Vaquinha para ajudar ambulantes de escola arrecada R$ 20 mil

brasil
25.03.2020, 19:51:00
Atualizado: 25.03.2020, 19:53:47
Wellington foi um dos ambulantes ajudados com a vaquinha (Foto: Reprodução/UOL)

Vaquinha para ajudar ambulantes de escola arrecada R$ 20 mil

Pais de alunos de colégio juntaram dinheiro para repassar a quatro vendedores

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com o sistema de isolamento por causa da pandemia do coronavírus, vários ambulantes perderam suas clientelas habituais. É o caso, por exemplo, daqueles que ficam na porta de colégios, vendendo comida a alunos. Com as aulas suspensas, o comércio também parou. Mas, em uma das instituições, os profissionais ganharam uma ótima ajuda: R$ 20 mil.

O valor foi arrecadado pelos pais de estudantes do Colégio Gay-Lussac, em Niterói, e repassado para quatro ambulantes. Entre eles, Wellington Lemos Maceo, de 40 anos, que há 26 anos trabalha no local. 

"Eu não sabia como faria para pagar aluguel, luz e água no mês que vem. Essa ajuda será maravilhosa, só posso chamar de milagre de Deus na minha vida e na vida da minha família. Eu sempre dependi do trabalho nessa escola", disse Wellington, que é pai de três filhos, em entrevista ao UOL.

Aos 18 anos, o vendedor começou a trabalhar na cantina do colégio. Depois, passou a fazer e comercializar cachorro-quente na porta da instituição, o que acontece há 13 anos. "Quando a escola fechou, fiquei sem saber de onde tiraria meu sustento", falou o ambulante ao UOL.

Além de Wellington, serão ajudados vendedores de pipoca, doces e milho. Cada um receberá R$ 5 mil - o que equivale a quase três meses de trabalho de Wellington. "Eu ganhava de R$ 1.900 a R$ 2.000 por mês e moro de aluguel. Então, qualquer ajuda seria muito bem-vinda porque a gente não sabe quando poderá voltar a trabalhar".

A economista Fernanda Cox, mãe de estudantes de 5 e 11 anos, foi a responsável pela iniciativa e se mostrou surpresa com a repercussão. "Nossa meta inicial era de arrecadar R$ 2.000 para cada vendedor, mas fomos além. As pessoas foram muito solidárias, cerca de 180 famílias participaram, doando acima de R$ 100. Todas as turmas de todos os anos participaram. Foi incrível", comentou ao UOL.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas