Suspeito de estuprar e matar jovem após troca de pneu não irá a júri popular

brasil
13.10.2019, 17:25:00
Atualizado: 13.10.2019, 17:35:53

Suspeito de estuprar e matar jovem após troca de pneu não irá a júri popular

Segundo MP, principal crime cometido pelo acusado foi o latrocínio, que não se enquadra nesse tipo de julgamento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.


Acusado de estuprar e matar a universitária Mariana Bazza em Bariri, no interior de São Paulo, depois de premeditar um assalto no qual furou o pneu do carro dela e ofereceu ajuda, Rodrigo Pereira Alves não irá a júri popular e será julgado pela Justiça Comum. Isso porque, segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público e aceita pela Justiça, o principal crime cometido por Rodrigo foi o de latrocínio, que não se enquadra nos crimes dolosos contra a vida que preveem o Tribunal do Júri.

De acordo com a denúncia do MP, Rodrigo roubou o carro, a carteira da vítima com documentos pessoais, R$ 110 em dinheiro, o celular dela e uma caixa de som.

“O principal crime é o latrocínio, roubo seguido de morte, que é diferente do artigo 121 sobre homicídio, o crime contra a vida. Por isso, ele terá um julgamento na Justiça Comum e não júri popular. Mas, o latrocínio tem pena alta, de 20 a 30 anos”, explicou Guilherme Bittencourt Martins, advogado e Presidente da Comissão de Direito Penal e Processual, ao G1.

A pena de Rodrigo pode ser agravada pelo fato de ele ser multireincidente e cumprir pena de um crime anterior em regime aberto -  ele já cumpriu pena de 16 anos por roubo, sequestro, extorsão e latrocínio tentado, e havia saído da cadeia cerca de 30 dias antes do crime -, além de  de ser acusado de estupro e ocultação de cadáver.

O laudo necroscópico do IML de Araraquara apontou que a vítima que tinha 19 anos foi estuprada e morta na chácara onde o acusado trabalhava como pintor.

A pena prevista para crime de estupro varia de 6 a 10 anos, mas pode ser aumentada no caso de lesão corporal grave ou morte provocada pelo ato e se a vítima é menor de idade. No caso da ocultação de cadáver, a pena varia de 1 a 3 anos de prisão.

Relembre o caso
Rodrigo atraiu a jovem para a chácara com a promessa de consertar o pneu do carro dela – que, segundo o Ministério Público, ele mesmo havia esvaziado. A abordagem aconteceu quando Mariana saiu da academia, por volta das 8h do dia 24 de setembro.

Após ameaçar a vítima com uma faca, ele usou pedaços da blusa dela para vendá-la e amordaçá-la. Laudo apontou também que após o estupro, Mariana foi morta asfixiada estrangulamento. O acusado usou um tecido da própria roupa dela para estrangulá-la.

Ainda de acordo com a denúncia, Rodrigo saiu da chácara para calibrar o pneu com o corpo de Mariana dentro do carro. O corpo foi localizado no dia 25 de setembro em uma área de canavial na zona rural de Ibitinga.Desde essa data, o acusado está preso na Penitenciária de Iaras.

Crime premeditado
Uma câmera de segurança da academia que Mariana frequentava registrou quando Rodrigo se aproxima do carro da vítima e fica encostado nele durante alguns minutos.Nesse momento, segundo a polícia e o MP, Rodrigo murchou o pneu do carro para, depois, oferecer ajuda.

Cerca de meia hora depois, quando a jovem sai da academia e encontra o pneu vazio, Rodrigo, que estava do outro lado da avenida, começa a gritar para alertar sobre o problema - apesar dele não ter visão nenhuma do pneu vazio, o que comprova a teoria de que ele premeditou o crime.

Segundo o relato da amiga da vítima, Heloísa Passarello, Rodrigo atravessou a avenida falando sobre o problema e insistindo para que ela aceitasse ajuda.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/bisneta-de-mae-senhora-inspira-baiana-azul-de-amaralina-conheca-cida-de-nana/
Bel Borba a contratou como modelo para monumento às baianas sem saber de ascendência, que inclui Mestre Didi e uma das fundadoras da 1ª casa de candomblé
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/em-quarentena-anitta-lanca-clipe-para-tocame-com-gui-araujo-assista/
Vídeo traz fãs dançando em casa; é a primeira vez que funkeira contracena com namorado
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/secretario-do-ministerio-da-saude-destrata-garcom-em-transmissao-ao-vivo-sai-dai/
Élcio Franco falava em medidas de segurança para reabertura da economia quando se incomodou com presença de servidor
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/policia-acredita-que-naya-rivera-se-afogou-e-busca-agora-e-por-corpo/
Imagens de câmera de segurança mostram ela saindo no barco com filho
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/sandy-junior-contam-a-propria-historia-em-serie-documental/
Produção em sete capítulos do Globoplay inclui imagens caseiras dos irmãos, ainda antes de serem profissionais
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/pensei-em-me-matar-diz-atriz-de-malhacao-apos-video-em-site-porno-veja-desabafo/
Pillar Costa, que atuou na novela da Globo no ano passado, entrou em depressão
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/claudia-leitte-festeja-40-anos-com-live-repleta-de-convidados/
Any Gabrielly, Léo Santana, Zaac, Hungria Hip Hop, Lore Improta, Bera e Dennis DJ estarão na festa
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/nivus-ja-rodamos-na-bahia-com-o-novo-suv-da-volkswagen/
Em vídeo, apresentamos as primeiras impressões sobre o veículo que tem piloto automático inteligente e detector de fadiga
Ler Mais