Vandalismo em lixeiras gera R$ 15 mil de prejuízo mensal aos cofres públicos

salvador
11.04.2018, 21:36:27
Atualizado: 11.04.2018, 21:54:11
(Jefferson Peixoto/ Secom PMS)

Vandalismo em lixeiras gera R$ 15 mil de prejuízo mensal aos cofres públicos

Somente este ano, 330 equipamentos já foram substituídos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A destruição e furto de lixeiras em Salvador causa um prejuízo mensal de cerca de R$ 15 mil aos cofres públicos municipais. Segundo a  Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb), todo mês cerca de 70 coletores precisams ser repostas na capital. Desde o início do ano, já foram 330 equipamentos deste tipo já foram recolocados. 

A Limpurb chama a atenção em nota enviada a imprensa que  quando uma lixeira é destruída, a população passa a jogar o lixo no chão. "A consequência dessa prática resultará no entupimento de caixas de sarjetas e bueiros em ruas, praças e avenidas, provocando alagamentos e enchentes, entre outros transtornos. Além disso, com o descarte irregular, o lixo tende a se espalhar, fornecendo alimentação para ratos e insetos que transmitem doenças", aponta o comunicado. 

 A orla baiana é a região da cidade onde atos de vandalismo contra lixerias são mais comuns, mas na a Avenida Sete também há uma concentração dessas ocorrências. “Não há um porquê para esses delitos serem mais frequentes na Orla, mas é uma extensão com grande fluxo de pessoas ao final de semana”, explica o presidente da Limpurb, Kaio Moraes. Na tentativa de amenizar o problema, o gestor informa que a Empresa de Limpeza põe mais agentes de fiscalização em campo. 

Segundo o comunicado a imprensa, a Limpurb faz o monitoramento dos espaços públicos da capital para realizar a troca de lixeiras conforme a necessidade. Como ação preventiva de educação ambiental, a Empresa municipal dispõe de equipes que percorrem comunidades, associações e escolas públicas para conscientizar e orientar os cidadãos sobre os riscos de jogar lixo na rua, as formas corretas de descarte, ensacamento e resíduos orgânicos e recicláveis.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas