Turista mineira morre eletrocutada no sul da Bahia

bahia
01.03.2022, 22:46:00
(Foto: Reprodução/Instagram)

Turista mineira morre eletrocutada no sul da Bahia

Jovem estava com filha de 4 anos no colo

Uma jovem de 27 anos morreu eletrocutada, no último domingo (27), após pisar em um fio de alta tensão na Avenida Oceânica, na cidade de Nova Viçosa, no sul da Bahia. A vítima, natural de Minas Gerais, estava no estado a passeio. 

Camila Pinheiro da Costa, nascida em Governador Valadares, no interior de Minas Gerais, estava com a filha de 4 anos no momento do acidente. A criança foi salva por moradores, mas, por causa da corrente elétrica, a turista morreu ainda no local.

De acordo com o G1 Bahia, a delegacia da cidade confirmou que a morte foi acidental e que uma perícia está em andamento. A Coelba lamentou o acidente e esclareceu que, imediatamente após tomar conhecimento da ocorrência, encaminhou equipe ao local e realizou o reparo na rede elétrica. A empresa informa, ainda, que está em contato com a família da vítima para prestar o auxílio necessário e que as causas estão sendo analisadas.

A polícia aguarda o envio de documentos para a liberação do corpo da turista que, até esta terça-feira (1), ainda estava no Departamento de Polícia Técnica (DPT). 

Camila era servidora pública em Governador Valadares e trabalhava como recepcionista no ambulatório Dr. Ruy Pimenta. Em nota, a prefeitura da cidade, através da Secretaria Municipal de Saúde, lamentou a morte da jovem: “A Secretaria se solidariza com a família da servidora, pedindo a Deus a plena recuperação da filha e que conforte e fortaleça a todos neste momento de dor”.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas