Traficante que se passava por pastor é preso durante culto em Lauro de Freitas

bahia
01.10.2018, 18:14:00
Alexandre Mendonça com policiais civis de Limoeiro (PE), para onde foi encaminhado após ser preso na Bahia (Foto: Divulgação/SSP-BA)

Traficante que se passava por pastor é preso durante culto em Lauro de Freitas

Procurado em Pernambuco, líder de quadrilha também era empresário na Bahia

Líder de uma quadrilha de traficantes da cidade de Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, Alexandre de Mendonça da Silva Filho, 33 anos, era um cidadão acima de qualquer suspeita em território baiano, onde vivia ultimamente.

Segundo o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), apesar do envolvimento em crimes como homicídios, roubos, além da venda de drogas, no seu estado natal, ele atuava como pastor e dono de uma empresa que faz entrega de pizzas em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador (RMS). 

A revelação veio no último sábado (29), quando ele foi capturado por policiais civis do Draco durante um culto na Igreja Batista Poço de Jacó, da qual era líder religioso.

Com três mandados de prisão em aberto em Pernambuco, o criminoso foi encontrado após a Polícia Civil pernambucana ser indicada que Alexandre estaria na RMS. A partir daí, a Polícia Civil baiana foi acionada e passou a investigar o bandido.

Equipes do Draco, em duas semanas, descobriram que Alexandre vivia em Lauro de Freitas, onde era pastor e mantinha uma empresa que realizava entrega de pizzas. Os policiais civis montaram campana e efetuaram a prisão. 

Alexandre já foi encaminhado para Pernambuco por equipes da Polícia Civil daquele estado.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas