Setor de serviços na Bahia tem queda recorde de 21% em relação a março, diz IBGE

economia
18.06.2020, 15:12:35
(Tiago Caldas/CORREIO)

Setor de serviços na Bahia tem queda recorde de 21% em relação a março, diz IBGE

Se comparado com abril de 2019, a queda é ainda mais acentuada, de 29,9% - a maior desde 2011

O volume do setor de serviços na Bahia sofreu uma queda recorde no mês de abril em relação a março. Os dados, divulgados nesta quinta-feira (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que houve queda considerável tanto na comparação com o mês anterior (-21,0%), na série com ajuste sazonal, quanto frente ao mesmo mês de 2019 (-29,9%). Foram os maiores recuos da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE, iniciada em 2011. 

Frente a março, a queda dos serviços baianos (-21,0%) foi bem superior à verificada no Brasil como um todo (-11,7%, também recorde para o país desde 2011) e a terceira mais intensa entre os estados. Só Alagoas (-26,5%) e Ceará (-21,8%) mostraram resultados piores que o da Bahia.

De março para abril, quase todas as 27 unidades da Federação apresentaram recuos no volume de serviços prestados: houve crescimento somente em Mato Grosso (9,0%).

Na comparação com abril de 2019, o setor de serviços na Bahia teve queda ainda mais profunda (-29,9%), também muito maior que a nacional (-17,2%) e a segunda mais intensa entre os estados. Apenas Alagoas (-32,3%) apresentou resultado pior.

Comparado com o mesmo mês do ano passado, dentre os estados, apenas Rondônia teve alta no setor de serviços (3,1%). 

Com o quarto resultado negativo consecutivo frente ao mesmo período de 2019, o setor de serviços na Bahia acumula recuo de -12,3% de janeiro a abril de 2020. É a maior queda acumulada no ano, no estado, desde o início da série da PMS, em 2011, e também o pior desempenho dentre as 27 unidades da Federação. 

No país como um todo, os serviços acumulam queda de -4,5% de janeiro a abril de 2020, com resultados positivos apenas em Rondônia (2,7%) e no Amazonas (0,8%).

No acumulado nos 12 meses encerrados em abril, os serviços também seguem em baixa na Bahia (-6,2%). Um desempenho bem inferior ao nacional (-0,6%) e o quarto recuo mais profundo entre os estados.

Turismo
Em abril, as atividades de serviços ligadas ao turismo recuaram fortemente em todos os 12 estados onde esse agregado é investigado separadamente. Na Bahia, as quedas foram recordes na série histórica, iniciada em 2011: de -63,1% frente a março (com ajuste sazonal) e de -72,6% na comparação com abril de 2019.

O desempenho das atividades ligadas ao turismo na Bahia, em abril, ficou abaixo do verificado no país como um todo (-54,5% frente a março e -67,3% na comparação com abril/19). 

A queda de março para abril no estado (-63,1%) foi a segunda mais intensa, acima apenas da verificada no Rio Grande do Sul (-63,9%). Na comparação com abril de 2019, o resultado baiano foi o quinto pior. 

Com o resultado de abril, os serviços ligados ao turismo na Bahia passaram a acumular queda de -19,1% no ano de 2020. O resultado, apesar de bem negativo, ainda está um pouco acima do nacional (-20,9%).

Nos 12 meses encerrados em abril, os serviços turísticos baianos também apresentam recuo acumulado (-5,2%), resultado bem próximo ao do Brasil como um todo (-5,1%).

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas