Show na Concha festeja a chegada de sinal 100% digital da TV Bahia em Salvador

variedades
10.07.2017, 06:01:00

Show na Concha festeja a chegada de sinal 100% digital da TV Bahia em Salvador

Daniela Mercury, Saulo e Márcio Victor estão entre atrações de espetáculo nesta quarta (12). Entrada deve ser trocada por um quilo de alimento não perecível
Daniela Mercury vai celebrar os 50 anos da Tropicália (foto: Arisson Marinho)


Aquela imagem chuviscada e os “fantasmas” que aparecem no sinal de TV aberta que você recebe vão sumir completamente a partir de 27 de setembro. É que a partir deste dia, a TV Bahia vai desligar definitivamente o sinal analógico em Salvador e na Região Metropolitana e o sinal da emissora afiliada à Rede Globo será 100% digital nessas áreas.

E, para celebrar a chegada dessa nova era, a Rede Bahia está preparando uma festa nesta quarta-feira, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, às 19h: Conexão Digital, que vai misturar música e poesia. A equipe de jornalismo da TV Bahia também vai apresentar pequenos programas que envolvem ações sociais como a campanha Sou Mulher, Quero Respeito e o Quadro de Desaparecidos.

Em um show de aproximadamente duas horas, passarão pelo palco músicos baianos como Mateus Aleluia, Márcio Victor, Daniela Mercury, Margareth Menezes e Saulo.

Cada entrada será trocada por 1kg de alimento não perecível de hoje a quarta-feira na bilheteria do TCA. Hoje e amanhã, a a troca pode ser feita das 10h às 22h e na quarta, das 10h às 15h. Cada pessoa tem direito a retirar até dois ingressos. Os alimentos serão doados para seis instituições filantrópicas que desenvolvem trabalhos sociais em Salvador.

Tambor Digital

A direção artística é de Andrezão Simões, que esteve à frente de espetáculos musicais como a cerimônia de entrega do Prêmio Caymmi e Os Irmãos Macêdo, que retorna a partir do dia 13 no Teatro Módulo. “O espetáculo vai reunir comunicação, música e poesia. Na Bahia, em especial, nos interligamos através do tambor. Dos seus primeiros toques, das matrizes indígenas, africanas, europeias, desta miscigenação entre raiz e antena, entre sagrado e profano, que torna este lugar tão especial”, comenta Andrezão.

Saulo fará homenagem à bossa nova nesta quarta-feira (foto: Arisson Marinho)

O espetáculo será também um pretexto para homenagear um instrumentista fundamental para a música baiana contemporânea: Ramiro Musotto (1963-2009), argentino que se radicou na Bahia e introduziu elementos digitais na percussão local. “Ele foi um dos primeiros a trazer o digital para os tambores da Bahia e inaugurou uma época importantíssima pra gente, ainda no início da década de 1980”, observa Andrezão.

A ideia de homenagear Musotto foi de Yacoce Simões, diretor musical do evento. “Os tambores digitais podem trocar de timbre e assumir características diferentes, ou seja, os repiques se transformam em marimbas, que se transformam em berimbaus, atabaques, e sampler de efeitos sonoros”, diz Yacoce.

Para formar a banda que acompanhará todos os artistas nesta quarta, Yacoce - que estará no teclado - convidou os percussionistas Citnes Dias, Eduardo Di Dalva, Eduane e Elber Mario. “Optamos pelo digital também para fazer este link com o tema do evento. Vamos usar também como instrumentos outros elementos que simbolizam a tecnologia, como a antena parabólica”. Yacoce acrescenta que escolheu instrumentistas que conhecessem bem a cultura baiana e que estivesem ambientados a esta conexão entre música e tecnologia.

O Conexão Digital vai também festejar algumas efemérides que marcam a música brasileira: os 70 anos de Moraes Moreira, os 50 da Tropicália e os 60 da Bossa Nova, que serão comemorados em 2018. Capinan, um dos mais importantes compositores do tropicalismo, vai recitar algumas poesias suas, como Miserere Nobis, que deu origem à canção homônima em parceria com Gilberto Gil, gravada no álbum Tropicalia ou Panis et Circencis. Daniela Mercury também vai cantar em homenagem ao movimento que marcou os anos 60. Já a bossa será lembrada por Saulo, que cantará Chega de Saudade acompanhado de Tiganá Santana ao violão.

Para tornar o espetáculo mais ágil, o poeta e músico Maviael Melo criou textos inéditos que serão lidos entre a saída de um artista e a chegada de outro ao palco. “São cinco textos, dos quais quatro são cordéis e um é soneto. O conteúdo deles está relacionado ao tema do espetáculo: um fala sobre o analógico x digital; outro, sobre antenas tropicais, um terceiro, sobre a conexão do tambor...”, diz Maviael. Junto com Bule-Bule, ele vai apresentar uma poesia que compara o rap ao repente. Jackson Costa, Capinan e uma ex-aluna de uma oficina promovida por Maviael vão ler os outros textos. A atriz Maria Menezes, naturalmente, vai ler um texto com uma pegada cômica, com dois personagens: Ana, a lógica e Digi, a tal. O espetáculo será gravado e transmitido em breve pela Rede Bahia.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas