Veja como renegociar as cinco principais despesas fixas na crise do coronavírus

coronavírus
27.04.2020, 05:00:00
(Foto: Shutterstock)

Veja como renegociar as cinco principais despesas fixas na crise do coronavírus

Contas de luz estão sendo parceladas em até 12 vezes; Operadoras de telefonia também aceitam parcelamentos

A inquilina do arquiteto Yuri Guimarães antes de vencer o mês do aluguel, o chamou para uma negociação do valor logo após saber que não iria receber o valor integral do salário. Yuri não hesitou em tentar o quanto antes um acordo com a moradora, principalmente porque o período do contrato está chegando no fim: 

“A gente chegou a uma redução de 30% durante os três meses até o final do contrato que termina em junho. Ela me disse que que estava olhando outro imóvel mais barato já que não conseguiria pagar o mesmo valor. Como eu não conseguiria também alugar facilmente para facilmente a outra pessoa agora então nós chegamos a esta proposta”, conta. 

O aluguel é só uma das despesas fixas que vão exigir do consumidor mais jogo de cintura do que de costume na hora de manter as contas em dia diante deste estado de pandemia. Se de um lado, o isolamento social está aumentando o consumo com água, energia e internet, do outro, os efeitos da crise estão provocando também perda de renda e inadimplência.  

Yuri fez bem em aceitar o acordo como destaca a educadora financeira comportamental, Meire Cardeal. Buscar uma negociação ganha-ganha é a estratégia para quem precisa diminuir os gastos com aluguel e condomínio agora. “Como todos estão passando pelo mesmo momento de dificuldades está havendo maior boa vontade e disponibilidade para renegociações e as pessoas O momento é de redução de custo, redução de consumo, revisão de hábitos”.

Ainda que o aperto seja grande, a gente montou junto com a especialista um guia para ajudar o a segurar a onda das despesas essenciais nesse momento. Entre os custos listados estão a conta de energia, água, o condomínio, aluguel e também os serviços de telefone, televisão e internet (veja mais detalhes abaixo). 

“Duas ações são muito importantes neste momento: organizar as finanças para saber o que deve ser reduzido ou cortado e antecipar-se nas renegociações. Não se deve esperar ser cobrado, a antecipação promove maiores chances de sucesso. Não deixe de fazer um levantamento das despesas fixas e variáveis, analisar a capacidade atual de pagá-las. Isso vai proporcionar a visão real do seu orçamento”, pontua Meire Cardeal. 

Em até 12 vezes

A Coelba, por exemplo, é uma das empresas que adequaram as condições de pagamento face a situação de pandemia, principalmente, para aqueles que tem algum débito que agora podem parcelar as contas de luz em 12 vezes no cartão de crédito. A Embasa, por outro lado, optou pela negociação caso a caso, mas está em fase de implantação de opções de débito e crédito para pagamento na Agência Virtual. 

O fato é que a adesão a estes parcelamentos tem crescido bastante, como analisa a gerente de atendimento ao cliente da Coelba, Adriana Teodorio. “Avaliamos que diante do cenário provocado pela pandemia da COVID-19 seria importante facilitar a vida dos clientes e oferecer a possibilidade do parcelamento da conta. As solicitações cresceram em torno de 20% nessa primeira quinzena de abril, em relação ao mesmo período de março”.

Os parcelamentos também foram a solução encontrada pela grande maioria das operadoras de internet, telefonia e serviços de televisão a cabo, exceto a Sky que não adotou até o momento nenhuma condição especial. No geral, os planos possibilitam o parcelamento da dívida em até 10 vezes e a depender da empresa há isenção de multa e prorrogação da data de vencimento em 15 dias. 

Ainda que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tenha proibido o corte de fornecimento de energia elétrica por 30 dias e a uma decisão da Justiça baiana impeça que Embasa suspenda fornecimento de água durante três meses por causa do coronavírus, Meire Cardeal recomenda que qualquer conta em aberto seja logo renegociada para não virar uma bola de neve no pós-pandemia: “Este é o momento de revisar, refletir e reorganizar o orçamento financeiro. Nenhuma dívida vai deixar de ser cobrada quando a pandemia passar”, completa. 


DICA DA SEMANA: CINCO DESPESAS FIXAS

1. Aluguel 

Para quem mora de aluguel é urgente entrar em contato com o locador e fazer uma negociação do valor enquanto durar a crise. Avalie quanto pode pagar no momento para fazer a proposta. A negociação pode ser em relação a abatimento, parcelamento de um dos meses ou isenção de algum reajuste. Caso o imóvel precise de algum reparo emergencial que possa ser parcelado no cartão de crédito, por exemplo, vale para o inquilino assumir esse custo em troca da redução. 

2. Condomínio 

A dica é se antecipar. Leve o caso ao síndico ou conselho administrativo do seu prédio, solicite carência para pagar, sem juros, ou negocie o pagamento de parte do valor enquanto a situação perdurar, com os valores restantes a negociar em datas futuras.

3. Planos de tv a cabo/ Internet/ Telefonia

Oi A companhia está oferecendo o desbloqueio por uma semana para quem estiver inadimplente, postergação da data de vencimento das faturas de abril por 15 dias a pedido dos clientes e uma flexibilização da política de parcelamento sem multa em até 10 vezes. A solicitação já pode ser feita pelos canais digitais de atendimento no site http://oi.digital/atendimento ou no portal de relacionamento Minha Oi. 

Claro/Net Ao CORREIO, a empresa não detalhou as condições mas afirmou que novas políticas para negociação, flexibilizou prazos e ampliou canais de atendimento digital. 

SKY A empresa disse Neste momento, a SKY que não ia se posicionar sobre a oferta de condições especiais por conta da pandemia. 

Vivo A operadora iniciou o parcelamento de contas de inadimplentes em até 10 vezes sem juros e multa de contas de clientes que estão em inadimplência, seja móvel ou fixo, incluindo telefonia fixa, banda larga e TV por assinatura. A Vivo também oferece aos inadimplentes um bônus de 15 dias extras para utilização de qualquer serviço contratado, caso o cliente ainda não esteja em período de bloqueio total.

Tim Os clientes de planos pós-pagos, controle e ultra banda larga fixa TIM Live podem negociar o parcelamento das faturas em aberto – que hoje é de seis meses – para até 10 vezes, com isenção multa e juros. 

4. Embasa 

A empresa disse que está negociando as condições de pagamento de acordo com a necessidade de cada usuário e está em fase de contratação dos serviços de cartão de débito e crédito que serão disponibilizados na Agência Virtual. 

5. Coelba 

A Coelba está possibilitando o parcelamento da conta de energia elétrica em até 12 vezes no cartão de crédito. A modalidade permite, ainda, a quitação do débito pelo cartão em uma única vez à vista, sem juros. O pagamento pode ser efetuado pelo site. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas