Tsunami? Que nada! A ameaça natural ao litoral da Bahia é outra

salvador
29.11.2021, 06:30:00

Tsunami? Que nada! A ameaça natural ao litoral da Bahia é outra

Perigo já está entre nós e vem da areia: ouça o podcast e veja o que você pode fazer

Você é daquele tipo que ama praia? Ficou com medo daquelas imagens da Cidade Baixa e outras faixas litorâneas de Salvador completamente inundadas pelo avanço da maré? Pois, saiba: esse perigo é real. E não é nenhum tsunami chegando.

A COP 26, passou e não sabemos se você prestou atenção, mas os danos do aquecimento global são quase irreversíveis. E muito disso pode respingar aqui, na Bahia, estado com o maior litoral do Brasil. Sim: em poucos anos, a sua praia pode sumir ou virar um amontoado de pedras.

No 27º episódio do podcast O Que a Bahia Quer Saber, ouvimos especialistas para entender o que é o aumento do nível dos oceanos e como isso pode afetar a Bahia. Pelas projeções atuais, em quantos anos podemos ter áreas inundadas na nossa costa?

Clique no player abaixo para ouvir o episódio do O Que a Bahia Quer Saber:

Para ouvir diretamente no Anchor, clique aqui.

Você também pode ouvir em outros aplicativos (veja abaixo)

Porém, aqui vai um spoiler: o aumento do nível dos oceanos não é o maior perigo que corremos. Nem o tsunami, claro. A maior vilã é a erosão costeira, processo de degradação que você já deve ter presenciado em alguma praia baiana. Lembra da sua infância? A linha do mar não estava mais distante?

Afinal, por que a erosão costeira é o maior perigo? Por que ela está tão acelerada? Quais as regiões da Bahia que já precisam lidar com isso imediatamente? E mais: o que podemos fazer, junto ao Governo, para tentar segurar os danos?

Para o podcast, ouvimos Neca Marcovaldi, fundadora do Projeto Tamar. Além disso, ouvimos os professores de Geologia da UFBA, Guilherme Lessa e José Maria Landim Dominguez. Além disso, entrevistamos o professor João Wagner Alencar Castro, da UFRJ

Toda semana, você tem no podcast O Que a Bahia Quer Saber uma matéria especial em formato de áudio. Um mergulho em algum tema de relevância para o estado. Você poderá acessar os episódios aqui mesmo no site do Correio* no seu aplicativo favorito de podcasts: no Spotify, no Deezer, no Anchor, no Google Podcasts ou no Apple Podcasts.


Você também pode ouvir nos aplicativos de sua preferência:


Spotify:

Para ouvir diretamente no Spotify, clique aqui.


Apple Podcasts:

Para ouvir diretamente no Apple Podcasts, clique aqui.


Castbox:

Para ouvir diretamente no Castbox, clique aqui.


Deezer:


Para ouvir diretamente no Deezer, clique aqui.


Google Podcasts:


Para ouvir diretamente no Google Podcasts, clique aqui.


Outros aplicativos


Para ouvir no Stitcher, clique aqui.

Para ouvir no Pocket Casts, clique aqui.

Para ouvir no Breaker, clique aqui.

Para ouvir no Radio Public, clique aqui.


Mas... O que é "podcast"?

Podcast é um programa de áudio, igualzinho a um de rádio. A diferença é que você pode ouvir quando, como e onde quiser. Pode ser no celular, no computador ou na TV. Se quiser, você pode pausar, voltar, adiantar ou pular os trechos, se preferir.

Para ouvir, basta tocar no player acima. Ou, se preferir, basta clicar nos links para ouvi-lo no Spotify, no Deezer, no Apple Podcasts ou no Google Podcasts. Também é possível buscar os episódios diretamente nos aplicativos.

O Que a Bahia Quer Saber

O CORREIO produz podcasts desde 2017, quando iniciou o Bate-Pronto Podcast, sobre futebol baiano. Em 2020, lançamos o O Que a Bahia Quer Saber, podcast diário com notícias relevantes para o estado.

Em 2021, o O Que a Bahia Quer Saber volta com formato especial: a cada semana, o leitor (e ouvinte!) terá uma matéria especial, com o padrão do CORREIO de jornalismo, porém explorando toda a riqueza que o áudio pode trazer.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas