Substituto de Eduardo, Éder avalia ano do Bahia como positivo

e.c. bahia
28.11.2017, 16:23:00
Atualizado: 28.11.2017, 16:23:54
Sem Eduardo, Éder ganhará chance no time titular contra o São Paulo (Foto: Marcelo Malaquias/EC Bahia)

Substituto de Eduardo, Éder avalia ano do Bahia como positivo

Zagueiro vai atuar improvisado como lateral diante do São Paulo, domingo (3), no Morumbi

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Se para os torcedores a despedida do Bahia da Fonte Nova em 2017 teve gosto de frustração pela derrota por 1x0 para a Chapecoense, no geral a temporada do tricolor foi avaliada como positiva pelos jogadores. No em que voltou à primeira divisão, o Esquadrão garantiu, pelo menos uma vaga na Copa Sul-Americana de 2018, e, de acordo com o zagueiro Éder, vai brigar até o fim por uma vaga na Libertadores.

"Acho que, no geral, foi uma temporada bem produtiva para o Bahia. Cumprimos nossos objetivos. O objetivo maior era se manter na Série A. Dentro desse objetivo, tinham outros. A Copa do Nordeste, que a gente recuperou a confiança do torcedor ali, com o título. Acho que, no Brasileirão também, querendo ou não, no final da gente teve uma boa produtividade, porque estamos a uma vitória de ter o melhor rendimento do Bahia dentro da competição. Acho que foi um ano produtivo. A gente ainda tem chances de brigar por competições maiores, mas já falando poucos dias antes do último jogo, acho que foi um ano grande para a gente", analisou o defensor.

No último jogo do Bahia na temporada, diante do São Paulo, neste domingo (3), no Morumbi, Éder ganhará chance no time titular. Sem Eduardo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, ele atuará improvisado na lateral direita. Posição em que já está acostumado a jogar.

"Estarei sempre disposto, durante todo o ano. Como zagueiro ou como lateral. Onde o treinador preferir. E o Eduardo, como você falou, disputou praticamente todos os jogos. É um jogador que sempre contribuiu com a gente. Um cara muito útil ao elenco. Mas eu soube esperar o meu momento. Por mais que seja na última, a gente vai esperar o que o professor Carpegiani decidir. Mas vou estar disposto, novamente. Se precisar, faço ali [a lateral] tranquilamente. Não vejo nenhuma dificuldade, me sinto bem ali. E estou pronto para o jogo", afirmou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas