'Tá caindo gelo': Salvador tem chuva de granizo no 1º dia do ano; veja vídeo

salvador
01.01.2020, 17:15:00
Atualizado: 01.01.2020, 19:46:24
(Foto: Tiago Azeviche/Leitor CORREIO)

'Tá caindo gelo': Salvador tem chuva de granizo no 1º dia do ano; veja vídeo

Cidade também registrou raios e trovões, além de alagamentos e deslizamentos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O ano de 2020 chegou causando. A chuva que começou a atingir Salvador e Região Metropolitana na noite de segunda-feira (30) veio acompanhada de raios e trovões e até granizo nesta quarta-feira, primeiro dia do ano. Houve pontos de alagamento na cidade e até as 17h a Defesa Civil (Codesal) havia registrado 26 ocorrências.

E, sim, choveu mesmo gelo em Salvador! Pode até parecer piada (ainda mais na véspera da estreia de 'Frozen 2' nos cinemas da cidade), mas é verdade. Vários internautas registraram a queda do granizo e a Codesal confirmou e explicou o fenômeno. 

"Com o recebimento de diversas imagens acerca de chuva de granizo em Salvador, a Defesa Civil de Salvador informa que a formação de granizo ocorre por fatores de contraste no clima quente e frio em nuvens de cúmulo-nimbo (que se desenvolvem verticalmente). O clima quente e os ventos fortes geraram um ambiente propício para a precipitação de granizo). No Nordeste não é comum a formação de granizo devido à temperatura alta, mas o fato de ocorrer ventos fortes no período desenvolveu o fenômeno", diz o órgão municipal, em nota.

"Tá caindo gelo", diz uma cinegrafista amadora ao mostrar as pedras de gelo na vizinhança. "Ó, gente, tá caindo granizo do céu. (...) Tá pensando que Salvador é fraca? Salvador é barril! Até gela", brinca, no final da gravação.

Em outro ponto da cidade, um homem chega a pegar uma das pedras de gelo e mostrá-la. Veja abaixo.

Na região da Via Expressa, outro registro do fenômeno que circula nas redes sociais. "Eu vivi pra ver granizo em Salvador", diz uma pessoa a bordo de um veículo na região da Rótula do Abacaxi.

O leitor Tiago Azeviche também mostrou o fenômeno em casa, no bairro do Cabula. Ele chega a mostrar uma das pedras de gelo que caiu no telhado. Assista abaixo.

Transtornos
As avenidas Mario Leal Ferreira (Bonocô), Luís Viana Filho (Paralela) e Afrânio Peixoto (Suburbana) tiveram trechos alagados. Na Avenida ACM uma poça se formou nas imediações da Comercial Ramos e os motoristas precisaram reduzir a velocidade para conseguir atravessar.

Mas foram os raios que mais assustaram os soteropolitanos. No Cabula, a estudante Elisângela Lima, 23 anos, contou que ficou com medo. “Os relâmpagos estavam muito fortes, clareando a casa toda. Vi pela janela aqui de casa muitos raios caindo. Ficamos todos muito assustados, mas, graças a Deus, ninguém ficou ferido”, contou.

Já em Fazenda Coutos, no Subúrbio Ferroviário, a chuva chegou durante a madrugada. Segundo a Codesal, o bairro foi o mais castigado pelas chuvas nas últimas 24 horas. A costureira Vera Lúcia de Jesus, 62, estava em casa quando o mau tempo começou, na tarde desta quarta (1º).

“Estava trabalhando, mas desliguei a máquina porque estava trovejando muito. A chuva agora à tarde foi mais fraca que a da madrugada, mas teve relâmpago e trovão. Desligamos também a televisão e esperamos passar. A rua alagou, mas depois estiou e a água escorreu. Hoje, o dia inteiro foi de tempo nublado”, disse.

No IAPI, uma árvore caiu sobre um táxi (Foto: Leitor CORREIO)

No bairro do IAPI foi a ventania que fez estragos. Uma árvore caiu sobre um táxi e o motorista precisou de atendimento médico. Casas foram destelhadas e algumas das telhas ficaram presas na fiação dos postes de eletricidade.

Quem estava na Arena Daniela Mercury, na Boca do Rio, também precisou procurar abrigo, mas o movimento de foliões ainda era pequeno no momento da chuva. Na segunda-feira (31), o mau tempo atrapalhou a festa e três shows foram cancelados.

A chuva desta quarta foi mais intensa durante a tarde. Ainda de acordo com a Codesal), até as 17h os bairros mais castigados nas últimas 24 horas foram Fazenda Coutos (41,4 mm), Rio Sena (35,4 mm), Bom Juá (32,2 mm), Valéria (29,7 mm), e Fazenda Grande do Retiro (27,1 mm).

Alagamentos de imóveis lidera a lista de ocorrências com 6 casos. Ele é seguido de deslizamento de terra (5), árvores caídas (5), destelhamento (3), avaliação de imóvel alagado (2), ameaça de desabamento (1), ameaça de deslizamento (1), desabamento de muro (1), e desabamento parcial (1).

No meio da tarde a Codesal emitiu um alerta de continuidade de chuvas fracas a moderadas, podendo ocasionar alagamentos e possíveis deslizamentos de terra. Em casos de emergência a população pode entrar em contato pelo Disque 199.

Segundo o Instituo Nacional de Meteorologia (Inmet), a chuva deve persistir até o final de semana. A previsão até a sexta-feira (3) é de tempo nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva, e temperatura alternando entre 22ºC e 29°C. Os ventos serão de fracos a moderados. Já no sábado (4) e no domingo (5), a chuva será mais isolada e os termômetros vão marcar até 30°C. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas