Cerca de 20 mil pessoas são abordadas por hora nos portais de segurança do Carnaval

Sete armas brancas foram apreendidas, nenhuma arma de fogo; não houve homicídios no segundo dia do Carnaval

Publicado em 5 de fevereiro de 2016 às 19:03

- Atualizado há 10 meses

Aproximadamente 220 mil pessoas foram abordadas nos portais de segurança que dão acesso aos três circuitos do Carnaval entre as 19h de quinta-feira (4) e 6h de sexta-feira (5), o que significa uma média de 20 mil pessoas por hora. O dado é da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), em reunião de balanço da operação para o Carnaval na manhã desta sexta (5). No segundo dia de Carnaval, os portais foram responsáveis por apreender sete armas brancas, entre facas, tesouras e lâminas de aço. Nenhuma arma de fogo foi apreendida. “O objetivo da instalação destes portais para abordagem é desencorajar aqueles que pensam em entrar nos circuitos com armas, e estamos atingindo este objetivo”, afirmou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Anselmo Brandão.

VEJA TUDO O QUE ESTÁ ROLANDO NO CARNAVALHouve ainda um aumento das conduções a unidades policiais, em relação ao ano passado. Os policiais conduziram 362 pessoas este ano. Em 2015 foram 132, um aumento de 174,2%. Um dos motivos para o aumento foram os 80 policiais civis infiltrados, novidade neste ano. Eles ficaram no circuito, à paisana, flagrando uso e tráfico de drogas. Os policiais também recebiam informações apuradas através das câmeras de segurança instaladas nos circuitos. Foram 214 conduzidas e presas por crimes relacionados a drogas, 54% a mais do que os 139 de 2015.

BAIXE O FAROL: O APLICATIVO QUE VAI TE GUIAR NO CARNAVALA variação dos registros de delitos foi pequena, mas sempre para menos. Foram registrados 61 furtos, 4 roubos e 12 lesões corporais leves. Em 2015, foram 62, 7 e 14, respectivamente. Não houve, assim como em 2015, nenhum registro de homicídio, tentativa de homicídio, lesão corporal seguida de morte ou lesão corporal grave.O secretário da pasta, Maurício Barbosa, fez um balanço positivo desse segundo dia. “São números positivos em comparação ao ano passado, porque além de não haver crime contra a vida e diminuírem os índices de crimes contra o patrimônio, a produtividade do trabalho policial cresceu muito”, afirmou Barbosa.Neste Carnaval, o Governo do Estado mobilizou cerca de 26 mil profissionais das polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e do Departamento de Polícia Técnica (DPT) para atuar de forma integrada, visando garantir a segurança dos foliões, com efetivos na capital e em mais 30 municípios baianos. Foram investidos pelo governo baiano, somente na segurança pública, R$ 43,9 milhões para a festa no estado. Neste sábado (6), O governador Rui Costa vai visitar a estrutura montada pela Secretaria da Segurança Pública na Avenida Ademar de Barros, em Ondina.