Veja 100 assuntos para você começar a estudar agora e ir bem no Enem 2019

enem
03.07.2019, 05:00:00
Atualizado: 29.10.2019, 19:20:17
Este ano, prova serão nos dias 3 e 10 de novembro (Foto: Agencia Brasil)

Veja 100 assuntos para você começar a estudar agora e ir bem no Enem 2019

Professores dão dicas do que mais costuma cair nas provas

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 será apenas em novembro, mas é necessário reforçar a preparação desde já. O CORREIO conversou com professores de todas as áreas e disciplinas que caem na prova e pediu dicas dos 100 conteúdos que mais costumam cair na avaliação.

O levantamento, realizado pelo SAS Educação, uma plataforma de educação que desenvolve conteúdo, tecnologia e serviços para mais de 780 escolas em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, mostra os conteúdos que mais foram abordados nas provas do Enem nos últimos 10 anos, de 2009 a 2018.

Clique aqui e veja a página especial do Revisão Enem 2019

Calo de muitos alunos, a Matemática, por exemplo, tem como assunto mais abordado a Geometria, que apareceu 215 vezes e corresponde a cerca de 24% das provas nesse período. Já quando o assunto é Língua Portuguesa, Leitura e interpretação de textos é o tema campeão, com 246 questões nesse intervalo de tempo.

Neste ano, a prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Ciências Humanas e suas Tecnologias será aplicada no dia 3 de novembro, um domingo, e o tempo de prova será de cinco horas e meia. Já a aplicação das Provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias será no fim de semana seguinte, no dia 10, com cinco horas para resolver as questões. A previsão é que os Gabaritos e Cadernos de Questões só sejam divulgados no dia 14 do mesmo mês.

Quem mais tem interesse nesse TOP 100 que o CORREIO separou são os alunos que participarão do exame. Apesar da recorrência de certos assuntos na prova do Enem, a forma de estudar e a prioridade dada por cada estudante para os temas cobrados diverge. O que funciona para um, pode não funcionar para outro, assim, cada aluno cria uma maneira própria de aprender.

Em maior número nas salas dos cursinhos, os jovens que querem fazer Medicina buscam focar na prova de Ciências da Natureza e suas tecnologias, que tem maior peso para entrar no curso na Ufba (Universidade Federal da Bahia). Entretanto, os estudantes entrevistados pela reportagem alegam que, em meio a tanta concorrência, é necessário dar atenção a todas as matérias.

“Para Medicina, eu preciso saber praticamente tudo, já que a nota de corte é muito alta”, afirmou Ana Clara Ribeiro, 18 anos. “Com o foco em Medicina, não se pode deixar nada de lado. Tem que estudar tudo e focar nos assuntos que temos maior dificuldade”, completou a também estudante Adriane Mendes, 18.

Ana Clara quer cursar Medicina (Foto: Reprodução)

Os alunos realmente procuram focar nas matérias que têm mais dificuldade. Para Ana Moura, que também busca a graduação em Medicina, os assuntos mais difíceis são zoologia, dentro da Biologia, e eletricidade, que integra a Física. “Para melhorar nos dois assuntos mais difíceis para mim, eu tento rever a teoria e fazer muitos exercícios, além de treinar o tempo que realizo cada questão”, explicou.

Já para quem quer um curso da área de humanas, as provas do primeiro final de semana (redação, ciências humanas e linguagens) são mais importantes. A estudante Verônica Mello, 19, quer ser advogada e, para entrar na faculdade de Direito, sabe que precisa aperfeiçoar sua redação. “O que normalmente pesa muito em todas as faculdades de Direito é a redação, por isso faço aula particular, que me ajuda muito a treinar”, contou.

A Redação também não é esquecida pelos estudantes com foco em outras áreas, já que tem grande papel na aprovação. “Tento focar nas matérias mais importantes, que são as naturais, porque Fisioterapia é um curso da área de saúde. Mas, além disso, a Redação também tem uma grande importância, independentemente do curso. Procuro escrever aos finais de semana sobre possíveis temas do Enem”, disse Helena Paschoal, 18.

Como afirmaram os professores, é importante ter prática para se sair bem nas provas. Os estudantes seguem esse conselho e apostam no treino para fazer um bom Enem. “Acho que o segredo é você tentar fazer o máximo de exercícios que conseguir, principalmente das matérias que você tem dificuldade, porque você se sente mais seguro e mais preparado para fazer a prova. É realmente estar pronto para qualquer coisa que vai cair”, compartilhou Carolina Bastos, 18, que vai prestar vestibular para Medicina.

Cabeça de gelo
Aprovado em primeiro lugar no curso de Comunicação com habilitação em Jornalismo da Ufba, no semestre de 2019.1, Marcelo Azevedo, 19, conta que ter tranquilidade para fazer a prova faz parte da receita do sucesso.

“No começo do meu terceiro ano, eu decidi que não ia me consumir para o Enem. Claro que eu não deixei de estudar, mas não fui daqueles de passar o dia inteiro estudando. Fui aproveitar o que eu tinha da escola, decidi sair com meus amigos, viajar, e isso foi me tirando o nervosismo, me fazendo esquecer que a prova estava chegando. Acho que minha maior dica é viver a vida mais leve e focar no que vale mais para o que você quer”, ponderou.

Marcelo cuidou do psicológico para ter bom desempenho (Foto: Reprodução)

Grande parte dos entrevistados concorda que o nervosismo atrapalha - e muito - no resultado. Carolina foi uma das alunas que se sentiram prejudicadas pelo fator psicológico no Enem. Ela conta que, para a prova deste ano, buscou ajuda de um psicólogo e escolheu não deixar de lado as atividades de lazer. “Às vezes, a gente deixa de fazer uma coisa que a gente gosta para não perder tempo, mas não é perda de tempo, você está ganhando tempo, porque reduz seu estresse e, quando você volta para casa, tem mais foco para estudar”, diz.

CORREIO terá questões para quem vai fazer a prova
Desta quarta-feira (3) até o dia 30 de outubro, o CORREIO publicará 18 fascículos especiais do 13º projeto Revisão ENEM 2019. Com simulados online, que serão disponibilizados no correio24horas.com.br, os conteúdos contarão com uma série de questões objetivas, realizadas pelo SAS Educação, para os estudantes testarem os seus conhecimentos.

Além disso, sempre às quartas-feiras o Correio24Horas contará com videoaulas. Na versão impresso e no site, será possível acompanhar conteúdos focados em temas que auxiliem os alunos no processo de estudo, com artigos diversos, dicas de como estudar e macetes para fazer um bom exame. O projeto tem parceria com a FTC.

Confira os 100 conteúdos que mais caem na prova do Enem

***

Matemática e suas Tecnologias

O CORREIO conversou com Alexandre Lima, professor e coordenador de área Matemática do Villa Campus de Educação, que apontou os principais conteúdos para fazer uma boa prova de matemática no Enem. O primeiro passo, segundo ele, é a interpretação de texto. "A interpretação dos textos não é ´só para a língua portuguesa. Cada disciplina tem seus detalhes e você precisa saber ler e entender o problema matemático para saber resolvê-lo".

Ele alerta ainda que dominando conteúdos básicos, a chance de sucesso é grande. "Regra de três, proporcionalidade e escala. Se o estudante domina, já caminha bem na prova e resolve os problemas. É bom dar uma lida em fórmula de área, probabilidade, combinatória, permutação, combinação. O maior desafio não é decorar fórmula, é saber qual delas usar em cada problema. São conteúdos muito básicos, mas muito Usados, Cerca de 50% da prova tem a ver com assuntos do ensino fundamental", completa. 

Veja as dicas do professor sobre o que estudar em cada assunto da Matemática.

Matemática

  1. Geometria Cálculo de áreas (principalmente quadriláteros e triângulos) e proporcionalidade;
     
  2. Aritmética: Proporcionalidade, regra de três e porcentagem;
      
  3. Escala, razão e proporção: É um dos assuntos que pertence à aritmética e cai sempre nas provas do Enem;
  4. Funções: Função, gráficos, grandeza e funções de primeiro grau;
     
  5. Gráficos e tabelas: Estatística e probabilidade;
     
  6. Estatística: Pertence ao assunto de gráfico e tabela e geralmente cobra proporcionalidade simples;
     
  7. Porcentagem: Cálculo de percentual, parte financeira, juros e regra de três;
     
  8. Probabilidade: Focar na combinação de números e na análise de informações; 
     
  9. Equações elementares: São aqueles problemas de regra de três, montar equação de primeiro grau, estrutura algébrica. Embora simples, uma das maiores dificuldades dos estudantes;
     
  10. Sequências: PA (Progressão aritmética) e PG (Progressão geométrica), proporcionalidade e juros. 

Ciências Humanas e suas Tecnologias

A área de humanas é dividida em quatro disciplinas: História, Geografia, Sociologia e Filosofia. O CORREIO ouviu profissionais de todas as áreas, que fizeram suas apostas sobre o que será cobrado. Todos tiveram acesso à lista dos conteúdos mais cobrados nas provas dos últimos 10 anos e comentaram sobre cada assunto.

Para a professora de História Tânia Lima, o Enem de 2019 tem uma peculiaridade, que é o atual momento político do país. "A gente tem uma dúvida do que vai cair no Enem e qual vai ser o estilo porque a prova responde aos governos. A exceção foi o último Enem, que deu uma fugida. A questão indígena, do negro, da escravidão e Era Vargas eram figurinhas carimbadas. Agora, não sabemos se será cobrado", alerta.

Independentemente do conteúdo, ela diz que a leitura é fundamental para que o aluno faça uma boa prova na disciplina. "Um dos grandes erros é assistir às aulas e depois estudar com vídeoaulas. Tem muito material que leva o aluno ao erro", avisa.

Além dela, o CORREIO conversou também com o professor Miguel Drtovsky. Os dois apostaram em quais serão os principais temas cobrados.

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de História.

História

  1. Idade Contemporânea: Conflitos atuais, com foco na Síria e no conflito entre judeus e palestinos. Além  disso, ler sobre comércio exterior, Brexit e políticas migracionais;
     
  2. Brasil Colônia: Escravidão e estrutura econômica e social do engenho de açúcar;
     
  3. Brasil Império: Tudo de segundo império, sobretudo abolição;
     
  4. História política: Tudo;
      
  5. Patrimônio histórico-cultural e memória: Tudo;
     
  6. Era Vargas: Tudo. Populismo, Revolução de 1932, Constituição de 1934, Ditadura, Estado Novo da Ditadura Militar, Autoritarismo no Brasil, etc;
     
  7. Primeira República: Tudo. Transformações políticas, econômicas, culturais e sociais, a Constituição de 1891 (eleições diretas), República da Espada, República Oligárquica, etc.
  8. Movimentos sociais: Questões atuais, como feminismo, homofobia, etc

  9. Idade Antiga: Roma e Grécia;
     
  10. Idade Moderna: Absolutismo.

* Dica: Se manter informado com as questões atuais, ler jornal e bons sites de análise política. Não é apenas fundamental para a disciplina de História, mas para a prova como um todo, até para construir a argumentação na redação.

Geografia

Ao conversar com a reportagem sobre os assuntos que devem ser prioridade na hora de estudar para o Enem, o professor de Geografia Orlando Neto também ponderou que há uma grande interrogação, devido à recente mudança de governo do país. Apesar disso, ele explica que o aluno precisa buscar profissionais e cursos preparatórios caso tenha dificuldade com as disciplinas.

"É importante responder questões com o auxílio de um professor. Responder questões em sala de aula é crucial. De todos os temas, eu sugiro que estudem geografia agrária, porque é algo cobrado todo ano. Além disso, é bom dominar a ideia de economia, das atividades econômicas e população, além da geografia física".

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Geografia.

  1. Geografia agrária: É importante saber sobre o contexto histórico no Brasil a relação de produção e meio ambiente, desmatamento. Também é bom dar um destaque para as Commodities e estudar os espaços de produção;
     
  2. Meio ambiente: Aquecimento global e a ação antrópica que gera alteração do clima nível global e local; Efeito estufa (geração de ilhas de calor e a inversão térmicas). Para o Enem, o aquecimento global deve ser levado como verdade;
     
  3. Questões econômicas e globalização: Indústria (com foco no histórico e na distribuição produtiva); Globalização (ler sobre Milton Santos - “Por uma outra globalização”);
     
  4. Geografia urbana: Compreender o fenômeno/processo da globalização, além das causas e consequências do processo nos países emergentes e desenvolvidos; Inchaços urbanos; Desigualdade social; Problemas ambientais; Hipertrofia no setor terciário;
     
  5. Geografia física: Vegetação (tipos, características e desmatamento); Clima (elementos, fenômenos e fatores; Hidrografia (distribuição de recursos hídricos e má utilização do cenário atual); Relevo (agentes do relevo, arcabouço geológico e tipologia); Domínios morfoclimáticos e solos;
     
  6. Demografia e cultura: Crescimento populacional; Indicadores socioeconômicos; Movimentos migratórios; Estrutura etária; População economicamente ativa e população em idade ativa;
     
  7. Geopolítica: Assunto que aborda conflitos no mundo e uma grande gama histórica, como no Oriente Médio (tema mais cobrado), além de relações comerciais (comércio exterior);
     
  8. Tecnologia, transportes e comunicação: Visualizar os pontos positivos e negativos das mudanças promovidas pelos processos, suas consequências no cenário sócio espacial e a integração mundial (globalização);
     
  9. Indústria: Industrialização brasileira, características e distribuição produtiva com foco no Brasil;
     
  10. Energia: Fontes de energia (dinâmica de fontes renováveis e não renováveis); Fontes convencionais (que mudaram o cenário da geopolítica); Alternativas (que estão gerando uma nova configuração do mundo).

Sociologia

Sociologia é uma das disciplinas mais subjetivas e, por isso, assusta alguns alunos. No entanto, para o professor da disciplina, Rosival Carvalho, não há motivo para temer. "Estamos com algumas incógnitas no Ministério da Educação, então, acredito que alguns autores mais radicais e com visão mais crítica não vão ser lembrados. Por exemplo: Marxs, Engels, os iluministas, não devem ser cobrados. Provavelmente vai cair os mais clássicos do pensamento social e humano, com visão menos crítica em relação à política", acredita.

Para se dar bem na prova, ele tem duas regras. A primeira é fazer da leitura um passatempo. "Leitura diária de jornais e sobre todos os temas. Tem que se dedicar para ler jornais e todo tipo de linha editorial, inclusive os caras que os estudantes não gostam. Assistir filmes e documentários. Quanto mais amplo o leque do sujeito, melhor a condição em todos os aspectos, pois ajuda a combater a dificuldade de argumentar".

A segunda regra é disciplina. "Tem que saber o momento de estudar, de usar o celular, de sair. O ato de estudar deve ser feito com metodologia, o horário que você se sente bem estudando. Concentração e estudo planejado são fundamentais, não dá para misturar disciplinas muito diferentes".

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Sociologia.

  1. Mundo do trabalho: Nova reforma da previdência; Problemas trabalhistas; Relações de trabalho em todos os seus aspectos (tema do momento). Para todas as questões, a impressão é de um viés mais conservador, mais técnico;
     
  2. Ideologia: Ideologia de gênero; Leitura das ideologias nos meios de comunicação e as grandes mídias. Em 2019, o tema deve ser mais voltado a pensamentos conservadores e a direita/liberais mais de direita. Ler sobre Alexis de Tocqueville pode ajudar;
     
  3. Cultura e Indústria cultural: Voltar para os anos 50 e 60. Ler sobre movimentos culturais brasileiros a partir dos anos 50 e as reinvenções culturais a partir das novidades (nos anos 80 e 90);
     
  4. Meios de comunicação, tecnologia e cultura de massa: Pensar na cultura como elemento abrangente de toda a vida social. Nos módulos, é interessante estudar os movimentos culturais de juventude a partir dos anos 50 e todos valem a pena ser vistos e revistos;
     
  5. Cidadania: Estudar a cultura em conjunto com a cidadania (como construção de uma nova ordem e modo de ser e estar, fora do senso comum). Fundamental ler a constituição, o Artigo 5, das garantias e direitos. Também é interessante ler 'Primeiros passos' e 'O que é cidadania', além de Frei Betto, Gilberto Cotrim, Leandro Karnal e Mário Sergio Cortella;
     
  6. Movimentos sociais: Colocar em evidência os movimentos a partir das lutas revolucionárias. Importante ler Veias Abertas da América Latina e Garcia Marquez, que traz indicativos da importância dos movimentos como transformadores. Bom ter uma compreensão de como se organiza o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e as motivações do movimento. É necessário pensar os movimentos a partir das minorias e focar nos direitos dessa linha de luta;
     
  7. Identidade de gênero: Fundamentais a apropriação da questão e a busca das referências a partir do que é luta construída e consolidada dentro do seio social. Ler sobre feminismo, movimento LGBTQIA+, movimento negro;
     
  8. Desigualdades sociais: Fazer a leitura das pirâmides sociais, estratificar a sociedade em classes. Também é necessário ler Leviatã, de Thomas Hobbes, que fala como o estado é um gerador das desigualdades, além do clássico Jean-Jacques Rousseau - A origem da desigualdade social;
     
  9. Organização científica do trabalho: É necessário compreender o papel do trabalho na vida do homem para além do sustento. Também avaliar como o trabalho adoece as pessoas, entender as relações construídas e consolidadas nas sociedades. Indica-se ler Hannah Arendt, Anthony Giddens (Mundo em Descontrole), Eric Hobsbawm (Era dos Extremos) e Balmain;
     
  10. Conflitos de terra e violência: Entender o estatuto da terra, quem e por que tem direito à terra. É importante entender como iniciaram os conflitos: reforma agrária, o direito à terra. 

* Livros clássicos: Os Sertões; Casa Grande & Cenzala; Dom Casmurro; Vidas Secas; Capitães de Areia; Pastores da Noite.

FILOSOFIA

Assim como a Sociologia, a Filosofia provoca reflexões nos alunos. Para não fazer feio no Enem, o professor Danilo Reis aconselha: "No geral, como os alunos têm um ano todo de revisão, tem uma noção básica do início da filosofia e da epistemologia. É necessário compreender as preocupações básicas da filosofia moderna, medieval e contemporânea, tentar ter uma noção dos filósofos, porque ajuda o aluno a entender as questões. Além de disso, é necessário estar atento aos textos dos enunciados para superar a dificuldade de interpretar os textos filosóficos e porque eles podem dar dicas sobre as questões", alerta.

Segundo ele, diferente das demais áreas, em Filosofia é muito difícil ocorrer uma mudança drástica de conteúdo cobrado por conta das mudanças políticas, já que há um reduzido número de questões sobre a área no Enem.

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Filosofia.

  1. Ética e justiça: Costuma sempre cair (se não é diretamente citado em filosofia, é em outra disciplina). Costuma abordar questões contemporâneas. Necessário estudar Aristóteles (clássico), Kant (moderno mais citado), Hegel e Baruch Spinoza (moderno); 
     
  2. Filosofia antiga: No geral, são três figuras chaves: Sócrates, Platão e Aristóteles. Dentro disso, não é muito comum cair sobre pré-socráticos. Nos três, deve-se conhecer o básico do método socrático e da teoria das ideias de Platão, além da questão política de Platão e Aristóteles. Além disso, é importante dominar as noções básicas do pensamento do três. Relação dos sentidos de Aristóteles e Epistemologia (não só Aristóteles, mas Platão também);
     
  3. Natureza do conhecimento: Focar em Epistemologia, Aristóteles e Platão. No assunto, leia sobre John Locke, Descartes e Kant (que é um preferido). São conceitos que, a depender do período, têm diferenças. O Enem cobra só clássicos;
     
  4. Democracia e cidadania: Se tem noção básica de política de Platão e Aristóteles, ajuda. Leia sobre figuras modernas que aparecem às vezes, como os contratualistas ou período do iluminismo, de Rousseau, Locke Hobbes e até Maquiavel (apesar de não ser Iluminista);
     
  5. Filosofia contemporânea: Esse período no Enem tem dois exemplos: há dois anos, com Simone de Beauvoir, sobre gênero, e também já foi cobrado Hannah Arendt. Escola de Frankfurt costuma cair, assim como Nietzsche, Marx, Heidegger e até Sartre;
     
  6. Filosofia moderna: Leia sobre três figuras: René Descartes, John Locke e David Hume. Duas preocupações básicas: a preocupação epistemológica (Descartes, Locke e Hume) e a preocupação política com os contratualistas (Thomas Hobbes, Jean-Jacques Rousseau, Nicolau Maquiavel);
     
  7. Relações de poder: Se for no poder enquanto tema de discussão na filosofia, uma figura chave é Nicolau Maquiavel. Já se o foco for na política, estudar os contratualistas e Marx (até então era cobrado nas questões, mas não se tem certeza com o Enem deste ano);
     
  8. Surgimento da Filosofia: Envolve os pré-socráticos e uma noção básica dos objetos da filosofia, além da preocupação primeira dos pré-socráticos. Não é algo que é cobrado com muita frequência, depende muito da produção do Enem. Estudar o que era e o objetivo primeiro da filosofia;
     
  9. Intolerância: Nesta questão, aborda-se mais os contemporâneos, apesar da filosofia moderna já trabalhar o tema. Estudar Simone de Beauvoir e Hannah Arendt (importante para compreender a questão da tolerância no século 20). A escola de Frankfurt também está inserida nas discussões;
     
  10. Filosofia medieval: Aí temos duas figuras básicas: São Tomás de Aquino, com a escolástica, e Santo Agostinho, com a patrística. Fundamentais são os pilares. Agostinho no primeiro momento e o Aquino mais tarde, no período histórico.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Física

Fórmulas, mecânica, elétrica. Para ter um bom desempenho em Física, o segredo é ler os enunciados com calma e compreender o que é pedido. Segundo o professor Wladimir Fernandes, dominar o tema Energia é o grande segredo, já que passa por todas as áreas.

Para ele, a maior dor de cabeça dos alunos não será o eletromagnetismo, tema que os estudantes têm mais dificuldade em assimilar, e sim o pouco tempo de prova: 5 horas. "A grande dificuldade do aluno é fazer tantas questões em pouco tempo. É o fator crítico da prova. As questões abordam até situações simples, mas novas, então nemé necessário aquele formato decoreba, ficar lembrando todas as fórmulas", completa.

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Física.

  1. Mecânica: Tema mais cobrado no Enem. Estudar Energia; Princípios da conservação; Quantidade de movimento; Leis de Newton; e Atrito;
     
  2. Eletricidade e energia: Energia é o tema que passa por todas as áreas. No tema eletricidade, ela é muito cobrada, principalmente através de resoluções de circuitos simples (exercícios com resistor, lâmpada, bateria);
     
  3. Ondulatória: Os assuntos mais comuns são pêndulos, oscilações, interferência ondulatória, fenômenos ópticos ondulatórios (onda envolvendo luz), dispersão da luz, polarização da luz e difração;
     
  4. Termologia: Calorimetria e Propagação do calor;
     
  5. Óptica: Geralmente as questões são casadas com o tema Ondulatória. Caso caia algum conteúdo apenas de óptica, é bom estudar Refração da luz e Ângulo limite. 

Química

"A prova de química é bem vasta, abrange muitos conteúdos". O aviso é do professor da disciplina, Fábio Oisiovici. Para ele, a maior dificuldade dos estudantes será encarar as longas questões no Enem. "São questões enormes para pouco tempo. Uma questão de estequiometria, por exemplo, requer interpretação, cálculo, então, às vezes não dá tempo", opina.

Segundo o professor, as questões do exame não existem que o estudante decore fórmulas, e fim interprete textos. "É muito mais raciocínio do que memorização. Isso mudou bastante". 

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Química.

  1. Físico-química: Soluções, Cálculos estequiométricos; Termoquímica; Eletroquímica; e Equilíbrio químico;
     
  2. Química geral: Ligações intermoleculares; Separação de misturas, e Classificação da matéria;
     
  3. Química orgânica: Reconhecimento de funções; Isometria,e Reações orgânicas;
     
  4. Meio ambiente: Aquecimento global; Camada de Ozônio e Chuva ácida;
     
  5. Energia: Reações de combustão e Química nuclear.

Biologia 

Ecologia. Esse é o ponto chave para conseguir responder boa parte das questões do Enem. O tema é um dos mais cobrados no caderno de Biologia nos últimos 10 anos de prova e é a dica do professor Anderson Moreira para os alunos que desejam um bom desempenho.

"Quando você junta a parte ciências naturais com humanas, você responde quase metade da prova. Sabendo ecologia, você acaba respondendo muitas questões de Geografia, por exemplo, como biomas, vegetação, solo, relações ecológicas. Por outro lado, o conteúdo de Biologia em si, que encabeça a frequência de vezes que aparece na prova, é a fisiologia humana", opina.

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Biologia.

  1. Humanidade e ambiente: É a questão social, o ser humano agindo. Aborda-se temas como desmatamento, poluição ambiental e produção de lixo, os impactos do ser humano na natureza;
     
  2. Citologia: Genética molecular é o que o Enem mais valoriza neste conteúdo. Estude também sobre transgene e células-tronco;
     
  3. Histologia e fisiologia: Fisiologia humana. Estudar a anatomia, o corpo humano e seus sistemas (respiratório, de reprodução, digestório, etc);
     
  4. Biotecnologia:  Células-tronco, controle biológico, tecnologias de combate à dengue, etc;
     
  5. Fundamentos da ecologia: Conceitos ecológicos e aquecimento global;
     
  6. Microbiologia e doenças associadas: Endemias, como Doença de Chagas, dengue, etc;
     
  7. Evolução: Teoria da seleção natural;
     
  8. Cadeias e teias alimentares: Pertence à ecologia. Como o nome já diz, estudar a relação predatória entre as espécies e como se formam essas cadeias;
     
  9. Biologia molecular: Genética, DNA, RMA, Código Genético, Transcrição, Tradução e Síntese protéica;

  10. Biomas: Focar nos biomas brasileiros, como caatinga, serrado, mata atlântica, etc.

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

O CORREIO conversou com o professor de Língua Portuguesa Alex Valadares Freitas, que deu uma dica preciosa para os estudantes que farão o exame em novembro. "O Enem é muito de exercício, os alunos devem fazer as questões. Minha dica é, nesse segundo semestre, fazer umas 20 questões por semana, pelo menos, porque a estrutura das questões parece muito de um ano para o outro", indica.

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Português.

Português

  1. Leitura e interpretação de textos: O Enem é bastante coerente, com muitos textos, não só em prosa, como informacionais, como a hipermídia. É importante fazer questões - o MEC disponibiliza as provas anteriores. Se os alunos fizerem as questões de forma incidente, estarão aptos a fazer a prova;
     
  2. Estrutura textual e análise de discurso: O aluno deve responder ao que está proposto no texto. Aparece um texto materialmente colocado, por trás do texto tem um contexto em que ele é produzido (tipo) e a ideologia. Então, o que está subjacente ao texto é o que o aluno tem que descobrir;
     
  3. Leitura e artes: Normalmente caem seis questões de artes. É mais uma produção de conhecimento do professor do que estudo próprio do aluno. O currículo de várias escolas não se preocupa com a matéria de artes, mas os professores se preocupam em abordar o tema na sala. O aluno deve contar com o auxílio do professor na sala de aula, já que o conteúdo é de difícil compreensão;
     
  4. Gênero textual: O próprio universo do Enem tem vários tipos de textos (charge, informação), então, quando o aluno for fazer uma prova, tem que saber dos gêneros. Só assim ele saberá analisar os gêneros de forma própria e estará preparado para dar uma resposta condizente. Há várias questões de propaganda (que se separa em comercial/institucional e busca vender uma ideia). Quadrinho e charge também caem muito;
     
  5. Literatura: Estudos literários têm caído menos na prova. Reduziu o número de questões sobre a compreensão do estilo e da história do texto literário, mas houve um aumento sobre a parte estética do texto. Normalmente, cobra-se literatura contemporânea a partir do século 20;
     
  6. Variação linguística: É uma questão que aparece muito, sempre cai, mas sempre é fácil. O aluno deve estudar as variações, mas é simples. Variações geográficas, históricas, sociais e situacionais;
     
  7. Funções da linguagem: Tem caído menos, mas é uma questão que aparece de vez em quando. Não tem uma prioridade. Deve-se estudar função emotiva ou expressiva, função poética, fática, conativa ou apelativa, metalinguística, linguagem e comunicação;
     
  8. Relações intertextuais: Comum de cair em provas do Enem. Deve-se estudar a questão textual de modo geral,  comparar diferentes tipos de textos; 
     
  9. Gramática: Mais semântica do que morfossintática. Uma questão morfossintática pura. Classificação não cai muito;
     
  10. Semântica: É cobrado o valor que tem a conjunção do texto, como uma subordinação funciona no texto. Para se dar bem na prova, o aluno deve ter prática.

Espanhol 

A turma que marcar Espanhol como opção de língua estrangeira no Enem, terá que se manter atualizada sobre o que acontece no mundo. Essa, pelo menos, é a dica da professora Cláudia Valéria Kakal. "A dica é leitura, basicamente leitura. Sobre os mais variados tipos de texto e saber interpretá-los. Tentar responder questões que tenham quadrinhos, de preferência da Mafalda e Calvin. Um bom leitor é um bom realizador de provas", avisa.

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Espanhol.

  1. Leitura e interpretação de textos: Importante ler jornais de língua espanhola, como o El País. Ler textos atualizados ajuda na hora da prova;
     
  2. Semântica e domínio lexical: Seria ideal uma aula sobre heterosemânticos. A questão da gramática da língua portuguesa pode confundir, então ler ou assistir aos vídeos sobre falsos cognatos é importante;
     
  3. Funções da linguagem: Ler resumos sobre função fática e a metáfora;
     
  4. Identificação de função do texto: Ler sobre tipologia textual, tipos de textos. O Enem aborda bastante os quadrinhos (tipo narrativo) e os textos jornalísticos (tipo argumentativo, expositivo, dissertativo). Tem que se atentar, no caso do quadrinho, à leitura visual e à escrita texto verbal e não verbal. O aluno acha que é só o que está escrito, mas o desenho também é um texto;
     
  5. Análise de texto literário em prosa: É um texto dissertativo-argumentativo. Ler jornais de língua espanhola.

Inglês

Se manter atualizado. Esse é o segredo para tirar a prova de Inglês de letra. De acordo com a professora do idioma, Tereza Cristina Vieira, o aluno precisa estar bem informado para fazer uma boa prova. "O aluno deve estar sempre estudando os temas atuais. Costuma cair bastante no Enem sobre meio ambiente e liberdade de expressão, as relações interpessoais. Você tem que pegar textos pequenos e mais fáceis de compreensão e de temas atuais. Abre o jornal e acessa as notícias em inglês para se motivar", indica.

Veja as dicas sobre o que estudar em cada assunto de Inglês.

  1. Leitura e interpretação de textos: O Enem sempre faz questões com temas bem atuais, então, quanto mais o aluno souber de temas atuais, mais ele vai saber responder a prova. A interpretação toda é em português, se ele entender a proposição é mais fácil ele achar a proposição no texto. Se ele consegue identificar as respostas mais lógicas, consegue se munir de algumas palavras para fazer a questão. Em Inglês é mais compreensão, porque proposição é em português. Se você sabe traduzir, você se dá bem. Primeiro, leia as alternativas e procure algum tipo de lógica nestas cinco possíveis respostas. Quando vai para o texto, ele sabe usar o vocabulário para responder e deduzir;
     
  2. Leitura e interpretação de cartuns, tirinhas e charges: São vários tipos, eles escolhem bastante as citações de pessoas importantes, além de usar o cartum, tem uma música, um poema ou textos de revistas famosas. Procurar abrir o site da CNN e ler as manchetes dos meses de novembro a março, já que a prova vai ser elaborada após esse período. Atentar aos fenômenos importantes e que chamaram a atenção do mundo, como o incêndio na Catedral de Notre-Dame. A prova trabalha os temas junto com o vocabulário, com a leitura do texto. Sempre acessar os cartuns da CNN e os de Glasberge;
     
  3. Domínio lexical: Eles não trabalham quase nada da parte de gramática, só interpretação. Trabalha-se a conjunção (para saber qual é a ideia do texto, para ler melhor os verbos), os phrasal verbs (verbos frasais), que ajudam na interpretação, e os advérbios, verbos e preposições. Não aparecem muitos falsos cognatos no Enem; 
     
  4. Análise e interpretação de poemas e canções: Geralmente caem canções sobre a paz mundial. Músicas de Bob Marley e Bob Dylan, e falas de personalidades negras famosas sobre a busca da paz e o fim dos preconceitos. Procurar na internet músicas que tragam esses temas de fim das guerras, liberdade, amor ao próximo;
     
  5. Identificação da função do texto: Normalmente o texto é informativo-argumentativo, quando cai. Traz o assunto com um contraponto bem leve, traz pouca crítica. Com uma proposta mais progressista. A leitura é fundamental. Alguns são de jornal.


* Com supervisão da subeditora Fernanda Varela


Fascículos no CORREIO trazem temas para revisão

O jornal CORREIO publica até o dia 30 de outubro 18 fascículos especiais do 13º projeto Revisão Enem 2019. Com simulados que são disponibilizados no site do jornal (correio24horas.com.br/enem), os conteúdos contam com uma série de questões objetivas, realizadas pelo SAS Educação, para os estudantes testarem seus conhecimentos nas disciplinas cobradas no Enem.

Além disso, sempre às quartas-feiras, o site Correio 24 horas conta com videoaulas, que podem ser acessadas na íntegra na página: www.correio24horas.com.br/revisao. Na versão impressa e no site do CORREIO, é possível acompanhar conteúdos focados em temas que auxiliam os alunos no processo de estudo, com artigos diversos, dicas de como estudar e macetes para fazer um bom exame. O projeto tem o oferecimento da Rede FTC.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/lula-diz-que-e-um-homem-melhor-do-que-quando-entrou-na-cadeia/
Segundo a organização, 200 mil pessoas compareceram a ato em Recife
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/conheca-a-turma-de-criancas-em-salvador-que-aprendeu-a-nao-sentir-mais-medo/
Projeto em escola discute medo, coragem e grandes dramas da vida para crianças de até 12 anos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/com-elenco-novo-the-crown-volta-para-mais-uma-boa-temporada/
Rainha Elisabeth, até então vivida por Claire Foy, agora é interpretada por Olivia Colman
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/manchas-de-oleo-voltam-a-aparecer-em-morro-de-sao-paulo/
Marinha retirou a substância no final da manhã
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/pedi-que-nao-atirassem-diz-pai-de-garoto-autista-morto-em-perseguicao-da-prf-em-piraja/
Garoto era autista e estava a caminho da escola; família acusa Polícia Rodoviária Federal
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/vitimas-de-acidente-de-aviao-na-bahia-tem-traumas-e-queimaduras-crianca-esta-entre-feridos/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/tenho-visto-coisas-incriveis-diz-rincon-sapiencia-sobre-artistas-baianos/
Prestes a lançar disco, rapper paulista comemora parcerias com Attooxxa e Duquesa
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/adolescente-tambem-morreu-em-acao-que-teve-motorista-de-app-executado-em-piraja/
Vídeo mostra homem assassinando condutor antes de ser morto por agentes da PRF
Ler Mais