Tubulação sofre vazamento e água invade casas em Campinas de Pirajá

salvador
05.08.2022, 16:43:30
(Foto: Marina Silva/ CORREIO)

Tubulação sofre vazamento e água invade casas em Campinas de Pirajá

Vazamento foi contido, mas moradores contabilizam prejuízos

Um vazamento de água intenso alagou a casa de moradores da Rua Vinte de Agosto, no bairro de Campinas de Pirajá, em Salvador, na manhã desta sexta-feira (05). De acordo com os residentes, a água começou a escoar de um cano por volta das 3h da madrugada e seguiu até às 8h, quando a Embasa - Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A conteve o problema. 

A comunidade relatou que a água vazou de um cano localizado em uma área onde passam muitos veículos de grande porte. Ainda de acordo com os moradores, não é a primeira vez que a tubulação estoura e causa o vazamento. A surpresa foi o intenso fluxo de água, que invadiu e alagou as casas, além de ter formado, em um dos pontos da rua, um buraco no chão.

Os residentes afirmam que acionaram a Embasa ainda na madrugada, mas o chamado só foi atendido no início da manhã, por volta das 7h30. O abastecimento foi interrompido para a realização dos reparos e normalizada após o fim do trabalho.

Água invade casas
O ponto em que o cano estourou fica no topo de uma escadaria e a água escoava até o final da estrutura. Em toda a sua extensão há casas e pelo menos cinco delas ficaram alagadas.

A aposentada Soraia de Andrade, 62 anos, conta que a água descia “como uma cachoeira”. Era 3h da madrugada quando ela viu sua casa começar a alargar. “Não é a primeira vez que o vazamento acontece, mas nunca tinha entrado água na minha casa e desta vez entrou”.

Soraia teve a casa alagada pela água que vazou de uma tubulação da Embasa (Foto: Marina Silva/ CORREIO)

Alguns móveis foram atingidos pela água, mas Soraia, que mora com o marido aposentado e vive apenas das pensões, não tem condições de repor os objetos. “Minha mesa, fruteira, cama e sofá foram atingidos. Eu não posso pagar nada disso. A Embasa nos disse para fazer uma carta, tirar fotos e entregar na sede da empresa, então é isso que pretendo fazer”, conta a aposentada.

Barbara Luiza, 18 anos, também teve a residência alagada e contabiliza o prejuízo causado pela água. “Agora eu estou sem sapateira e rack. Meu fogão e sofá também ficaram ensopados, e para completar, até o meu forro de PVC caiu”, lamenta a moradora.  

A reportagem entrou em contato com a Embasa para saber o que provocou o vazamento e o que será feito pelos moradores que foram prejudicados, mas até o momento as perguntas não foram respondidas. 

*Com orientação da subeditora Fernanda Varela
 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas