguém tem a fórmula do sucesso, mas do insucesso todos têm. Cabe à gente não seguir essa cartilha que em alguns jogos a gente tem seguido. O Vitória não pode deixar de somar pontos dentro de casa, infelizmente a gente não tem jogado bem e convertido pontos. O primeiro passo é entender e fazer com que nossa casa seja forte como em outras épocas já foi”, completa. 

Wallace está em forma e pronto para estrear
(Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória)

O cenário no qual ele deve estrear não é dos melhores. Com Kanu e Fred suspensos, além de Ramon vetado por causa de uma lesão muscular sofrida durante o jogo contra o Vasco, essa é a chance de chamar Wallace para entrar em campo. 

Uma das mais recentes contratações do rubro-negro, ele treina em Salvador desde o dia 26 de junho, mas só agora terá a chance de jogar. Para isso, basta ter seu nome publicado no boletim informativo diário da CBF, o que deve acontecer nesta quinta-feira (13) ou, no mais tardar, na sexta. O atraso ocorreu devido a complicações na documentação do atleta com o time turco.

Seja por opção ou por falta dela, pouco importa, Wallace quer jogar. O adversário também não assusta. “Futebol é feito de oportunidades, a chance chegou e não tem o que escolher. Jogador de futebol é pago para aguentar a pressão, não para jogar bem. Eu não posso escolher o melhor cenário para jogar. O cenário é esse a gente tem que se virar com o que tem. Acho que já sou maduro suficiente, já passei por situações bem divergentes, jogar com o Palmeiras não é tão difícil assim, não. Ter um filho com 17 anos é mais difícil que jogar com o Palmeiras”, brincou. O jogo contra o alviverde será domingo (16), às 11h, em São Paulo. 

O camisa 3 fará sua estreia ao lado de Alan Costa ou Renê Santos, que não teve lesão constatada no tornozelo e também é opção. O Vitória também terá os desfalques do volante Willian Farias, que distendeu o ligamento do joelho, e do atacante Kieza, artilheiro do time na temporada, com 12 gols, que passou por cirurgia no ombro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas