'Uh, vai morrer': mãe do menino Henry foi recebida na cadeia com gritos de ameaça

brasil
11.04.2021, 15:39:00
Atualizado: 11.04.2021, 16:02:59
(Reprodução)

'Uh, vai morrer': mãe do menino Henry foi recebida na cadeia com gritos de ameaça

Presas do Instituto Penal Ismael Sirieiro se mostram revoltadas com a morte do garoto de quatro anos; Monique Medeiros está isolada

A mãe do garoto Henry Borel chegou ao Instituto Penal Ismael Sirieiro, em Niterói, no Rio de Janeiro, sob protestos e ameaças das outras presas. Na chegada até sua cela, a professora ouviu gritos de 'uh, vai morrer'.  As informações são da colunista do UOL, Juliana Dal Piva.

Monique ficará isolada por 14 dias, mas por questões de segurança, é provável que permaneça sozinha. Ainda de acordo com Dal Paiva, desde que chegou ao intituto penal, Monique tem chorado e gritado bastante. Situação que contrasta com o dia do depoimento, quando ela chegou a fazer uma selfie na delegacia.

Ela e o vereador Jairo Souza Santos Junior, o doutor Jairinho, tiveram prisão decretada na última quinta-feira (8). Eles são investigados pelo assassinato de Henry Borel, de quatro anos, filho de Monique. A juíza Elizabeth Louro, do 2º Tribunal do Júri alegou que o casal estaria atrapalhando as investigações.
 
A defesa entrou com um pedido de habeas corpus no sábado alegando que a prisão é desnecessária e afirmando que há ilegalidades cometidas durante as investigações. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas