Unidades de Acolhimento Emergencial funcionarão até março de 2021

salvador
01.10.2020, 14:52:00
Atualizado: 01.10.2020, 15:11:32
(Valter Pontes/Secom)

Unidades de Acolhimento Emergencial funcionarão até março de 2021

Estrutura servirá de abrigo por mais seis meses para a população de rua

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Criadas durante a pandemia do novo coronavírus para acolher provisoriamente pessoas em situação de rua, as Unidades de Acolhimento Emergencial (UAEs) de Salvador funcionarão até março de 2021.

O prefeito ACM Neto anunciou a novidade nesta quinta-feira (1ª), ao informar que os termos de colaboração com as Organizações da Sociedade Civil (Oscips) da capital foram renovados.

A renovação do contrato com a Associação Pleno Cidadão (Aspec) e a Casa das Pérolas permitirá que as 346 vagas para acolhimento emergencial provisório sejam mantidas nas unidades situadas na Liberdade, Roma, Boca do Rio e Coutos por mais seis meses.  

Em seu discurso, o prefeito falou sobre a importância dessas unidades para a população mais vulnerável. “Nós já tínhamos um trabalho anterior com unidades fixas, mas aí veio a pandemia e de imediato nós percebemos que as unidades que nós tínhamos não seriam suficientes para acolher a todos. Por isso, nós alugamos hotéis, motéis e outras estruturas que pudessem receber essas pessoas e contamos com essas organizações, que têm tido uma preocupação muito especial com as unidades de acolhimento”, explicou.

As unidades oferecem atendimento médico e acompanhamento psicológico, além de abrigo e refeições diárias. "Nós também damos todo o material de higiene pessoal e elas ficam o tempo que for necessário, principalmente agora durante a pandemia, em uma estrutura mais reforçada”, completou o prefeito.

Para a renovação de contrato com as duas organizações, o investimento foi de quase R$ 4 milhões. O contrato prevê 80 vagas para homens, mulheres e casais na unidade da Liberdade, 56 vagas para homens com sintomas de alguma infecção ou do coronavírus na unidade de Roma, 160 para homens e casais na Boca do Rio e 50 para famílias na unidade de Coutos.

A titular da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), Juliana Portela, falou sobre o trabalho realizado na pandemia. “Criamos quase 800 novas vagas de acolhimento dando suporte aos assistidos com alimentação e toda uma estrutura para garantir a preservação dos direitos. As unidades de acolhimento seguem um rígido protocolo como muita atenção à higienização e distanciamento para que, além de todos os benefícios da unidade, o cidadão também possa estar seguro e saudável, com a diminuição dos riscos de contaminação por coronavírus”, declarou.

Ao todo, 1.121 vagas continuarão sendo disponibilizadas nas 20 Unidades de Acolhimento Institucional de Salvador.  

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas