‘Starbucks’ made in Cajazeiras, cafeteria fatura até R$ 8 mil por mês

salvador
15.08.2021, 07:00:00
Alexia Ribeiro criou a Confé, após perder o emprego no ano passado (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

‘Starbucks’ made in Cajazeiras, cafeteria fatura até R$ 8 mil por mês

Com preços mais populares que variam de R$ 3 a R$ 9, a Confé já vendeu mais de 4 mil unidades da bebida gourmet

Café encorpado, num copinho todo cheio de bossa. Onde vende esse café gourmet e estiloso? É ali, na Galeria Point 19, em Cajazeiras 8, que tem a sua própria versão da Starbucks, uma das maiores redes de cafeteria do mundo. Após perder o emprego de assistente financeira no início da pandemia, Alexia Ribeiro não hesitou em empreender. Pegou o dinheiro que recebeu do FGTS, confiou que ia dar certo e foi assim que criou a Confé Cafeteria (@confecafeteria_).

“Investi em uma estratégia de marketing, que é o nosso copo biodegradável, e também na qualidade do café que utilizamos, que é o gourmet. Também diversifiquei o cardápio, entre quentes e gelados. Temos até café proteico”, conta Alexia. Desde a abertura até hoje foram 4 mil cafés vendidos e em média 650 cafés por mês, o que alcançou um faturamento mensal em torno de R$ 8 mil. Com fé e café, todo mundo chega lá. 

Referência musical reforçada no Instagram da marca, onde logo abaixo do nome está o slogan ‘Café não costuma faiá’. “Fui demitida no auge da pandemia e sabia que uma oportunidade de trabalho era ainda mais difícil. Abri em setembro do ano passado, montei a ideia da Confé em 30 dias e desde lá são mais de 10 meses de grandes desafios. Enfrentei um lockdown, mas me mantive firme para continuar. Nascida e criada em Cajazeiras, tenho 27 anos morando aqui, então nada mais justo que fortalecer o comércio local e trazer uma novidade pra o meu bairro”, detalha Alexia.

A Confé veio com proposta de evitar aglomeração e popularizar também a versão gourmet do cafezinho nosso de cada dia. O espaço é pequeno e a maior parte das vendas é justamente para retirar a bebida ou fazer o pedido delivery, como explica Alexia.

“O preço que trabalho é bem mais baixo comparado a um ambiente de shopping. Temos no cardápio cafés que custam de R$ 3 (expresso puro) a R$ 9 (café e whey protein)”.

O queridinho é o capuccino, que varia de R$ 3 a 6 (quente) e R$ 7 a 9 (gelado). O consumo médio por cliente em cada pedido é de R$ 9. “No empreendedorismo, você tem que se diferenciar no meio da multidão. O nosso café é especial, mas muitas pessoas vão com o interesse de ter o nosso copinho e pelo nome - que é uma licença poética à música de Gilberto Gil”.

O atendimento é outro fator que conta bastante: “É permitir que ele (cliente) saiba quem está por trás daquele negócio, principalmente hoje, em que é tudo virtual. É fundamental manter uma comunicação humanizada, fazer com que ele se sinta mais próximo. Já temos clientes fiéis do nosso bairro e de outros locais que foram já visitar presencialmente ou consomem através de delivery”, reforça a empresária.

Além do café
Para quem ainda não sabe, o apelido de ‘Starbucks de Cajazeiras’ nasceu do perfil do Instagram Soteropobretano, que acumula 174 mil seguidores e ajudou a cafeteria a ganhar as redes sociais, como pontua Alexia. “Na verdade, eu nunca fui numa Starbucks, mas quando se fala em café sei que a marca é referência. As redes sociais foram fundamentais para tornar a gente mais conhecido. O perfil @soteropobretano contribuiu muito para esse crescimento. Na página da Confé eu tenho apostado muito em fotos e minivídeos para interagir com os seguidores e convertê-los em novos clientes”, comenta.

Como ninguém faz nada sozinho, para aumentar a presença e o mix de produtos da cafeteria, Alexia começou a organizar uma rede de mulheres empreendedoras de Cajazeiras, que fornecem os acompanhamentos para serem vendidos na Confé. Tem pão delícia recheado, quiche, pastel de forno, bolo de pote, sequilho, brownie e sanduíche natural.

“Desde o início, pensei em como fortalecer o empreendedorismo feminino e busquei parceiras. Tenho, atualmente, nove mulheres no grupo e cada uma delas oferece uma opção de acompanhamento. Isso só agrega, tanto para a Confé, como para essas mulheres. Muitas perderam seus empregos e precisaram se reinventar na pandemia”.

Em breve, a Confé deve lançar outros sabores de café gourmet, como adianta Alexia. Nos planos está também expandir o alcance para outros locais de Salvador, além de um espaço maior para a loja. “Meu maior sonho no momento é ter esse local mais confortável e, se Deus permitir, aumentar a presença em outros bairros. Quanto ao cardápio, quero trazer opções de café com leite vegetal para veganos e vegetarianos. Estou estudando algumas estratégias para atrair esse público”, completa.


AS DICAS DE ALEXIA

. Cuide das finanças Organize direitinho o planejamento financeiro do seu negócio.

. Inovar é ser criativo Busque sempre inspirações para ter boas ideias de serviços, produtos e de como ganhar seu cliente.

. Os riscos existem Não tenha medo deles. O importante é buscar uma solução para saber a melhor maneira de vencê-los.


QUEM É

Alexia Ribeiro é administradora de empresas e criadora da Cafeteria Confé.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas