Vaquinha para Darlan já ultrapassa prêmio para medalhista de ouro

esportes
11.08.2021, 21:19:00
Atualizado: 11.08.2021, 21:19:06
Darlan Romani passou por cirurgia de hérnia de disco e teve covid-19 (Jonne Roriz/COB)

Vaquinha para Darlan já ultrapassa prêmio para medalhista de ouro

Campanha em prol do atleta arremesso de peso juntou quase R$ 280 mil

Darlan Romani não subiu ao pódio na Olimpíada de Tóquio, mas conquistou os corações dos brasileiros com sua história de superação e força de vontade. Antes dos Jogos, o arremessador de peso passou por cirurgia de hérnia de disco, teve covid-19 e ainda ficou sem seu treinador. Diante disso, torcedores criaram uma vaquinha para dar suporte ao atleta, e o sucesso é enorme.

A campanha juntou mais de R$ 279 mil até a noite desta quarta-feira (11). O valor é maior do que o prêmio dado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) aos medalhistas de ouro nos Jogos do Japão, de R$ 250 mil. A arrecadação, aliás, segue crescendo, e ainda faltam seis dias para seu fim.

O plano dos criadores da vaquinha é ajudar Darlan no novo ciclo olímpico, agora visando Paris-2024. Apelidado de Sr. Incrível nas redes sociais, pela semelhança com o personagem da Pixar, o arremessador de peso bombou nas redes sociais pelo show de carisma. E pelas imagens em que aparece treinando em um terreno baldio.

O vídeo foi filmado no início da pandemia, quando Darlan precisou improvisar diante das restrições impostas em Bragança Paulista, onde mora. Ele também ficou sem seu treinador, o cubano Justo Navarro Despaigne, que foi para seu país e não conseguiu voltar por conta das restrições sanitárias. Desta forma, o atleta não teve orientações presenciais na reta final para Tóquio.

Na Olimpíada, Darlan terminou em quarto lugar no arremesso de peso, com a marca de 21m88. O americano Ryan Crouser ganhou o ouro, arremessando 23m30 e estabelecendo o novo recorde olímpico. Joe Kovacs, também dos Estados Unidos, levou com a prata, com a marca de 22m65, e  o neo-zelandês Thomas Walsh ficou com o bronze, com 22m47.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas