Vídeos, apps e jogos para entreter o seu pet: eles são indicados?

salvador
25.07.2020, 05:44:00
Atualizado: 27.07.2020, 01:03:02
Gatos podem realmente ficar encantados pelos tablets (Reprodução)

Vídeos, apps e jogos para entreter o seu pet: eles são indicados?

Existe TV com programação 24h para cães e linha de jogos de tablet para gatos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os gatos e cachorros já tomaram conta dos nossos corações. Mas e se eles dominassem também nossos smartphones e tablets? Você se derreteria todo, achando bonitinho o pet brincando com a tela do seu aparelho?

Bom, na realidade é bem capaz que você se divirta muito mais com essa experiência do que o seu bicho. Os vídeos de animais tentando pegar algo na tela – seja a figura de um rato, inseto ou peixe – estão aos montes pela internet e nos fazem dar risada. Mas se for em excesso, essa prática pode irritá-los bastante.

Um 'hit' dos vídeos no YouTube e no Instagram é mostrar gatos correndo atrás de um ponto de luz. Sabe aquelas canetinhas que vem com um laser vermelho? Pois é. O felino fica bem atiçado e começa a correr e pular atrás do ponto, ao ponto de dar cambalhotas e tudo o que mais divirta o humano.

Mas, segundo especialistas, se o recurso for usado em excesso pode chatear o gato. “Pra quem realmente quer o melhor pro bichano, a gente não indica esse tipo de brincadeira. Porque acaba frustrando o animal se não for recompensado”, conta Adriane Andrade, cat sitter idealizadora da empresa Menina dos Gatos (@meninadosgatos no Instagram).

“A brincadeira do felino é caçar. Desde pequeno ele desenvolve esse instinto de alcançar a presa. É a diversão natural dele. Quando você torna isso digital ou usa uma laser, ele nunca vai conseguir pegar o objeto de verdade. Então acaba deixando o gato muito frustrado”, explica a especialista.

O ideal, não só para gatos mas também para cachorros, é brincar sempre com algo físico e que estimule os sentidos deles. Aqui no CORREIO a gente já trouxe uma lista grande de atividades fáceis que você pode fazer com o seu pet nesse período de quarentena.

Em seu perfil no Instagram, Adriane sugere brincadeiras e outros cuidados com os gatos nessa quarentena: “Quando a gente brinca com peninhas e varinhas, aqueles brinquedos mais comuns de pet, eles acabam pegando ao final o objeto, mordendo, arranhando. Isso para ele é uma recompensa pelo esforço, a gente tá estimulando o lado natural dele. Isso é bom porque o gato é um animal ainda em processo de domesticação, quando você tira a caça dele acaba frustrando”.

Mas, calma: também não se sinta culpado por já ter colocado seu gato para correr atrás de uma luz de laser. “Não vai machucar ou criar um dano. Se você quiser fazer isso uma vez na vida, por curiosidade, para dar risada ou mesmo gravar um vídeo, tudo bem. Não vai trazer malefício imediato, pode testar”, conta Adriane.

“Só não vá se acostumar a brincar com o gato apenas dessa forma. Porque pode frustrar e gerar uns probleminhas psicológicos que, tem gente que não acredita, mas existem. Pode ser, inclusive, que o gato mostre interesse de início e depois perca, justamente por não conseguir pegar o objeto. Se isso acontecer, respeite”, comenta a especialista.

TV para cachorros?

E os cachorros? Joguinhos para tentar provocá-los a pegar objetos na tela de um tablet ou celular são bem mais raros, pois não chamam tanto a atenção. Mas existem algumas opções de vídeos e até mesmo uma programação inteira na TV para entretê-los.

No caso deles, o mais indicado nessa quarentena também é fazer uma das brincadeiras que trouxemos nessa matéria. Existem várias opções, desde um simples cabo de força, que não custa nada, até atividades mais elaboradas de estímulo aos faro e mordida.

“Tem cachorros que acabam se interessando, sim, pela imagem desses vídeos, porque são feitos com cores e sons muito específicos que chamam a atenção do pet. Nesse caso não é nem a imagem em si, é mais a forma e o som, pois o cachorro é muito auditivo”, conta o veterinário Rafael Ramos, idealizador do programa de adestramento Cão de Ouro (@caodeouro no Instagram).

Pensando nisso, inclusive, um e-commerce criou um sistema para os próprios cachorros escolherem quais brinquedos querem comprar. E, desde 2012, foi inaugurado um canal de TV por assinatura nos Estados Unidos com programação 100% voltada para cães, e que está em funcionamento no Brasil desde 2016, com vídeos também no YouTube.

“Esse canal de televisão para cachorros é indicado para quando os donos não estiverem em casa e o pet fique sozinho. É usado com cães que tenham ansiedade de ficarem a sós e os tutores podem usar quando saírem para trabalhar, por exemplo. Pode ser um bom alaido, funciona com alguns cachorros, outros não”, conta Rafael.

O especialista conta que há um risco por trás dos vídeos e do canal: “Porque pode ser um gatilho despertador para o cachorro de que o dono vai deixá-lo sozinho. Se toda vez que for sair o dono ligar a TV, o pet vai memorizar e fazer a relação. Então no início pode até funcionar, mas depois pode gerar uma reação contrária”, conta.

Se ainda assim você estiver interessado em testar e ver se essas tecnologias funcionam com o seu pet, listamos aqui os serviços mais interessantes disponíveis na internet.


PARA OS GATOS

O caso mais comum de brincadeira é aquela em que a figura de um bicho – rato, barata ou peixe – fica passando pela tela para chamar a atenção do seu gato. Cuidado, porque nem sempre funciona e o felino pode ignorar solenemente.

“Não é certeza que o gato vá interagir com esse joguinho, não. Depende do perfil dele, cada animal é um mundo diferente. Tem aqueles que gostam de ficar quietos, dormindo, e a gente tem que respeitá-los. Tem outros que podem até se interessar por terem mais energia e gostem de brincar”, conta Adriane Andrade.

O ideal é sempre usar um tablet, por ter tela maior. Mas, antes, é bom tomar alguns cuidados com seu aparelho e com seu bicho de estimação:

1) Lembre que trata-se de um animal, por isso ele pode arranhar o aparelho e a culpa não é dele – você que está colocando para brincar. Para uma proteção maior, coloque uma película no tablet ou smartphone.

2) O gato pode dar tapas no aparelho e tirá-lo do lugar, podendo até derrubá-lo de uma mesa. Mais uma vez: trata-se de uma animal e você é quem está colocando para brincar. O ideal é que a experiência ocorra no chão.

3) Se o gato não mostrar interesse, mesmo depois de testar mais de um aplicativo, não insista. Gatos gostam de ter a rotina deles, e certamente você também não gostaria de ser acordado para ver uma mosca voando pela tela de um tablet, né?


1) Vídeos

Uma busca rápida no YouTube pelo termo “vídeo para gatos” vai trazer uma centena de resultados de vídeos, alguns até com horas de duração, com uma infinidade de bichos passeando pela tela e fazendo barulho. Desde peixes até insetos. Aqui vai um exemplo:


2) Jogos

Cat Fishing

Desenvolvido pela Friskies (marca de ração para gatos), traz peixes voando pela tela com cores e sons que chamam a atenção do felino. Se ele tocar no peixe, ganha pontos e vai avançando de fase. Se o bicho parar de jogar por 30 segundos, o app emite um som de 'miau' para atrair a atenção.

Disponível na App Store e também na Google Play.

Friskies Jitterbug

Seu gato não curte muito ração de peixe? A Friskies desenvolveu também esse joguinho para ele, na mesma linha, mas com insetos. Dá para compartilhar o progresso do seu felino nas redes sociais.

Disponível na App Store e também na Google Play.

Cat Alone

O jogo mais famoso desse ramo é o Cat Alone, que já teve duas versões lançadas. A linha é a mesma: fazer o gato perseguir e capturar objetos diversos na tela. A vantagem desse é que você tem mais de um objeto, desde aranha, um ponto de luz vermelho, rato, gota de água e por aí vai, com um som diferente para cada. Assim, dá para testar por qual seu gato se interessa mais.

Disponível na App Store e também na Google Play.

Mice Catch

Vários ratinhos passam pela tela correndo para que seu gato os capture e ganhe pontos. O diferencial desse é que você pode habilitar a câmera frontal para que seu gato seja fotografado brincando.

Disponível apenas na Google Play.

Cat Snap

Esse aplicativo permite que os gatos tirem selfies! Um ponto vermelho ou outra figura roda pela tela atraindo a atenção dele. Quando o gato encosta a pata, o aparelho tira várias fotos para que você escolha, depois, a que ficou melhor para divulgar na internet.

Disponível na App Store e também na Google Play.

Paint for cats

Esse aplicativo está disponível apenas para iPad e é muito especial: permite que seu gato faça quadros e desenhos excêntricos. Mostra um ratinho passeando pela tela. Toda vez que o bichano toca nele, um pouco de tinta aparece. No final, dá para salvar a arte abstrata em tamanho grande e até imprimir para pendurar na sala como quadro (!!!!).

Disponível apenas para iPad na App Store.

3) Músicas para gatos

Gatos são bichos que gostam de uma rotina fixa, geralmente com momentos de sono em momentos específicos do dia. Ao mesmo tempo, os felinos vivem em alerta, o que pode atrapalhar o descanso. Por isso, se houver algum barulho por perto – desde obras ou uma festa por perto – ele não vai conseguir descansar.

Se o barulho for muito recorrente, pode ajudar bastante colocar uma música ambiente para amenizar o problema. Pensando nisso, cientistas da Louisiana State University (LSU), dos Estados Unidos, pesquisaram a música perfeita para acalmar o gato.

O resultado foi uma canção de som frequente, sem mudanças de ritmo bruscas, e com sons que são familiares a eles, como um ronronar, um arranhar ou sucção. É possível achar uma playlista inteira no YouTube:

4) Vídeos para gatos

Alguns canais de YouTube, geralmente em inglês, produzem vídeos para entreter o seu gato, nem que seja uma boa brincadeira. A maioria traz sons e cores da natureza que costumam despertar a atenção dele, como cantos de passarinhos e folhas balançando. Os de maior sucesso, garantem os criadores do conteúdo, são os vídeos que simulam um grande aquário pros felinos ficarem assistindo.

1) Videos for You Cat

2) Telekat


PARA OS CACHORROS

1) Dog TV

Para cachorros, o grande destaque fica por conta da Dog TV. Trata-se de um canal por assinatura inaugurado nos Estados Unidos em 2012, e que chegou ao Brasil em 2016. É possível tê-la na sua TV por demanda – ou seja, é preciso pagar um valor adicional ao pacote comum de assinatura.

A grande vantagem do serviço é entreter o cachorro enquanto o dono não está em casa, combatendo a síndrome de separação – quando o animal destrói objetos, uiva ou faz as necessidades em locais nada agradáveis.

A programação traz vídeos cientificamente desenvolvidos para ativar sentidos caninos. Há diferentes tipos: desde os de relaxamento, com sons mais confortáveis, até aqueles de estimulação, que buscam adaptar os pets a barulhos comuns do dia a dia como buzina de carros e de coisas quebrando.

Além da TV por assinatura, a Dog TV tem canal no YouTube com algumas amostras de vídeo e aplicativos para Apple e ainda para Android.

2) Apps

iSqueek

Esse aplicativo é bem simples: trata-se de uma bolinha ou ossinho virtual que produz o mesmo barulho do objeto físico quando é apertado. Sabe aquele apito do ar passando por um furinho no plástico? Em inglês é 'squeek'.

Disponível na App Store.

Game for dogs

Esse aplicativo reúne jogos para cães de todas os portes. Para brincar, ele só precisa tocar nos insetos ou animais que caminham pela tela. Cuidado para que o cachorro não morda o aparelho. Se for testar, saiba que isso pode acontecer.

Disponível na Google Play.

3) Loja virtual

A rede de pet shops Petz lançou uma tecnologia para seu e-commerce que pode fazer com que o seu cão escolha qual brinquedo quer ganhar de presente. Cada brinquedo emite um som e apresenta formas e cores na tela do celular, tablet ou notebook. Se o cão estiver de frente para a tela, a tecnologia faz uma leitura da expressão facial do animal e consegue julgar qual ele gostou mais ou gostou menos.

O veterinário Rafael Ramos explica que faz sentido: “Para o cachorro, importa muito o auditivo. Então os brinquedos no serviço emitem aquele 'squeek', que é o barulho de quando ele é apertado. E a partir daí o cachorro tem uma reação facial, uma resposta fisiológica que pode ser de interesse ou não”.

“Vai funcionar melhor com cães que já tiveram contato e criaram algum afeto por aquele tipo de brinquedo. Então ele tem essa memória agradável. O computador faz a leitura facial do cachorro e a gente pelo conhecimento adquirido pode dizer se os sinais que ele tá emitindo são de alegria ou não”, completa o especialista.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas