Vítima de agressões, chef comenta exoneração de ex-gestor: 'O mundo mudou'

bahia
03.08.2021, 19:45:00
Atualizado: 03.08.2021, 20:08:54

Vítima de agressões, chef comenta exoneração de ex-gestor: 'O mundo mudou'

Chamada de "vagabunda" e vítima de ameaças de difamação, Angeluci Figueiredo falou sobre saída de Vilas-Boas do cargo: 'consciência tranquila'

Ainda abalada depois da agressão que recebeu do ex-titular da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), Fábio Vilas Boas, a chef de cozinha e proprietária do restaurante Preta, Angeluci Figueiredo, falou sobre o caso depois que soube do pedido de exoneração do secretário. O cardiologista entregou uma carta com o pedido de exoneração na tarde desta terça-feria (3) e a solicitação foi aceita pelo governador Rui Costa.

Leia mais: Após ofensas contra chef, secretário de Saúde da Bahia pede exoneração do cargo

Leia também: Titular da Sesab chama chef de ‘vagabunda’ após encontrar restaurante fechado

"No fundo, eu não queria isso, mas tenho minha consciência tranquila. Sempre o tratei bem, como um amigo que visita um outro em uma casa. Sempre o acolhi da melhor forma em todas as vezes que ele foi ao Preta", disse Angeluci ao Alô Alô Bahia. O restaurante fica na Ilha dos Frades e só pode ser acessado pelo mar.

Depois de ser chamada de "vagabunda" e receber ameaças de difamação pelo Whatsapp por Vilas Boas ao avisá-lo do cancelamento da reserva, ocasionado pelo mau tempo, a chef decidiu levar as agressões à público juntamente com um texto dirigido a ele. Em certo trecho, ela escreve: "Vou reiterar a misoginia: o senhor chamaria de vagabundo um homem branco, dono de um restaurante, pelo fato de esse homem ter sido impedido de lhe atender num domingo de chuvas e ventos fortes?".

Ao Alô Alô, Angeluci explicou a razão de ter divulgado as mensagens e a carta. "O mundo mudou, a gente tem que trabalhar a empatia e revelei o que aconteceu não mais por mim, mas por todas as mulheres que já foram de alguma forma assediadas e não tiveram chance de serem ouvidas", disse a empresária, que mantém uma equipe de 20 funcionários.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas