SSP e Sepromi recebem famílias da Gamboa e movimentos sociais

salvador
08.03.2022, 12:54:00
(Alberto Maraux/SSP-BA)

SSP e Sepromi recebem famílias da Gamboa e movimentos sociais

Pperação policial que terminou com três pessoas mortas foi pauta do encontro

Os secretários da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, e de Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis, receberam, na manhã desta terça-feira (8), famílias que moram na comunidade da Gamboa e movimentos sociais, no Centro de Operações e Inteligência (COI). A apuração da operação policial que terminou com três pessoas mortas foi um dos temas de discussão do encontro.

A reunião também abordou a implementação de políticas públicas que visem a  redução das mortes nas operações policiais, maior celeridade nas apurações e a implantação das bodycams.

"A SSP, através da Corregedoria Geral, está acompanhando o caso de perto para que nós possamos esclarecer o mais rápido possível para a sociedade qual foi a dinâmica da operação que aconteceu na Gamboa", afirmou o titular da SSP, garantindo às famílias total empenho da pasta para apresentar respostas aos questionamentos apresentados.

Entre os participantes da reunião estiveram os superintendentes de Inteligência, Ivo Tourinho, de Prevenção à Violência, Denice Santiago, o corregedor Geral da SSP, Nelson Gaspar, além de representantes da Sepromi, da Associação da Gamboa, do Coletivo de Entidades Negras, da Defensoria Pública do Estado e do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra.

Ana Caminha, presidente da Associação de Moradores da Gamboa, pediu durante a reunião que a SPP retirasse o posto móvel policial da comunidade. "O posto móvel da não era pra fazer nossa segurança, mas sim um posto que estava com medo da comunidade, como se estivesse protegendo a sociedade da gente", disse a representante.

A associação também solicitou que os policiais envolvidos na mortes dos três jovens não atuassem mais no bairro. Segundo ela, o secretário afirmou que atenderia aos pedidos e também garantiu um delegado exclusivo para ouvir as oitivas da comunidade. "Próximo passo agora é buscar testemunhas para prestar depoimento", finalizou. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas