Tenente da Rondesp morto em Cosme de Farias pedia mais valorização dos policiais

salvador
13.09.2021, 08:49:36
Atualizado: 13.09.2021, 10:14:39

Tenente da Rondesp morto em Cosme de Farias pedia mais valorização dos policiais

Mateus foi surpreendido por grupo de homens armados que dispararam contra policiais
(Foto: Reprodução)

O tenente da Rondesp, Mateus Grec de Carvalho Marinho, usou as redes sociais para pedir mais prestígio aos policiais poucos dias antes de ser morto durante uma ação policial em Cosme de Farias, em Salvador, neste domingo (12).

“A coroação de todo um trabalho de um pelotão f***. O melhor pelotão de polícia. Quando cheguei falei que ia apresentar um fuzil. Ontem foi esse dia. Apresentar o primeiro fuzil da Rondesp Atlântico foi uma realização pessoal. É lama, é mato, chuva, é charco. Menos um fuzil na área, menos um perigo para nossos irmãos policiais. Um fuzil de assalto  M4 556 com luneta de precisão. Armamento pesado nas favelas da cidade”, escreveu o policial em seu Instagram na legenda de uma foto onde aparece com uma arma.

Na publicação, ele ainda pediu "mais prestígio as ações dos policiais que combatem o crime organizado no terreno. Pela própria instituição e pela sociedade. É o que estamos enfrentando todos os dias."

(Foto: Reprodução)

Na rede social, Mateus compartilhava sua rotina como policial. "Irmãos de rondas", dizia uma foto com colegas PMs. Em um post da festa de Iemanjá em 2019, ele escreveu: "Pouco dinheiro e muito trabalho". Em outros posts, Mateus mostrava também cenas do dia a dia fora da polícia. Apaixonado por cães, aparecia com animais. Era também flamenguista e fã de leituras, especialmente do "mestre do terror", Stephen King.

Amigos deixaram comentários. "Te amamos para sempre", escreveu um. "Nossas conversão vão fazerf falta, que a justiça seja feita", compartilhou outro. "Não consigo acreditar nisso, meu coração está dilacerado", escreveu uma amiga. Outros afirmaram estar em choque.

Crime
O tenente, ao lado de equipes da 58ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) , fazia uma ronda por volta das 20h na Rua Araçatuba, no Alto do Cruzeiro quando foram surpreendidos por um grupo com dezenas de homens armados. Baleado no tórax, Mateus chegou a ser levado ao Hospital Geral do Estado (HGE), onde morreu.

Depois da morte do PM, um dos suspeitos ainda fez uma família refém no Alto do Cruzeiro. Três adultos e três crianças foram mantidos na casa durante negociação com a polícia. A situação acabou por volta das 23h.

A morte de Mateus foi a segunda de policial militar no final de semana na Bahia. Na madrugada do sábado, em Porto Seguro, no sul baiano, o soldado Antonio Elias Matos Silva, 31 anos, foi morto durante abordagem a duas pessoas, que reagiram atirando. Antonio foi atingido e encaminhado ao hospital Regional de Eunápolis, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas