Vídeo de traficantes interrompendo culto no Rio é peça de teatro, dizem pastores

em alta
05.07.2022, 14:17:00
(Reprodução / Redes Sociais)

Vídeo de traficantes interrompendo culto no Rio é peça de teatro, dizem pastores

Imagens viralizaram afirmando se tratar de uma invasão durante fuga

Um vídeo que viralizou trazendo imagens que seriam de um traficante invadindo uma igreja durante um culto no Rio de Janeiro é um trecho de uma peça teatral, segundo os pastores do templo em questão.

A pastora Isa Cruz, uma das presidentes do Ministério Tempo de Avivar, igreja evangélica que fica no Morro do Borel, confirmou a informação ao Uol, dizendo que a peça foi gravada no dia 12 de junho, encenada por integrantes da própria corporação.

"Foi uma peça de teatro referente ao Dia do Pastor, gravada no segundo domingo de junho. No final da história eles se convertem", explicou Isa.

O pastor que aparece no vídeo é Alan Mendes, marido de Isa e também presidente da igreja. Ele diz que sabiam que a peça iria acontecer, mas não sabiam o teor. Mesmo assim, ele diz que nunca acreditou que se tratava de uma situação real, já que estava alertado sobre a encenação.

"Não porque eu sabia que era uma peça da igreja, só não sabia qual o tipo de peça que eles estariam apresentando. Eles me pegaram de surpresa, mas não me assustou porque eu sabia que era uma peça e conheço cada um e a característica de cada um que entrou na igreja. Eu conheço meus obreiros", explicou.

O portal O Dia, do Rio de Janeiro, chegou a informar que a invasão de traficantes teria acontecido no último dia 30, em uma igreja na comunidade do INPS, na Ilha do Governador. A matéria diz que um dos homens que aparecem seria um traficante identificado como T-Rex, o que foi negado pela defesa.

 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas