'Viúva negra': suspeita de matar namorados envenenados será julgada nesta terça (31)

bahia
30.08.2021, 22:49:00
Atualizado: 31.08.2021, 00:54:43
(Divulgação/Polícia Civil)

'Viúva negra': suspeita de matar namorados envenenados será julgada nesta terça (31)

A mulher deu chumbinho aos companheiros assim que descobriu que eles tinham intenção de terminar o relacionamento

Presa desde junho de 2018, Wane Brenda Gonçalves de Oliveira, de 34 anos, acusada de assassinar por envenenamento dois homens com quem manteve relacionamentos, entre abril e novembro de 2017, irá a julgamento nesta terça--feira (31), a partir das 08 horas.

De acordo com investigações da Delegacia de Homicídios (DH) de Itabuna, Wane utilizava chumbinho para matar os parceiros assim que descobria que eles tinham intenção de terminar o relacionamento com ela.

O julgamento, no entanto, será referente apenas à morte de Edvaldo Araújo Alves, de 40 anos. Ele foi a primeira vítima e esteve em relacionamento com a suspeita por um ano. Ela teria usado chumbinho para matar os dois parceiros.
 
Quanto à segunda vítima, Evandro Bonfim, ainda não há audiência marcada para julgar sua morte. As informações são da TV Santa Cruz.

Relembre o caso

No dia 16 de abril de 2017, Edvaldo começou a passar mal na casa da namorada, por volta das 23h, e foi socorrido por ela num táxi, para o Hospital de Base de Itabuna, onde morreu. Na época do crime, a morte foi atribuída a um infarto fulminante.

“A versão não convenceu a família da vitima que alegava ter conhecimento de que estava insatisfeito com o relacionamento com Brenda e desejava rompê-lo, fato que também era de conhecimento dela”, explicou a delegada Magda Figueiredo, titular da DH.

Poucos meses depois, Brenda já estava num novo relacionamento com Evandro Bonfim de Souza, também de 40 anos, que sentiu-se mal após ingerir um medicamento dado pela namorada. Ele também foi levado por ela a um hospital, onde o médico que o atendeu informou que os sintomas apresentados com ele se assemelhavam aos mesmos por envenenamento por chumbinho.

Fotos: Reprodução/Redes Sociais

Nove dias após o internamento, com Brenda servindo de acompanhante durante todo esse tempo, Evandro deveria receber alta médica quando teve uma parada cardíaca e ao ser submetido a uma lavagem estomacal os médicos encontraram vestígios de uma substância semelhante ao veneno. Seu estado de saúde piorou e no dia 3 de dezembro foi constatada sua morte cerebral.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar as circunstâncias das mortes de Edvaldo e Evandro. O Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Itabuna recolheu amostras do corpo de Evandro e encaminhou para serem analisadas, em Salvador. Já a DH/de Itabuna conseguiu autorização da Justiça para exumar o corpo de Edvaldo.

“Agilidade no resultado da perícia foi primordial para a elucidação do caso” garantiu a delegada Magda Figueiredo. A análise, realizada pelo DPT, das amostras retiradas dos corpos das duas vítimas revelaram que ambos foram mortos com a utilização do mesmo veneno.

Wane Brenda teve a prisão solicitada à Justiça e seu mandado de prisão preventiva cumprido, na tarde do dia 11 de junho de 2018, no bairro Califórnia em Itabuna.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas