Vitória acusa Athletico-PR de calote na transferência de Pedrinho

e.c. vitória
14.09.2021, 18:14:00
Atualizado: 14.09.2021, 19:32:41
Pedrinho foi vendido pelo Vitória ao Athletico-PR (Pietro Carpi/EC Vitória)

Vitória acusa Athletico-PR de calote na transferência de Pedrinho

Diretoria rubro-negra emite nota e afirma que não recebeu valor acordado na negociação

O Vitória acusa o Athletico-PR de não realizar o pagamento referente à venda do lateral-esquerdo Pedrinho, de 19 anos. Em nota divulgada nesta terça-feira (14), a diretoria do clube baiano diz que "desconhece os motivos para o não cumprimento do contrato celebrado entre os clubes, assim como para o não pagamento do valor ajustado".

Segundo apuração do CORREIO, o jogador revelado na Toca do Leão foi negociado por R$ 8,5 milhões, e o Athletico tinha 48h, a partir da última sexta-feira (10), para realizar o primeiro pagamento, de R$ 3 milhões. Os demais R$ 5,5 milhões serão distribuídos em outras parcelas. O clube paranaense não se manifestou a respeito da acusação.

No comunicado, assinado em nome do presidente em exercício Luiz Henrique Viana, o Vitória também informa que entrou com uma medida processual na Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) da CBF, "para fins de impor ao Athletico Paranaense o cumprimento do acordo".

A negociação de Pedrinho provocou uma série de desentendimentos entre os dois clubes. Inicialmente, ele assinaria com o time do Paraná e voltaria ao Leão emprestado até o fim da Série B. Mas isso não ocorreu.

A questão é que a venda do lateral estava associada também à negociação do volante Pablo Siles, totalizando R$ 10 milhões. O Vitória receberia do Athletico-PR o valor de R$ 8,5 milhões por Pedrinho e mais R$ 1,5 milhão pelo volante, que pertence ao Danubio, do Uruguai, e está emprestado ao Leão até o final da Série B. No entanto, a negociação de Pablo Siles não foi concretizada, o que tinha tornado a de Pedrinho também indefinida.

A rescisão de Pedrinho com o Vitória foi publicada no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF no dia 20 de agosto. Em seguida, ele viajou a Curitiba para realizar exames, foi aprovado pelos médicos e retornou a Salvador, mas o imbróglio sobre onde jogaria no restante deste ano fez com que ele não voltasse a treinar na Toca do Leão. 

No dia 2 de setembro, o Vitória emitiu nota oficial e colocou o impasse na conta do Furacão. Segundo o rubro-negro baiano, o acerto foi concluído, mas o contrato ainda não tinha sido registrado na CBF "por motivos que são desconhecidos ao clube". Com isso, Pedrinho não foi reintegrado ao elenco na Toca do Leão.

A nota também informava que o Vitória "ajuizou uma demanda na Câmara Nacional de Resolução de Disputas da CBF para fazer valer os termos negociados, devendo o Athletico regularizar o registro do atleta na CBF e possibilite a sua imediata reintegração à equipe".

No dia 4, Pedrinho viajou para Curitiba, para se apresentar ao Athletico-PR. Na quinta-feira (9), o nome do lateral pelo Furacão saiu no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.

Veja o comunicado do Vitória:

O Esporte Clube Vitória vem a público manifestar, através do Presidente do Conselho Diretor em exercício, Luiz Henrique Viana Pereira, que não ocorreu o pagamento devido pelo Athletico-PR, referente a negociação envolvendo o lateral-esquerdo Pedrinho. 

O jogador foi regularizado pelo Athletico, tendo seu nome publicado no Boletim Informativo Diário da CBF, o que lhe deixa apto para disputar partidas pelo novo clube. 

Assim, o Vitória reforça que desconhece os motivos para o não cumprimento do contrato celebrado entre os clubes, assim como para o não pagamento do valor ajustado.

Informa ainda que medida processual já foi protocolada junto à Câmara Nacional de Resolução de Disputas da CBF, para fins de impor ao Athletico Paranaense o cumprimento do acordo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas