Vozes infantojuvenis do Neojiba se apresentam em recital beneficente

salvador
12.12.2021, 14:52:00
Apresentação aconteceu na Igreja da Ordem Terceira Secular de São Francisco (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Vozes infantojuvenis do Neojiba se apresentam em recital beneficente

É quase Natal: apresentação aconteceu na Igreja da Ordem Terceira Secular de São Francisco, no Pelourinho; renda arrecadada vai ajudar o Lar Santa Isabel

As vozes do Coro Infantojuvenil do Neojiba cantaram e encantaram quem esteve presente na manhã deste domingo (12), no Recital de Natal, evento beneficente que aconteceu na Igreja da Ordem Terceira Secular de São Francisco, no Pelourinho. A apresentação sob a regência da maestrina e coordenadora de canto coral,  Lucie Barluet, contou com a participação de 30 crianças e jovens que integram as  oficinas promovidas pelos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia.

“Trouxemos três vozes femininas iguais e nunca fizemos antes esse repertório tão difícil. Passamos um mês nos preparando. Mas vendo o resultado, elas conseguiram, nós conseguimos”, disse a maestrina, que acompanhou o coro em clássicos natalinos como Então é Natal, Noite Feliz e Boas Festas. Nem o jingle da Coca-Cola, O Natal vem Vindo, ficou de fora, o que levou o público a cantar junto as canções.

“Temos meninas de 8 anos cantando com vozes juvenis, o que mostra o crescimento do nosso coro. Eu aqui, do meu lugar, achei lindo”, completou.

E a turista mineira, Vanuza Arruda, 46 anos, também achou tudo lindo. Principalmente, quando ao passear pelo Pelourinho, as vozes chamaram sua atenção. “Vim fazer um passeio nas igrejas antes de ir embora e estou aqui impressionada com esta grata surpresa. Em um momento em que todo mundo se afastou, escutar essas crianças é emocionante”.

Já a dentista Cristiane Castro, 55 anos, foi ver a sobrinha cantar. “Já tinha um tempo que eu não vinha ao Pelourinho. O Natal é um momento de muito amor, união. Espero que essa coisa linda que a música proporciona possa motivar as pessoas a terem amor ao próximo”, comentou.

Espírito natalino
Com os 200 ingressos esgotados e vendidos a R$ 28 (cada), o recital arrecadou R$ 5,6 mil, renda que será revertida para a Ordem Terceira de São Francisco, entidade sem fins lucrativos que, além de zelar igreja tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional desde 1938, é responsável pela administração do Lar Santa Isabel, que abriga 60 idosos.

(Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)
(Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)
(Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)
(Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Segundo o presidente da ordem, Jayme Baleeiro, a intenção é que a igreja possa ser tornar, cada vez mais, um espaço cultural.

“A gente está precisando rejuvenescer e nada melhor do que trazer o Neojiba, juntando a tradição com a experiência. A juventude não sabe ainda o tanto de história que temos aqui. São coisas que precisam ser resgatadas”, assegurou o presidente.

A secretária Marinalva Lessa, 54 anos, foi uma das pessoas que saíram do recital com a sensação de que o Natal desse ano vai ser de reencontro: “o sentimento que levo é de paz, alegria e amor”. A consultora ambiental, Taís Garone, concorda: “A música me trouxe aqui hoje. Esse ano, vejo o Natal como um momento de refortalecimento de laços por tudo que passamos. E esse concerto ajuda a  gente se reconectar com os nossos laços e o sagrado também”.

Mariane Rosário, 19, canta como contralto no coro e vê o Natal desse ano de forma diferente. “Ficamos mais de um ano e meio em casa e agora, começamos, de fato, a trabalhar a ideia da reunião. A fé nos fez chegar até aqui e poder cantar para todos. Fiquei muito contente em ter conseguido fazer esse repertório”, comemorou.

Para o diretor musical do Neojiba, Eduardo Torres, a apresentação é resultado de todo um trabalho que o projeto conseguiu fazer, mesmo com os desafios impostos pela pandemia: “Viemos a convite da Ordem Terceira e conforme foram saindo os decretos, fomos aceitando plateia, sempre seguindo todas as orientações sanitárias. A apresentação que fizemos prova que as atividades online não foram perdidas e o quanto conseguimos fazer em tão pouco tempo de atividades presenciais”.

De lá do altar, uma das vozes que fizeram parte do coro foi da pequena Lana Freire, 10, que canta no coral como soprano. Para todos, o desejo dela é de um bom Natal. “Estou muito feliz em cantar aqui hoje. Passamos por muita coisa que deixou a nossa cabeça muito cheia e eu espero que as pessoas tenham um Natal livre para ficar com suas famílias”.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas