Taxista é esfaqueado em assalto após corrida em Sussuarana 

salvador
20.03.2018, 08:30:00
Atualizado: 20.03.2018, 16:46:01

Taxista é esfaqueado em assalto após corrida em Sussuarana 

R$ 846 foi levado da vítima

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O taxista Anderson Nascimento dos Santos Anjos, 28 anos, deu entrada no Hospital Geral do Estado (HGE),  na tarde desta segunda-feira (19), após ser esfaqueado na mão direita, durante assalto, no bairro de Sussuarana, em Salvador. 

A vítima relatou que foi ferida por um bandido que se passou por passageiro. Anderson teve alta poucas horas após receber atendimento médico.

O crime ocorreu no bairro de Sussuarana. Sem dar maiores detalhes sobre ter reagido ou não à investida do bandido, o taxista disse que o criminoso levou objetos que estavam em seu carro e R$ 846 em dinheiro. Anderson chegou no HGE por meios próprios, dirigindo seu táxi, de alvará A-6825.

Conforme boletim de ocorrência registrado na unidade de saúde, a corrida teve fim na Avenida Gal Costa, próximo ao Campo Beira Rio, no bairro de Sussuarana. O crime é investigado pela 11ª Delegacia (Tancredo Neves). 

Procurada pelo CORREIO, a Polícia Civil informou que que as investigações ainda não foram iniciadas e que a ocorrência foi registrada após entrada da vítima no HGE. Ainda de acordo com a polícia, Anderson ainda não compareceu à delegacia para prestar depoimento.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou, por meio de sua assessoria, que uma reunião entre o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, e representantes de taxistas, ocorrida em fevereiro, definiu que a categoria tem prioridade nos atendimentos em todas as delegacias de Salvador e Região Metropolitana. 

O encontro, que ocorreu no Centro de Operações e Inteligência da SSP, definiu também que grupos especializados da Polícia Militar, como o Esquadrão Águia e a Operação Gêmeos, ficariam responsáveis por abordar táxis em caso de suspeitas. 

Na ocasião, Maurício Barbosa informou que o diálogo direto entre a pasta e os taxistas rende "bons frutos". “Estamos com um canal muito aberto com a categoria e juntos estamos conseguindo definir ações efetivas que levem maior segurança aos motoristas de táxis, dentro das possibilidades e das limitações jurídicas da secretaria”, afirmou o titular da pasta.

Procurada, a Polícia Militar informou que a Operação Apolo realiza operações com blitz e abordagens a veículos suspeitos "de acordo com a mancha criminal, que é composta pelos registros de ocorrências realizados nas delegacias da Polícia Civil".

Ainda de acordo com a corporação, ao longo dos anos a Operação Apolo intensificou o policiamento para reduzir a incidência de crimes relacionados ao roubo de veículos. "As atuações são realizadas com correção e inteligência, com o objetivo de acompanhar as mudanças de comportamento e destreza dos criminosos", informa a PM, em nota.

Segundo a Polícia Militar, todo e qualquer veículo que apresente alguma suspeição são abordados e os táxis não ficam de fora, principalmente quando os veículos estão transitando com passageiros que esbocem alguma atitude duvidosa.

O CORREIO tentou contato com a Associação Geral dos Taxistas (AGT) mas não obteve retorno.

Rio Vermelho 
No bairro do Rio Vermelho, equipes da 12ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Rio Vermelho) prenderam, na noite de segunda-feira (19), dois casais de assaltantes, após roubo contra um taxista. Com os suspeitos, reconhecidos pela vítima, foram recuperados cinco celulares, carregador portátil, R$ 157, entre outros pertences.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), os militares abasteciam a viatura quando o taxista informou que tinha sido assaltado por dois casais, em outro táxi. "A vítima informou a direção tomada pelos assaltantes e os PMs alcançaram o carro, com os criminosos, no bairro do Stiep. 

A abordagem foi realizada e o quarteto, após reconhecimento da vítima, confessou o crime. Os casais foram apresentados, na Central de Flagrantes. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas